Pinto da Costa: «Batemos no fundo»

O presidente dos «dragões» concedeu, esta quinta-feira, uma entrevista ao Porto Canal, na sequência da contestação da massa adepta. Leia aqui as principais declarações do líder azul e branco.

Pinto da Costa: «Batemos no fundo»
José Peseiro e Pinto da Costa, depois de uma conferência de imprensa no Estádio do Dragão. (Fonte: Getty Images)

O presidente do FC Porto foi entrevistado por Júlio Magalhães, esta quinta-feira, no Porto Canal, numa fase em que tem sido muito contestado pelos adeptos.

Com o intuito de abordar o mau desempenho da equipa e outros assuntos que ultrapassam a esfera diretamente relacionada com o futebol - como, por exemplo, as comissões pagas a administradores -, Pinto da Costa falou de tudo: desde a contestação à recandidatura de Fernando Gomes, passando pelas finanças do clube, pela antevisão da próxima temporada e pelo futuro de Peseiro.

Júlio Magalhães e Pinto da Costa. (Fonte: JN)
Júlio Magalhães e Pinto da Costa. (Fonte: JN)

Vejamos, então, as principais declarações do líder dos azuis e brancos, enquadradas nos vários temas abordados durante a entrevisa: 

Os maus resultados e a contestação

«Não confundir contestação com terrorismo! Não confundo contestação com isso, porque contestação eu aceito e faço parte. Fui contestado, pois claro. E percebo; eu contesto o clube, o presidente, tudo.».

«Petardos? Isso a mim não me diz nada, porque não tem a ver com a contestação dos adeptos. No fim de um jogo é natural que haja excessos. Agora, petardos às 3h30 da manhã não tem nada a ver com adeptos. Rebentaram petardos na minha rua, mas não em minha casa; foi na casa de um vizinho.».

«Houve um estrondo e estragos no jardim. Mas eu não dei conta de nada. Às 20 horas tocaram-me à porta a dizer que tinha sido na casa do vizinho. O único vizinho que conheço de lá é o Lucho González que tem lá uma casa para ir viver lá quando deixar de jogar.».

«Ao mesmo tempo puseram cartazes, fotografaram os cartazes, e dois minutos depois já não havia cartazes. Estiveram 2 minutos colocados. Hoje vi em vários jornais fotos dos jornais. Uma coisa é contestação, outra é violência a roçar o terrorismo. Agora, só não sabe quem foi quem não quer. É curioso que no dia seguinte há três jornais a publicar as fotos.».

«Se, quando uma equipa ganha, é aplaudida, quando perde aceito a contestação. Falta de educação não senti.».

«Qualquer adepto que não queira ganhar campeonatos ou é maluco ou um infiltrado. Não conheço nenhum adepto do FC Porto, Benfica ou do Sporting que não queira ganhar o título.».

Chidozie e Herrera foram o espelho da desilusão portista, no final do jogo com o Tondela. (Fonte: Getty Images)
Chidozie e Herrera foram o espelho da desilusão portista, no final do jogo com o Tondela. (Fonte: Getty Images)

«A contestação sentia-a no FC Porto-Tondela e naturalmente a compreendo, porque como adepto do FC Porto foi o dia em que me senti mais envergonhado com uma exibição do FC Porto. Como adepto, junto-me a todos aqueles que protestaram. Aceito e compreendo».

«Mais do que presidente, sou adepto. E como adepto quero que o FC Porto ganhe e que dentro de campo joguem à FC Porto.».

«Não queremos que entre um jogador por aquela porta e que pergunte onde é a de saída. Um jogador que entrar tem de perceber que está no top e que precisa de provar que merece estar no FC Porto.».

O que falhou com Lopetegui?

 «Se calhar foi isso. Deixei-o [Lopetegui] contratar jogadores que ele me garantia que eram jogadores para jogar e que fazia uma grande equipa. Alguns nunca jogaram. Não resultou. Eu contratei jogadores que não conhecia. Só fiado na opinião dele. O Adrián Lopez era fundamental, foi um esforço e o empresário garantiu-me que se não rendesse aqui o vendia pelo mesmo valor. Fomos enganados, falhou a opinião do treinador e do empresário.».

«Sabe quem é o Campaña? Foi um dos que acreditei que era jogador para o FC Porto, mas que nunca tinha visto... Esse foi um dos eleitos do senhor Lopetegui. A culpa foi minha porque confiei em quem não devia.».

Lopetegui não teve sorte no reino do dragão. (Fonte: Getty Images)
Lopetegui não teve sorte no reino do dragão. (Fonte: Getty Images)

A polémica das comissões

«Comissões? O FC Porto é vítima da transparência dos seus atos e das suas contas. Porque todos os negócios tem um intermediário, nós pagamos aos agentes. Mas isso é em todo o mundo. Passa-se com todos.».

«Um jogador que vem da formação chega com empresário. Qualquer dia haverá empresários à porta das maternidades. Qualquer miúdo tem um empresário. E esse empresário, quando o jogador vem da formação e acaba o contrato, assina novo contrato. O Rúben Neves é representado pelo Jorge Mendes, que no ano passado propôs-me a venda do jogador, mas como condição tinha de receber 10 por cento,. Não aceitava menos. Vindo da formação ou não, o empresário quer receber comissão.».

«Tanto me faz pagar a este ou aquele empresário. Há empresários a quem pago e não conheço. Gosto de pagar e de pagar muito porque é sinal de que estou a contratar bons jogadores.».

Pinto da Costa encarou a polémica das comissões com normalidade. (Fonte: Getty Images)
Pinto da Costa encarou a polémica das comissões com normalidade. (Fonte: Getty Images)

«Desde que o jogador nos interesse... a mim tanto me faz pagar a este ou àquele. O que me interessa é a qualidade do jogador. Eu não prefiro nenhum empresário. Quero é jogador que joguem. Quero lá saber se é familiar, se é meu amigo ou inimigo. Já fiz transações com empresários que não gosto. Mas eu tenho é de fazer o negócio.».

«Posso-lhe dizer que houve um empresário que em dois anos ganhou mais de 10 milhões em comissões e ninguém se queixou. E não me arrependo disso. Se tiver de vender e pagar 10% não me importo. Porque teria ganho 100 milhões. Em 3 anos foram 11 milhões e 300 mil euros. Nós pagamos entre 5 e 10%. Não conheço nenhum empresário que tenha os seus artistas, coloque os artistas e não receba comissão.».

A próxima época

«Disse aos jogadores que esta época acabou. E agora têm seis jogos, no final da época, de pré-época, para mostrar quem tem caráter e valor para jogar no FC Porto. E quem não mostrar o caráter que todos têm que ter, não ficará, chame-se o que se chamar.».

«Temos de mobilizar os adeptos para ganhar a Taça para entrarmos na próxima época a podermos discutir o primeiro título da época, a Supertaça.».

«O Rafa, da Académica, toda a gente sabe que vai ser um grande jogador. Tem dúvidas? Neste momento, com Maxi e Layún, não jogava. Por isso entendemos que lhe fazia bem jogar na Primeira Liga e num clube que toda a gente gosta e onde precisa de jogar. Se ficasse no FC Porto ia jogar na B. Agora não há dúvidas que o Rafa vai integrar o plantel. O Rafa está a brilhar, mas no Porto estaria na B. Hoje não temos dúvida nenhuma.».

Rafa Soares, aqui em ação frente ao Sporting, vai regressar do empréstimo à Académica. (Fonte: Getty Images)
Rafa Soares, aqui em ação frente ao Sporting, vai regressar do empréstimo à Académica. (Fonte: Getty Images)

«O Chidozie está como titular da equipa principal. E sabe qual é a sua categoria? Júnior! E lançar o Chidozie no Estádio da Luz não é de quem aposta nos jovens?».

«Josué e Otavinho vão regressar.».

«Grande aposta para o próximo mandato é fazer um grande centro de formação. Onde os jovens possam fazer a sua formação desportiva e intelectual. Um centro a sério!».

José Peseiro: que futuro?

«Mas o que é que o Peseiro tem a ver com a final da Taça? É com ele que estamos a analisar a equipa que temos, quem deve ficar e quem tem caráter para ficar. É nas dificuldades que se vê o caráter das pessoas. Quando se ganha são todos iguais. É agora que vamos ver com quem podemos contar.».

Pinto da Costa reconheceu que José Peseiro não tem tarefa fácil. (Fonte: Getty Images)
Pinto da Costa reconheceu que José Peseiro não tem tarefa fácil. (Fonte: Getty Images)

«José Peseiro está a trabalhar comigo, assinou ano e meio. Nesta última derrota, o José Peseiro esteve mal ao não marcar o penálti aos 5 minutos. Ele disse-me que não tinha apito. É com ele que estamos analisar a equipa, jogadores e quem tem caráter para ficar. Nas derrotas é que se vê o caráter. Vamos ver quem tem caráter para continuar no FC Porto.»

«Peseiro tem as suas limitações neste plantel e os inconvenientes de um treinador que pega numa equipa a meio da época. Ele tem de trabalhar à pressão porque tem objetvos imediatos. Com esta derrota, que a todos nos encheu de vergonha... Eu sou presidente há 34 anos, não foi um golpe de estado.».

Reeleição a 17 de abril

«Como adepto também cheguei ao final da paciência. Eu também contesto o que se está a passar. A mim não me interessa o que já ganhei. O que o FC Porto ganhou é passado, está no museu. É a história que ninguém pode mudar. Candidatei-me porque as coisas estão mal e é preciso colocar as coisas como eram.».

«Sinto e tenho a certeza que vamos dar a volta ao que está mal. Batemos no fundo, há que fazer a radiografia, ela está feita e há que não repetir os erros.».

As finanças do clube

«Em 2013/14, o FC Porto tinha de capitais próprios 33 milhões negativos. Em 2014/15 subiu o passivo mas duplicou o ativo. E em vez de 33 milhões passou a ter 88 milhões de capitais próprios positivos. E em 2013 estávamos preocupados? Sim, por isso é que tratámos de fazer uma reversão. O nosso capital positivo é o melhor dos 3 grandes. O passivo do Benfica é de 429 milhões. O do FC Porto é de 286. Mas mesmo com este passivo, o Benfica tem capitais próprios.».

«Toda a gente, sem exceção, uns por mensagem, outros por escrito, nos deram os parabéns pelo negócio com a Meo. Os adeptos não são parvos. Há os blogues, que não têm rosto, não têm nome... e é claro que há gente que não gostou. Naturalmente que quem tinha um negócio de 18 milhões e viu-nos a fazer um de 41 milhões, não gostou.».

«O Corona e o Layún, por exemplo, são muito elogiados por terem vindo para o FC Porto. Mas devemos ter a noção que quando queremos um jogador e aparece um clube inglês que paga 10 vezes mais não temos hipóteses.».

Recandidatura de Fernando Gomes: nem a favor, nem contra

«Fernando Gomes? Não tenho a favor nem contra. Estou à espera de conhecer as listas, uma vez que é tudo apresentado em conjunto.».

«É na Liga que se deve discutir apoios a este ou aquele. Eu acho que os clubes deviam na Liga discutir isso e ver os prós e os contras da recandidatura do Fernando Gomes. E se se achar que é positiva, todos os clubes devem votar. O que eu não concordo é dizer que este clube apoia o Fernando Gomes... porque isso parece que ele anda a pedir.».

«O Fernando Santos tem todo o meu apoio. Foi muito bem escolhido. Agora, Portugal fará o Europeu consoante a forma do Ronaldo. O Ronaldo, como o Messi ou os grandes craques, é que fazem a diferença. Se tivermos a felicidade de ele estar bem podemos até ser campeões. E o João Moutinho é um jogador de primeira qualidade a nível europeu.».

O presidente portista considera que Fernando Santos foi uma boa escolha. (Fonte: Getty Images)
O presidente portista considera que Fernando Santos foi uma boa escolha. (Fonte: Getty Images)

O FC Porto enfrenta o próximo desafio este domingo, em Paços de Ferreira, pelas 18:15, num jogo a contar para a 29ª jornada da Liga NOS. Acompanhe tudo aqui, em Vavel Portugal.