Botafogo e Fluminense firmam licença de marca com a Caixa Econômica

Os clubes assinaram acordo que fundamenta o dá direito ao uso da marca, mas ainda não firmaram contrato de patrocínio master

Botafogo e Fluminense firmam licença de marca com a Caixa Econômica
Foto: Divulgação/Caixa

Carlos Eduardo Pereira e Peter Siemsen, presidentes de Botafogo e Fluminense, viajaram até Brasília na tarde desta terça (20). O objetivo era assinar a licença de marca com a Caixa Econômica Federal, que garante o uso da marca em seus uniformes, mesmo sem o contrato de patrocinador master oficializado. 

Agora os clubes vão se juntar aos times que também são patrocinados pela estatal: Corinthians, Flamengo, Atlético-MG, Cruzeiro, Vasco, Atlético-PR, Coritiba, Sport, Vitória, Chapecoense, Figueirense, Atlético-GO, Bahia, Goiás, CRB e Náutico.

O presidente botafoguense não negou em nenhum momento que as negociações do começo do ano tenham parado, desta forma vai tentar organizar a complicada parte financeira do clube. Foram meses de conversa até o banco e o clube chegarem a um acordo, o alvinegro vai receber cerca de R$ 12 milhões até o fim de 2017 e só precisa obter duas certidões negativas de débito para oficializar.

Ainda no começo deste ano, antes mesmo da temporada começar, o Glorioso já havia tentado de diversas formas firmar contrato. Até Carlos Augusto Montenegro se envolveu procurando o presidente do Senado, na época Renan Calheiros, já que se tratava de negócios com uma estatal, mas nem assim foi possível.

O time de General Severiano estava sem patrocinador master fixo desde 2015, quando encerrou contrato com a Viton 44 detentora da marca Guaraviton. Desde então, buscou patrocínio master pontual da Papelex, além dos tão questionados patrocínios pontuais da Casa & Vídeo.

Já o tricolor carioca estava sem patrocinador master desde março deste ano, também com a Viton 44 que estampava a marca MatteViton. O acordo acabou após duas temporadas, quando a empresa começou a atrasar os pagamentos e precisou parcelar sua dívida.

Apesar de tentar patrocínio da Caixa desde 2015, o clube não deixou de tentar outras parcerias. O presidente tricolor chegou a conversar com representantes da marca chinesa Huawei no início de setembro, mas não houve nenhuma manifestação da equipe de Laranjeiras.

O valor que o Flu receberá será de R$ 1 milhão pelo patrocínio estampando no peito da camisa. Até então o contrato será apenas até dezembro e provavelmente será renovado no fim da temporada, quando devem combinar outro valor.