Cruzeiro supera Botafogo em Brasília e conquista primeira vitória no Brasileirão

Raposa domina o primeiro tempo e Glorioso equipara a partida na etapa final; Élber foi o autor do único gol do jogo

Cruzeiro supera Botafogo em Brasília e conquista primeira vitória no Brasileirão
(Foto: Ueslei Marcelino/Light Press/Cruzeiro)
Botafogo
0 1
Cruzeiro
Botafogo: Helton Leite; Diego, Emerson Silva, Emerson Santos, Victor Luis, Bruno Silva, Dierson, Fernandes (min. 20, Neílton, 2ºT), Ribamar (min. 28, Sassá, 2ºT), Anderson Aquino, Salgueiro (Leandrinho, intervalo).
Cruzeiro: Fábio; Lucas, Bruno Vianna, Bruno Rodrigo, Bryan, Henrique, Lucas Romero, Élber (min. 34, Wllian, 2ºT), Robinho (min. 18, Marciel, 2ºT), Arrascaeta, Riascos (min. 26, Alisson, 2ºT).
Placar: 0-1, Élber, min. 26, 1ºT.
ÁRBITRO: Elmo Alves Resende Cunha, auxiliado por Vanderson Antonio Zanotti (ES) e Luciano Roggenbaum (PR); Cartões amarelos: Anderson Aquino (Botafogo); Bruno Rodrigo, Bruno Vianna, Marciel (Cruzeiro)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela quinta rodada do campeonato brasileiro, disputado na quarta-feira (1º), no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, para um público de 7.057 torcedores.

Nessa quarta (1º), o Cruzeiro conquistou sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, vencendo o Botafogo por 1 a 0, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, com gol de Élber. A equipe celeste conseguiu sair da zona de rebaixamento e ocupa a 13º colocação com cinco pontos, enquanto o Fogão caiu para o 15º lugar, mantendo seus quatro pontos, e somando três derrotas em cinco rodadas.

A partida marcou a estreia do meia Robinho e do atacante Riascos como titulares na equipe do Cruzeiro. Os dois obtiveram boas atuações no clássico contra o América, na rodada passada, mas foram peças sacadas no banco de reservas no segundo tempo, por Paulo Bento. As duas equipes chegaram para o clássico nacional com desfalques importantes, como Manoel, Dedé e Rafael Silva pelo Cruzeiro, e o experiente goleiro Jefferson, pelo Botafogo, que está se recuperando de uma lesão no braço esquerdo.

Na próxima rodada, o Botafogo vai até o Estádio Pacaembu, em São Paulo, para enfrentar o Santos, às 11h, no domingo (5). No mesmo dia, o Cruzeiro recebe, no Mineirão, às 18h30min, a equipe do São Paulo. Tanto Santos quanto São Paulo perderam nesta quinta rodada, para Corinthians e Figueirense, respectivamente.

Cruzeiro abre o placar e tem amplo no domínio primeiro tempo

As duas equipes entraram em campo pressionadas para apresentarem um futebol convincente. Nos primeiros 45 minutos de jogo, o Botafogo pouco fez em termos ofensivos, sendo obrigado a marcar a rápida troca de passes do Cruzeiro, que finalizou 11 vezes, contra uma tentativa do alvinegro. A equipe celeste manteve uma maior posse de bola, chegando a ficar com 63% contra 37% do Fogão.

Estreando como titular na Raposa, o meia Robinho teve muita liberdade no meio-campo, saindo dos pés dele a primeira finalização com perigo do jogo. Aos 11 minutos, o meia cobrou escanteio nos pés de Élber, que devolveu a bola para Robinho finalizar, exigindo uma boa defesa de Helton. O panorama da primeira etapa continuou sendo marcado pela pressão do Cruzeiro. Aos 26 minutos, em tentativa de ataque do Botafogo, Fernandes foi travado por Bruno Rodrigo, que deixou a bola chegar até Robinho. O meia, antes do meio de campo, faz um belo lançamento para Élber, que já estava entrando na área, venceu dois marcadores e marcou o gol. 

A única finalização do Botafogo no primeiro tempo foi uma resposta ao gol sofrido, quando, aos 29 minutos, Anderson Aquino, em cobrança de falta, lançou a bola na área cruzeirense, e Ribamar finalizou para fora, em lance que foi marcado impedimento. O Cruzeiro ainda teve duas chances de marcar o segundo gol, em cabeceios de Bruno Rodrigo e Riascos. Aos 35 minutos, Arrascaeta recebeu a bola pelo meio, tocou para Élber, que limpou o lance, superou a marcação e chutou a bola na trave. Dois minutos depois, o atacante ainda teve outra oportunidade de ampliar o placar, após receber passe longo de Robinho, mas a zaga alvinegra conseguiu fazer o corte da finalização.

Botafogo pressiona o Cruzeiro, mas não consegue o empate

Na etapa final, o Botafogo mudou a postura apresentada no primeiro tempo e começou a dar mais trabalho para o goleiro Fábio. Com a entrada de Leandrinho, a equipe pressionou o Cruzeiro já nos primeiros minutos, forçando a atenção dos marcadores da Raposa. Aos 22 minutos, Ribamar recebeu no meio dos dois zagueiros cruzeirenses, venceu-os na corrida e saiu na cara do Fábio, mas o goleiro conseguiu pegar. No lance, os botafoguenses reclamaram, pedindo pênalti, alegando um puxão de Bruno Rodrigo na camisa de Ribamar, quando o atacante entrava na área.

O Botafogo continuou pressionando e tentando encontrar o gol de empate. Aos 26 minutos, Anderson Aquino cobrou falta, a bola bateu na trave do gol de Fábio e saiu pela linha de fundo. O time celeste tentava imprimir a mesma velocidade do primeiro tempo, e quatro minutos depois de tomar susto com a bola na trave, o Cruzeiro chegou com perigo no cabeceio do aniversariante Arrascaeta, em um cruzamento do lateral Lucas. Na sequência, o Botafogo emendou duas grandes chances. Leandrinho recebeu uma inversão de bola e chutou de primeira, mas Bruno Rodrigo conseguiu fazer o corte pela linha de fundo. Em seguida, na cobrança de escanteio, Sassá cabeceou na trave.

A equipe alvinegra seguiu buscando o empate em sucessivas tentativas, mas o Cruzeiro encurtou a marcação e assegurou a vitória. No último lance de grande perigo do jogo, Anderson Aquino cobrou falta, a bola cruzou toda a área do Cruzeiro, mas ninguém conseguiu tocar para o gol, e Bruno Vianna mandou pela linha de fundo.