Rafael Moura não joga toalha após empate no fim: "Brigar, se entregar e desistir jamais"

Tanto centroavante quanto o técnico Marquinhos mantém a esperança de manutenção na Série A após 1 a 1 com o Corinthians, no Scarpelli

Rafael Moura não joga toalha após empate no fim: "Brigar, se entregar e desistir jamais"
Atacante marcou gol de empate já nos acréscimos (Foto: Divulgação/Figueirense)

Apesar de não ter somado os três pontos em casa contra o Corinthians, o Figueirense ainda tem chances de sair da zona de rebaixamento, por mais pequenas que sejam. O gol de Rafael Moura deu esperanças, apesar de poucas, do time permanecer na elite do futebol brasileiro após o 1 a 1 nesta quarta-feira (16).

Pouco mais de cinco mil pessoas foram ao estádio Orlando Scarpelli para ver o jogo de matar ou morrer, e no final das contas, não aconteceu nenhuma das duas opções, tudo porque o Figueira nem venceu e nem perdeu, e também o Vitória ainda joga na rodada, podendo confirmar a última pá de barro no caixão do clube catarinense. Tudo bem que a missão para os baianos é vencer o Santos na Vila Belmiro, mas há a possibilidade.

Analisando a partida em si, o técnico Marquinhos Santos definiu o resultado como justo, apesar do Furacão ter buscado o resultado mais na raça do que propriamente com a qualidade técnica. “Teve disposição. No rosto dos jogadores no intervalo, a gente via um ambiente de buscar o resultado de vitória. Acho que o empate foi um resultado justo pelo que as duas equipes fizeram”. 

Nesses momentos, o assunto rebaixamento é mais falado que propriamente a partida e Marquinhos Santos, apesar do cenário complicado, não desiste da permanência: “Não dá para jogar a toalha. Primeiro que somos profissionais e temos a responsabilidade de uma massa. São três jogos que temos que buscar as três vitórias. Fecha a rodada amanhã, e o jogo que nos interessa é entre Santos e Vitória. Temos que torcer pelo resultado de outros, porque não tivemos competência dento do campeonato”.

Rafael Moura, autor do gol de empate, capitão e referência do time, também falou ao final da partida sobre a delicada situação do Figueirense: “Se vocês da TV tão falando que a gente ainda tem chance, a gente vai com tudo para Salvador, e brigar, se entregar, e desistir jamais”.

O Figueirense volta a campo no próximo domingo (20), e é um confronto direto frente ao Vitória no Barradão, às 17h (horário de Brasília).