Próximos na parte de baixo da tabela, Vila Nova e Goiás fazem clássico pela Série B

Tigrão e Esmeraldino estão perto do Z-4 e precisam vencer para sair da situação incômoda

Próximos na parte de baixo da tabela, Vila Nova e Goiás fazem clássico pela Série B
Foto: Rosiron Rodrigues/GoiásEC
Vila Nova
Goiás
Vila Nova: Wagner Bueno; Jefferson Feijão, Douglas Assis, Anderson, Patrick; Reginaldo; Victor Bolt, Robston, Jean Carlos, Roger; Fabinho. Técnico: Guilherme.
Goiás: Renan; Johnatan, Anderson Sales, Wesley Matos, Jefferson; Willian, Wendel, David, Léo Sena; Rossi, Rafhael Lucas. Técnico: Leo Condé.
ÁRBITRO: Marielson Alves Silva (BA). Auxiliares: Leone Carvalho (GO) e Márcio Soares (GO).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no estádio Serra Dourada, em Goiânia/GO.

O estádio Serra Dourada, em Goiânia/GO, será palco do clássico da 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Vila Nova e Goiás se enfrentam neste sábado (25), a partir de 16h, buscando sair da região próxima à zona de rebaixamento. Este será o confronto de número 289 entre as equipes e a supremacia dos números é esmeraldina. São 146 vitórias do Goiás, ante apenas 66 do Vila e 76 empates.

O Tigrão ocupa a 13ª posição, com 13 pontos e vem de derrota em casa para o Criciúma na última rodada. Um novo revés pode colocar a equipe no Z-4. Já o Esmeraldino, após a chegada de Leo Condé, conseguiu duas vitórias, contra Avaí e Bragantino e inicia uma curva ascendente na competição. O time está no 15º lugar, com 12 pontos.

Vila Nova quer se recuperar em cima de seu maior rival e se livrar da fama de "freguês"

O retrospecto do derby do cerrado neste ano não é nada favorável ao Tigrão. Nos quatro encontros entre os rivais, foram duas vitórias do adversário e dois empates. Buscando mudar a maré de resultados negativos em clássicos, o treinador Guilherme finalizou a preparação da equipe com treinamentos que visaram, especialmente, o contra-ataque, a bola parada e a finalização. Sobre o clima da partida, o comandante ressaltou que é especial vencer o maior rival, não apenas por este aspecto, mas também para almejar objetivos maiores.

“A palavra clássico já diz tudo. Estamos focados e vimos que no Goiano fizemos bons jogos contra eles. Se estivermos concentrados, fazendo os bons jogos que a gente vem fazendo, temos tudo para sair com a vitória. Sabemos da importância desse clássico, não só por ser o clássico, mas para buscar coisas melhores no campeonato. E com certeza vencendo esse jogo vamos estar brigando lá em cima.”, disse.

Há apenas dez dias no comando do Vila Nova, Guilherme viu sua equipe marcar cinco gols, melhorando consideravelmente a média de efetividade do time. Vivendo o clima do clássico de perto, o técnico sabe que o elenco do rival é mais valioso e eles tem ao seu lado os bons números recentes. Porém, ele vê na partida a oportunidade de soerguimento no campeonato. Em conquistando os três pontos, a distância do Z-4 e, consequentemente, do Goiás, aumentaria, dando uma arejada no ambiente vilanovense.

“Eu já senti esse clima do clássico na rua, em dez dias que estou aqui, mas principalmente nesses dias que antecedem o clássico. E contra fatos não há argumentos, e o retrospecto é favorável sim a eles. Mas eu vejo como uma oportunidade de mudar esse retrospecto. A gente sabe da dificuldade e das diferenças, porque existe sim um abismo financeiro entre as equipes, mas eu vejo esse jogo como uma oportunidade, e não uma dificuldade.”, afirmou Guilherme.

Goiás quer se manter em ascensão na Série B para mudar a direção do olhar: de baixo para cima

A recuperação esmeraldina na Série B passa diretamente pela chegada de Leo Condé. As duas vitórias seguidas obtidas sob seu comando, contra Avaí em casa e Bragantino fora, trouxeram esperança ao time e ao torcedor do Verdão do Cerrado. Finalizando a preparação no CT Edmo Pinheiro, Condé comandou uma atividade tática para aqueles que não estiveram em campo durante os 90 minutos da última partida. Aos demais, foi direcionada uma atividade leve.

Sem mistério na definição da equipe titular e contando com os retornos do volante Wendel e do meia Wagner, Leo Condé declarou que é preciso passar confiança aos seus comandados, com cada um deles ciente de quem irá à campo inicialmente. “Minha ideia é manter a base da equipe que vem atuando nos últimos jogos. Temos o retorno do Wendel, o Léo Lima e o Jhon Cley não vão participar desta partida. Não há mistério. É hora de passar confiança para os atletas, eles já saberem quem irá jogar”, afirmou Condé.

Líder em campo e um dos destaques do time, o goleiro Renan considera de vital importância vencer o maior rival para seguir a trajetória de saída da "zona da confusão" e, quiçá, almejar algo mais no campeonato. “Todo clássico é importante, principalmente para o momento do clube e, sobretudo, para o torcedor. O jogo contra o Vila é importante para seguirmos neste caminho de recuperação. Os pontos de uma vitória são importantes para nos recolocar na briga por algo grande", declarou.