Ernando admite situação difícil no Brasileirão, mas destaca: "É delicada, mas é reversível"

De acordo com zagueiro colorado, não há mais margem para erros no campeonato, afinal, derrotas daqui para frente podem ser cruciais

Ernando admite situação difícil no Brasileirão, mas destaca: "É delicada, mas é reversível"
Ernando aponta má fase do Inter e afirma não ter mais margens de erros (Foto:Divulgação/Internacional)

Em um confronto direto pela saída do Z-4, o Internacional mais uma vez decepcionou e, consequentemente, agravou sua situação no Brasileirão. Com a derrota por 1 a 0 cedida em seus domínios para o Vitória, as chances de rebaixamento aumentaram relativamente para 59%, porcentagem que preocupa e muito os colorados.

Um dia após a derrota, o então capitão Ernando admitiu estarem vivendo uma situação difícil na competição. Situação que, pra ele, tem solução. O primeiro passo a ser dado, segundo o zagueiro, é buscar vencer o máximo de partidas para tentar fugir do rebaixamento.

"A situação é delicada, mas é reversível. Só nós podemos sair desta situação. Não é a diretoria, nem o torcedor. Somos nós, os jogadores", afirmou.

Para o capitão, a vasta sequência sem vencer na competição influenciou e muito o emocional dos atletas durante o embate. Outro fator a menos apontado pelo defensor, foi a ansiedade, a qual gerou uma falta de confiança desnecessária dentre os mesmos.

"É uma situação muito atípica ficar tanto tempo sem vencer. Talvez tenha criado uma falta de confiança dentro do grupo", apontou.

Ernando ainda deu méritos ao técnico Argel Fucks, que usou de seus conhecimentos dos tempos de Inter para ajustar seu time. O técnico montou estratégias de marcação, principalmente em cima do lateral William, minimizando as saídas de bola coloradas pelo lado direito do campo.

"Sabíamos que o treinador deles conhecia muito bem a nossa equipe e armou estratégias para isso. Colocou uma marcação individual do Marinho no William. Nós erramos, o treinador conhecia a característica do nosso time e criou uma marcação muito forte", disse.

Por fim, o mesmo apoiou o uso da matemática para os próximos confrontos, afinal restam apenas 13 partidas para o término da competição. Para ele, é importante continuar focando jogo a jogo, mas sempre tendo em mente que qualquer tropeço pode ser crucial.

"Tem que usar a calculadora. Tem que fazer os cálculos. Pensamos sempre no próximo jogo. O próximo é contra o América-MG, então vamos trabalhar pela vitória, mas não tem como não pensar nesta logística. Não podemos mais errar, principalmente em casa", finalizou.