Buscando o improvável, Portugal e Gana duelam no Mané Garrincha

Em Brasília e em Recife, Gana e Portugal decidem suas próprias vidas na Copa do Mundo de 2014. As duas seleções entram em campo para a disputa da última rodada do grupo G na capital federal nesta quinta-feira, às 13h (horário de Brasília). Contudo, parte de suas atenções estão voltadas para o jogo entre Estados Unidos e Alemanha, em Pernambuco, que acontece na mesma hora.

Para ir à próxima fase, tanto Portugal como Gana precisam vencer. Com um empate, ambas as equipes são eliminadas do Mundial sem disputar nenhum mata-mata. Para conseguir a classificação, porém, uma vitória simples não basta. O vencedor tem de torcer para que o confronto entre alemães e americanos não termine empatado, o que automaticamente garantiria a sobrevivência dos dois na competição.

Depois de conseguir uma vitória no seu próprio jogo e de dar a sorte de haver um vencedor no outro confronto, Gana ou Portugal ainda teriam que desempatar com o perdedor de Alemanha x EUA em saldo de gols, gols pró e confronto direto. Por tudo isso, é mais vantajoso para ganeses e lusos que a Alemanha, com 4 gols de saldo, vença o duelo contra os norte-americanos, que têm apenas 1 gol de saldo.

Envolvido em confusão por premiação atrasada, elenco de Gana acredita na classificação

Mesmo com imbróglio financeiro e greve, jogadores ganeses tentarão a classificação (Foto: Getty Images)

Os jogadores de Gana foram a campo, mas não treinaram na última atividade programada antes do jogo contra Portugal. Os atletas se recusaram a treinar por conta de uma dívida da federação de futebol do país, que prometeu uma premiação de aproximadamente 3 milhões de dólares pela classificação para o Mundial no Brasil.

A quantia, que foi transportada em espécie de Gana até o Brasil e conduzido por escolta policial até o hotel da delegação ganesa, foi entregue aos jogadores como prometido. O técnico James Appiah falou sobre a situação e defendeu a reclamação de seus jogadores. "É um direito dos jogadores (receber o dinheiro). Prometeram o pagamento para antes da viagem ao Brasil. É a mesma quantia que se paga aos jogadores em todo o mundo. A Fifa repassa o dinheiro para as delegação, que pagam os jogadores".

Appiah, porém, garantiu que o ocorrido não deve atrapalhar sua equipe na partida contra os portugueses: "Os atletas estão concentrados. Vamos deixar isso para trás e dar o melhor de nós dentro de campo. Defender as cores da nossa bandeira é o nosso maior objetivo", concluiu.

O meia Christian Atsu, do Chelsea, seguiu a mesma linha de declaração do comandante da seleção e assegurou concentração para o duelo decisivo: "Todos estão focados para a partida. Tivemos uma reunião com nosso capitão e mostramos isso. Essa partida é muito importante para o nosso povo, sabemos disso", assegurou.

O problema envolvendo o pagamento da premiação bota ainda mais pressão para o grupo de jogadores, segundo Atsu. "Uma derrota seria horrível para os jogadores, pois culparão a questão financeira. Não nos restam opções. Precisamos vencer de qualquer modo e fazer nosso povo orgulhoso", finalizou.

A seleção de Gana não poderá contar com o volante Sully Muntari, que está suspenso por ter tomado um cartão amarelo em cada uma das partidas nesta Copa. A entrada do veterano Michael Essien é improvável, já que Emmanuel Badu é o favorito de Appiah para assumir a posição. A saída do jogador do Milan da escalação deve ser a única grande alteração na montagem do time ganês para a partida.

Acreditando em "milagres", Portugal precisa golear para ter chances de sobrevivência

Ronaldo (à direita) ainda não marcou no Mundial e tentará quebrar o jejum diante de Gana (Foto: Getty Images)

De todas as equipes que entrarão em campo buscando a classificação no grupo G, Portugal é a que tem tarefa mais complicada. Após perder por 4 a 0 para a Alemanha na estreia e empatar por 2 a 2 com os Estados Unidos, os lusos têm de vencer para sonhar com a vaga nas oitavas de final. Com a vitória e, havendo um vencedor no confronto entre americanos e germânicos, Portugal decidirá sua vaga no saldo de gols. E é aí que reside o grande problema português.

Com um ataque comandado por Cristiano Ronaldo, os lusitanos têm um saldo ruim (-4) e precisarão cortar diferenças de 5 ou 8 gols, de Estados Unidos (1 de saldo) e Alemanha (4 de saldo), respectivamente. No entanto, desde o gol de Varela no fim do jogo contra os EUA, "desistir" é uma palavra que não configura no vocabulário dos portugueses.

O zagueiro Pepe, expulso no primeiro jogo após tentar intimidar e tocar sua cabeça com a de Thomas Muller, comentou sobre as pequenas chances de Portugal no Mundial. "Nós assumimos o nosso papel na Copa, mas ainda existe uma esperança e vamos tentar agarrá-la. Eu acredito em milagres", afirmou.

Se pretende passar de fase, Portugal precisará de gols. E para isso, confia em Cristiano Ronaldo. O melhor jogador do mundo em 2013 não vem tendo um desempenho muito bom no Mundial, mas foi decisivo para a seleção com um passe para gol no último minuto do empate com os Estados Unidos.

Como não basta apenas vencer, muitas das perguntas para os portugueses envolviam a partida entre EUA e Alemanha. Questionado sobre a possibilidade de um "jogo de compadres", com um empate que beneficiaria as duas equipes, o zagueiro Ricardo Costa se negou a acreditar que as duas seleções possam fazer qualquer coisa semelhante a isso. "Só pode estar à frente de seleções como essas quem tem dignidade. Futebol é paixão, é ganhar. Temos que acreditar que eles venham para ganhar a partida, e não para um amistoso. Tem de haver profissionalismo", concluiu.

VAVEL Logo