Mesmo com vice-campeonato, Argentina é recebida por milhares de torcedores no prédio da AFA
Delegação Argentina na chegada ao prédio da AFA, em Ezeiza (Foto: EFE)

Após um mês e cinco dias em terras brasileiras, a Seleção Argentina voltou ao seu país natal com o vice-campeonato da Copa do Mundo. No fim da manhã desta segunda-feira (14), o avião aterrizou no aeroporto de Ezeiza, e foi recebido com alguns torcedores e funcionários. A partir dali, o grupo de jogadores seguiu em caravana até o prédio da AFA (Associação de Fuebol Argentino), onde milhares de torcedores e a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, os esperavam.

Ainda na chegada no aeroporto de Ezeiza, Alejandro Sabella, diretor técnico da Albiceleste nessa Copa do Mundo, declarou: "Esse grupo entregou tudo e deixou a pele e a alma em campo". Os jogadores foram aplaudidos por muitos funcionários do aeroporto, que foram reverenciar seus ídolos.

Já no prédio da AFA, onde a delegação foi recebida por festa por milhares de argentinos, vários jogadores deram suas declarações. Mascherano, que recebeu o abraço mais apertado da presidente Cristina Kirchner, falou sobre o futuro: "A equipe trocou dúvidas por certezas. Mostramos como devemos competir. Tomara que, no futuro, tenhamos mostrado um caminho que se possa seguir". Masche, para muitos o melhor jogador da Argentina na competição, terá 34 anos na Copa do Mundo de 2018.

Depois de receber muitos elogios da presidente Cristina Kirchner, Sérgio Romero, goleiro titular da Argentina desde o início do ciclo Sabella, lamentou não ter cumprido seu sonho de conquistar o Mundial: "Esse grupo foi muito unido e se comportou muito bem nos 30 dias que estivemos no Mundial. Fomos leões e demos tudo em campo. Faltou o sorriso final".

Recebendo o microfone das mãos da presidente Cristina Kirchner, que gostaria de ouvir sua opinião, o capitão Lionel Messi também optou por projetar o futuro: "Chegamos no Brasil com muitas dúvidas de torcedores e jornalistas, que nos fizeram mais fortes, mais unidos. Agora devemos seguir trabalhando para darmos mais alegria ao país no futuro."

Emocionada, Cristina Kirchner declarou não ter visto nenhum jogo da Copa do Mundo, mas ter se orgulhado do feito do grupo de jogadores e comissão técnica: "Eu senti um orgulho imenso, como presidente de 40 milhões de argentinos, de como vocês defenderam as cores da República Argentina. Com diginidade, orgulho e capacidade. Além disso, superando adversidades que tiveram no caminho. Digo, em nome de todos argentinos, muito obrigado"

Veja a declaração de Sabella, alguns jogadores e da presidente da Argentina:

VAVEL Logo