Ex-goleiro da seleção uruguaia, Fabián Carini anuncia aposentadoria aos 37 anos
Divulgação / Juventud de las Piedras

A carreira de um dos maiores goleiros uruguaios chega ao fim. Com 37 anos, Fabián Carini defendeu a meta da seleção nacional em 74 partidas ao longo de sua trajetória, incluindo a participação na Copa do Mundo de 2002. Ele havia deixado o Juventud de las Piedras para firmar com o Montevideo Wanderers para a temporada 2017. O técnico do time da capital, Jorge Giordano solicitou outro goleiro, Leonardo Burián, para defender a meta do clube. Carini treinou por quatro dias visando sua sequência, mas uma lesão lombar o impediu de prosseguir. O arqueiro anuncia o término de sua carreira.

O técnico Giordano e os dirigentes uruguaios procuraram convencer Carini para que seguisse e pudesse jogar pelo Wanderers, mas o goleiro havia batido o martelo. A decisão foi confirmada na segunda-feira (9). O Montevideo Wanderers precisa arrumar outro arqueiro para disputar a Copa Libertadores da América, competição em que está na fase preliminar e enfrenta o Universitario Sucre, do Peru, nos dias 23 e 27 de janeiro.

Carini começou sua carreira no Danubio desde as categorias de base e onde atuou por três temporadas. Das seleções de base do Uruguai, chamou a atenção do mercado internacional e foi para a Itália. No Velho Continente, defendeu as metas italianas de Juventus, Inter e Cagliari. Também atuou pela Espanha e pela Bélgica. No território brasileiro, foi goleiro do Atlético Mineiro, com 19 jogos realizados pelo Galo, entre 2009 e 2010.

Esteve no Peñarol entre 2010 e 2012, chegando com o grupo à final da Copa Libertadores de 2011, quando os carboneros foram vice-campeões em derrota para o Santos. Em 2013, atuou no Deportivo Quito do Equador e desde 2014 defendia o Juventud de las Piedras, fazendo história pela equipe do interior uruguaio. O time do distrito de Canelones jogou a Copa Sul-Americana em 2015, em sua primeira competição internacional da história com Carini como goleiro. O time eliminou o Real Potosí, mas caiu nos pênaltis para o Emelec, na fase seguinte. Sem atuar pelo Wanderers, o Juventud de las Piedras foi efetivamente seu último clube.

Carini encerrou a carreira com quatro gols marcados. Longe da marca de Rogério Ceni, mas igualmente na história. Balançou as redes pelo Danubio, pelo Standard de Liége e duas vezes pelo Juventud, já no fim da carreira. Suas conquistas coletivas foram dois Campeonatos Italianos, uma Copa da Itália, uma Supercopa da Itália e um Campeonato Mineiro pelo Galo.

VAVEL Logo