Uruguai quebra tabu e supera Paraguai em jogo chave das Eliminatórias
Foto: LatinContent WO/Luis Vera

Em um dos jogos mais importantes da 16ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, o Uruguai, mesmo apresentando uma atuação bem ruim, derrotou o Paraguai, em pleno Estádio Defensores Del Chaco, e voltou a ter uma situação relativamente confortável na tabela do classificatório. Os gols da Celeste Olímpica foram marcados por Valverde e Gustavo Gómez (contra); Ángel Romero descontou para a equipe da casa.

Com o resultado, o Uruguai respira e se encontra na segunda colocação das Eliminatórias, com 27 pontos – estando 4 à frente do Chile, atualmente na sexta posição. O Paraguai, por sua vez, se estaciona nos 21 pontos e terá uma difícil missão para se classificar para a próxima Copa do Mundo.

Nas próximas duas decisivas rodadas, o Paraguai terá Colômbia, fora de casa, e a já eliminada Venezuela, no próprio Defensores del Chaco. A missão do Uruguai é mais fácil, já que enfrenta a Seleção Vinotinto longe de casa e fecha a sua participação contra a Bolívia, em Montevidéu.  

Primeiro tempo sem inspiração e de muita marcação

Como já era de se esperar, nenhuma das duas seleções se arriscou a atacar fortemente a outra, visto que o contra-ataque é uma das principais armas de ambas. Dessa maneira, os primeiros 45 minutos foram marcados por muitas faltas, disputas no meio campo e dificuldades das duas equipes em tentar se infiltrar nas defesas adversárias.

Impulsionado pela torcida no Defensores del Chaco, as duas primeiras grandes chances foram da seleção que jogava em casa. Aos três minutos, os irmãos Romero conseguiram uma boa trama, Ángel fez boa jogada pelo lado direito, tocou para Jorge Moreira, que cruzou para Óscar dar uma fraca cabeçada nas mãos de Muslera. Aos 23, em outra jogada pelo lado direito, o gêmeo do Corinthians cabeceou para o meio da área após um longo lançamento para Victor Cáceres chegar como elemento surpresa, mas finalizando para fora.

Tônica do primeiro tempo: muita marcação e pouco futebol (Foto: AFP/Daniel Duarte)
Tônica do primeiro tempo: muita marcação e pouco futebol (Foto: AFP/Daniel Duarte)

Apesar do nível da partida não ter sido o mais alto possível, a Seleção Uruguaia, após esses lances, passou a ter mais a posse de bola e assustar mais. Nas poucas vezes que colocou a bola no chão e conseguiu criar uma boa jogada, o jovem Federico Valverde deu um passe que cortou a defesa paraguaia e achou Cavani pelo lado esquerdo. O atacante do PSG, porém, não bateu do jeito que queria na bola, que passou muito perto da trave de Anthony Silva.

No decorrer da etapa, o Uruguai ainda teria mais uma chance de perigo: aos 33 minutos, Cáceres cobrou lateral forte na entrada da área, a defesa paraguaia afastou mal e a bola sobrou para Nandez, que chutou forte e a bola passou muito perto da trave do gol paraguaio. A primeira etapa ficaria nisso: tirando essas chances de gol, um jogo muito disputado no meio campo, com muitas faltas e pouca criatividade por parte dos jogadores.

Paraguai pressiona, tem as melhores chances, mas vê Uruguai marcar

Assim como na primeira etapa, o Paraguai iniciou os 45 minutos finais pressionando muito e buscando o gol. Com menos de cinco minutos, Óscar Romero por pouco não abriu o placar após um cruzamento vindo pelo lado esquerdo, que foi afastado por Martin Cáceres. Na cobrança de escanteio, na sequência do lance, Ortiz – que substituiu Victor Cáceres, machucado – subiu muito alto e obrigou Muslera a fazer uma boa defesa.

A pressão paraguaia continuaria e a seleção de Óscar Tabarez não conseguiria, nos primeiros momentos do segundo tempo, se criar na partida. Através de muitos cruzamentos e toques na entrada da área, a equipe do treinador Chiqui Arce voltou a assustar aos nove minutos, quando a defesa uruguaia foi obrigada a se defender de uma série de lançamentos para o meio da área.

Como o empate era, em tese, pior para o Paraguai, a equipe da casa continuava a pressionar o Uruguai. Seja por jogadas com Almirón e Ángel Romero pelos lados do campo ou por meio de cruzamentos, a Albirroja teve mais duas grandes chances de marcar. Após cruzamento de Óscar Romero, o zagueiro Gustavo Gómez, completamente livre, finalizou para fora e, minutos depois, Lucas Barrios, em outro cruzamento de Romero, desviou de costas e a bola por pouco não entrou no canto esquerdo de Muslera.

Toda pressão, porém, foi jogada por água abaixo: mesmo sendo pressionado e sem nenhuma pretensão de melhora na partida, o Uruguai abriu o placar. Aos 30 minutos, em um lance parecido com o do primeiro tempo, a defesa paraguaia afastou mal um lateral cobrado e a bola sobrou para Federico Valverde. Da entrada da área, o jovem chutou, teve a sorte da bola desviar em um jogador paraguaio e entrar no canto do goleiro Anthony Silva, que nada pôde fazer.

Valverde comemora o seu primeiro gol com a Seleção Uruguaia (Foto: LatinContent WO/Luis Vera)
Valverde comemora o seu primeiro gol com a Seleção Uruguaia (Foto: LatinContent WO/Luis Vera)

Com esse gol, o técnico Chiqui Arce sacou o volante Riveros e colocou o atacante Cecílio Dominguez. Dessa maneira, a defesa paraguaia estava menos protegida e o Uruguai se aproveitou justamente disso: Suárez foi lançado com liberdade, driblou o goleiro Muslera, ajeitou o corpo e chutou. A bola bateu no travessão e depois no zagueiro Gustavo Gomez e entrou.

A Seleção Paraguaia, mesmo sentindo os dois duros golpes, continuou tentando e, já no final da partida, aos 42 minutos, a defesa uruguaia afastou mal uma cobrança de escanteio, Cecílio Dominguez chegou batendo e Ángel Romero, na trave oposta, deu um carrinho para diminuir o placar.

Os paraguaios tentaram lutar na base dos cruzamentos para dentro da área, mas não conseguiu passar da forte defesa uruguaia, que ajudou a Celeste Olímpica a conquistar a sua primeira vitória sobre o Paraguai em Assunção em jogos válidos por Eliminatórias para a Copa do Mundo.

VAVEL Logo