Hoje no Chelsea, Morata lamenta curta passagem pela Juventus: "Não queria ter deixado a Itália"

Contratado pelo Chelsea na última janela de verão, para substituir Diego Costa, Álvaro Morata ainda dá os seus primeiros passos no futebol inglês. Com 25 anos, o atacante já vestiu camisas pesadas na Europa, como as de Real Madrid e Juventus.

Nesta segunda-feira (30), véspera do duelo entre Chelsea e Roma pela Uefa Champions League, o jovem espanhol concedeu entrevista ao jornal italiano Gazzetta dello Sport. Dentre os inúmeros assuntos abordados, a passagem de Morata pela Juventus foi um dos principais.

Demonstrando grande carinho pela Vecchia Signora, onde atuou entre 2014 e 2016, o espanhol falou sobre suas duas temporadas em Turim. Nas palavras do jogador, a Juventus o fez crescer e se desenvolver como atleta, e ter de retornar ao Real Madrid ao final de 2015/16 foi uma grande frustração.

"Retornei ao Real Madrid pois haviam cláusulas contratuais que precisavam ser respeitadas. Mas minha decepção foi enorme, na Espanha me vi de volta à estaca zero. Cheguei à Juventus como um garoto e saí como um jogador de verdade. Todavia, o Real me tratou como o menino que eu era antes das minhas duas temporadas na Itália", revelou.

Bicampeão da Serie A e da Copa Itália com a camisa juventina, Álvaro Morata fez questão de destacar a 'sede' de títulos do clube bianconero: "As marcas registradas da Juventus são a mentalidade vencedora e o grande profissionalismo", afirmou.

Além da plena adaptação ao clube e ao futebol italiano, o espanhol lembrou das inúmeras delícias de se viver na Itália. Morata fez questão de rasgar elogios ao país, reiterando que seu desejo, à época, era permanecer.

"Para um espanhol, a Itália é o melhor país pra se viver. Lá, você tem tudo: beleza, história, arte, culinária, moda. Se eu pudesse, jamais teria deixado o país e a Juventus. Minhas duas temporadas em Turim foram incríveis", concluiu.

VAVEL Logo