Giovinco resolve, Toronto é derrotado pelo Tigres, mas garante vaga na Concachampions

Dois gols de Gignac e vitória da equipe mexicana não são capazes de eliminar time da MLS, que segue para as semifinais da competição

Giovinco resolve, Toronto é derrotado pelo Tigres, mas garante vaga na Concachampions
Foto: Icon Sportswire/Getty Images
Tigres
3 2
Toronto
Tigres: Nahuel Guzman; Acosta (Damn), Ayala, Juninho, Torres Nilo; Dueñas, Rafael Carioca (Zelarayán); Sosa, Vargas, Aquino; Gignac
Toronto: Bono; Mavinga (Hagglund), Moor, Zavaleta; Van der Wiel, Bradley, Delgado (Vazquez), Osorio, Morrow (Auro); Giovinco, Altidore

Uma das partidas das quartas de final da Concacaf Champions League foi resolvida com muita emoção. Apesar de um primeiro tempo fraco tecnicamente, Tigres e Toronto fizeram uma etapa complementar de tirar o fôlego e, no Estádio Universitario, a equipe mexicana até venceu o duelo por 3 a 2, mas foi eliminada por conta do critério dos gols fora de casa. Rafael Carioca, contra, e Sebastian Giovinco marcaram para os visitantes, enquanto que André-Pierre Gignac, em duas oportunidades, e Eduardo Vargas balançaram as redes para os donos da casa.

Com um placar desfavorável, o Tigres fez valer do mando de campo, já que a torcida não parava de cantar no Estádio Universitario e começou atacando desde os primeiros instantes. Com o francês André-Pierre Gignac, que começou no banco na partida de ida, em campo, a equipe mexicana levava muito perigo, principalmente com jogadas nascidas nos lados do campo, com os pontas Javier Aquino e Ismael Sosa.

O Toronto, por sua vez, se mostrou muito apático em campo. Jogando em cima da vantagem conquistada na semana passada, a equipe canadense praticamente não assustou o Tigres. Controlando pouco a posse da bola, os comandados de Greg Vanney apenas viram os mandantes jogarem, apesar da sólida atuação defensiva no terço final do gramado.

A principal chance da primeira etapa ocorreu aos 24 minutos, e, obviamente, foi a favor do Tigres: Gignac fez boa jogada pela esquerda, passou de Zavaleta com um drible entre as pernas do marcador e cruzou para o meio da área, da onde surgiu Sosa, que finalizou. A bola, com toda certeza, ia morrer no fundo das redes, já que o goleiro Bono estava fora da jogada, mas o zagueiro Mavinga apareceu e conseguiu tirar a bola em cima da linha com um cabeçada.

A etapa complementar foi bem mais equilibrada. Apesar do Tigres continuar mais ativo no ataque, o Toronto não se focou em apenas defender e, aproveitando os espaços deixados pelos mexicanos, assustava em perigosos contra-ataques. E foi justamente em um desses, aos 19 minutos, que o placar foi aberto: Jonathan Osorio recebeu bola pelo lado esquerdo, encontrou Giovinco nas costas da defesa, e o italiano cruzou, buscando Altidore, que estava na marca da cal, mas Rafael Carioca se adiantou e completou contra a própria meta.

Mesmo assim, a torcida do Tigres não parou de apoiar e parece que isso influenciou na equipe dentro do campo: aos 24 minutos, Jurgen Damn cobrou escanteio, a bola passou por alguns marcadores e encontrou Eduardo Vargas, que nem precisou pular, para empatar a partida. A euforia, porém, seria contida, já que, quatro minutos depois, Sebastian Giovinco cobraria falta com perfeição, acertando o ângulo de Nahuel Guzman, para voltar a colocar o Toronto em vantagem.

A cobrança de falta de Sebastian Giovinco (Foto: Divulgação/MLS)

Precisando marcar três gols, a equipe de Tuca Ferretti não abdicou de atacar e, após muito pressionar, conseguiu empatar. Aos 39 minutos, Dueñas deu sorte em uma disputa com Haggelund dentro da área e conseguiu espaço para avançar e cruzar no outro lado, da onde apareceu André-Pierre Gignac, que apenas teve o trabalho de completar para o gol. As arquibancadas, por sua vez, foram ao delírio, já que restavam cerca de oito minutos e os donos precisavam de dois gols.

Alguns minutos após o tento, o atacante francês chegou a desperdiçar uma chance clara, finalizando para fora após receber sozinho dentro da área. Os últimos minutos foram de uma enorme pressão do Tigres, que conseguiram um pênalti aos 47 minutos, após Van der Wiel cortar a bola com sua mão. Na cobrança, Gignac não desperdiçou, marcou seu segundo gol na noite, mas já não havia tempo para uma reação, o que representou a segunda eliminação de uma equipe mexicana para uma da MLS nesta noite.

Com isso, a equipe de Greg Vanney garante vaga nas semifinais da principal competição da América do Norte e Central pela segunda vez em sua história e aguardará o vencedor do confronto entre Tauro, do Panamá, e América, do México, que jogarão na próxima quarta-feira (14). Na primeira partida, os mexicanos venceram por 4 a 0.