Holanda atropela no primeiro tempo e consegue vitória contundente contra Portugal

Depay, Babel e van Dijk marcaram os gols da vitória por 3 a 0 da Oranje em Genebra, a primeira sob o comando de Koeman; alternativas de Fernando Santos não dão certo e portugueses perdem invencibilidade

Holanda atropela no primeiro tempo e consegue vitória contundente contra Portugal
Capitão, Virgil van Dijk, fez o terceiro da partida (Foto: Divulgação/Ons Oranje/KNVB)
Portugal
0 3
Holanda
Portugal: Anthony Lopes; João Cancelo, Rolando (Neto, intervalo), José Fonte, Mário Rui; Bruno Fernandes (João Mário, min. 78), Adrien Silva (Gonçalo Guedes, intervalo), Manuel Fernandes, André Gomes (André Silva, intervalo); Ricardo Quaresma (Gelson Martins, min. 55), Cristiano Ronaldo (João Moutinho, min. 68). Técnico: Fernando Santos
Holanda: Cillessen; Tete (Til, min 78), de Ligt (Fosu-Mensah, min. 84), van Dijk, Aké, Vilhena (de Vrij, min. 67); Wijnaldum (de Roon, min. 67), Pröpper, van de Beek; Depay (Kluivert, min. 78), Babel (Berghuis, min. 84). Técnico: Ronald Koeman
Placar: 0-1, min. 11, Depay. 0-2, min. 32, Babel. 0-3, min. 45+2, van Dijk
ÁRBITRO: Ruddy Buquet, auxiliado por Guillaume Debart e Hicham Zakrani, todos da França. Amarelos: João Cancelo (POR); Tete, de Roon (HOL). Vermelho: João Cancelo (POR)
INCIDENCIAS: Partida amistosa realizada no Estádio de Genève, em Genebra, Suíça

Fora da Copa do Mundo, a Holanda vem se reformulando e, no segundo jogo sob o comando de Ronald Koeman, bateu Portugal, atual campeão europeu, por 3 a 0. Depay, Babel e van Dijk fizeram os gols da vitória da Oranje em Genebra. Os portugueses não perdiam desde 28 de março de 2017, um total de 14 jogos. Essa foi a primeira vitória dos holandeses contra esse rival desde 1991, em jogo pelas Eliminatórias da Eurocopa de 1992.

As duas equipes vieram para a partida com várias alterações em relação ao jogo anterior, mas a Holanda sempre foi o time mais organizado. Com muitos espaços a frente de sua zaga e dificuldades para atacar pelos bem defendidos lados do campo, Portugal, que mudou nove titulares em relação ao jogo contra o Egito, foi presa fácil para os holandeses.

Aos 10, em contra-ataque puxado pelo meio, Tete recebeu pela direita e cruzou para trás para van de Beek, que pegou mal, mas Memphis Depay apareceu no meio do caminho e mandou de carrinho para o fundo do gol. Mesmo com mais posse de bola - 61% -, Portugal só teve duas finalizações e, mesmo com longos períodos de posse de bola, não teve armas para infiltrar na defesa rival.

Depay finaliza para fazer 1 a 0 (Foto: Getty Images)
Depay finaliza para fazer 1 a 0 (Foto: Getty Images)

Aos 30, Ronaldo caiu dentro da área em dividida com van de Beek, pediu pênalti, mas o árbitro Ruddy Buquet, após checar o VAR, mandou o jogo seguir. Dois minutos depois, em boa jogada pela direita, de Ligt tabelou com Wijnaldum, cruzou forte e Babel desviou de cabeça, fuzilando o goleiro para fazer 2 a 0. 

A primeira finalização de Portugal só veio aos 39 minutos. Bruno Fernandes recebeu lançamento dentro da área e, pressionado conseguiu finalizar, mas Cillessen segurou sem problemas. Três minutos depois, quase o terceiro da Holanda. Vilhena recebeu com espaço pela esquerda, cruzou no meio da área e Depay subiu livre para cabecear, parando em grande defesa de Lopes. Mas, nos acréscimos, não teve goleiro que salvasse. Depois de bola alçada na área, de Ligt ajeitou para trás e van Dijk bateu de primeira, no canto de Lopes para fechar o primeiro tempo com um sonoro 3 a 0.

As entradas de André Silva, Gonçalo Guedes e Neto deram um novo panorama ao jogo, e passou a criar espaços e oportunidades. Aos 2, após cobrança de falta para a área, Cristiano Ronaldo desviou de cabeça na primeira trave, mas Cillessen caiu e espalmou para fazer grande defesa. Dois minutos depois, Quaresma avançou pela direita, invadiu a área e, mesmo com pouco ângulo, finalizou na direção do gol, exigindo boa defesa do goleiro.

Portugal parecia perto de um gol, mas, aos 17, João Cancelo parou o contra-ataque com um pisão no tornozelo de Vilhena, e acabou levando o segundo cartão amarelo, deixando a Seleção Portuguesa com um a menos. A expulsão do lateral-direito da Inter diminuiu o ímpeto português, apesar de que a Holanda não teve muitas chances.

Aos 28, Mário Rui subiu pela esquerda e arriscou chute de longe, exigindo boa defesa de Cillessen no canto. Ronald Koeman promoveu as estreias do meia Guus Til, do AZ, e também de Justin Kluivert, filho do histórico jogador da Oranje, e atacante do Ajax, mas os dois tiveram pouca influência.

Só no final do jogo, Portugal voltou a assustar. Aos 43, em cobrança de falta de Moutinho, Gonçalo Guedes desviou no canto e Cillessen se esticou para fazer mais uma grande defesa. No minuto seguinte, Gonçalo Guedes recebeu na linha de fundo, cruzou no meio da pequena área e André Silva finalizou, mas van de Beek salvou e cortou no meio do caminho, a última grande chance da partida em Genebra.

As equipes voltam para a campo nas datas Fifa em maio. Já após a convocação da Copa, Portugal jogará no dia 28/5 contra a Tunísia, às 17h, no Estádio da Pedreira, em Braga. Já a Holanda continua seu trabalho de reformulação contra a Eslováquia, em Trnava, no dia 31/5, às 15h45.