Faltou um: Roma vence, mas Liverpool garante vaga e volta a decidir UCL depois de 11 anos

Faltou um: Roma vence, mas Liverpool garante vaga e volta a decidir UCL depois de 11 anos

Equipe da casa é melhor durante a partida, vence por 4 a 2, mas não consegue classificação; assim como na outra semifinal, polêmicas de arbitragem marcam duelo

mathenrique
Matheus Henrique

Nesta quarta-feira (2), Roma e Liverpool se enfrentaram pela segundo jogo das semifinais da Champions League. A partida foi disputa no Estádio Olímpico de Roma, na capital italiana. O time da casa bateu os ingleses por 4 a 2, porém, não conseguiu tirar a vantagem adquirida pelo adversário no jogo da ida e foi eliminado. Os gols da partida foram marcados por Mané, Milner (contra), Wijnaldum, Dzeko e Nainggolan (2x).

Na ida, a equipe inglesa bateu os italianos por 5 a 2 e conquistou grande vantagem para o jogo da volta. Sendo assim, a Roma precisava bater o Reds por três gols ou mais para sacramentar a vaga para a tão sonhada final.

Sendo assim, o time da casa trocou sua formação do último jogo, utilizando uma mais ofensiva, com três atacantes, com o intuito de tomar a iniciativa da partida desde o apito inicial. Por sua vez, o Liverpool, com a larga vantagem em mãos, optou por segurar o jogo e usar a sua melhor arma durante a temporada: o contra-ataque. E foi assim que os ingleses deram seu primeiro golpe. Aos nove minutos, após erro de passe de Nainggolan, Firmino recebeu a bola com a zaga adversária completamente desprotegida e observou a infiltração de Mané. O brasileiro tocou para o senegalês, que abriu o placar da partida. Com isso, a Roma precisaria fazer quatro gols.

Mané abriu o placar da partida. Foto: TF-Images/Getty Images
Mané abriu o placar da partida. Foto: TF-Images/Getty Images

Se baseando no milagre contra o Barcelona, na fase anterior da competição, os giallorossi não desacreditaram da partida tão facilmente e a resposta não demorou para acontecer. Apenas seis minutos depois, Lovren tentou afastar toque de cabeça de El Shaarawy e acertou Milner, que acabou jogando a bola contra as próprias redes em lance bizarro. Belo ou não, o importante para a Roma era reduzir ao máximo a vantagem adversária, e foi o que aconteceu. O time da casa precisava descontar a mesma vantagem inicial, porém, com 15 minutos a menos.

Mas o time inglês também tinha um objetivo na partida: reduzir ao máximo as esperanças sempre que pudesse. Após o gol, a equipe italiana criou empolgações ao lado de sua torcida. Porém, dez minutos depois, o Liverpool jogou o banho de água fria. Em confusão na área, Wiljnadum surgiu sozinho na pequena área e cabeceou para o fundo das redes. Alisson nada pôde fazer, fora reclamar de impedimento, mas não adiantou. Restando ainda quase metade da primeira etapa, os mandantes ainda deram susto nos visitantes, após chute na trave de El Shaarawy, no entanto, não conseguiram empatar o placar.

A campanha da Roma foi motivo de orgulho para os torcedores durante toda a competição. Com as reações ocorridas no torneio, a volta para a segunda etapa vinham juntas de uma nova dose de esperança aos giallorossi. Com isso, os jogadores voltaram para o campo sem o pensamento de desistência e começaram pressionando os ingleses. A pressão deu certo: logo aos três minutos, Dzeko surgiu em ótima posição contra Karius, que tentou tirar a bola do atacante e o derrubou. O pênalti seria marcado se o auxiliar não tivesse marcado impedimento de forma equivocada. Essa seria a primeira reclamação da Roma com a arbitragem.

O artilheiro Dzeko deixou novamente sua marca na reação da Roma. Foto: Filippo Monteforte/Getty Images
O artilheiro Dzeko deixou novamente sua marca na reação da Roma. Foto: Filippo Monteforte/Getty Images

Por sua vez, o time da casa tentou passar por cima dos obstáculos e focou na reação. E ela veio rapidamente. Três minutos depois, a Roma utilizou do veneno adversário e empatou a partida. Após erro de Firmino, a equipe da capital italiana saiu rapidamente em contra-ataque. No terço final, El Shaarawy chutou, Karius não conseguiu segurar a bola e deixou rebote nos pés de Dzeko, que não perdoou. 

O gol serviu para aumentar a esperança e manter a Roma na luta pela tão almejada final. Porém, a arbitragem tratou de travar a reação. Aos 17 minutos, o árbitro Skomina Damir não viu o toque de mão de Alexander-Arnold após chute de El Shaarawy na pequena área. A reação da Roma só viria no final, mas não causaria mudanças. Aos 41 minutos, Nainggolan, em sua característica, acertou forte chute de fora da área e deixou a Roma em vantagem no placar. Sete minutos depois, já no limite do tempo regulamentar, o árbitro marcou pênalti após mão de Klavan dentro da área. Novamente, o belga Nainggolan bateu e fez o quarto gol da Roma. Mas não dava mais tempo para a sequência da reação.

Sendo assim, a partida acabou definida em 4 a 2 e o Liverpool se classificou. Ciente do esforço e empenho dos jogadores, a torcida da Roma protagonizou um belo show em apoio aos profissionais.

A gloriosa final da competição será disputada no dia 26 de maio, quando os ingleses enfrentarão o Real Madrid. Vale lembrar que os Reds são donos de cinco títulos do torneio, cujo não chegava na final havia mais de 10 anos, quando foi vice-campeão contra o Milan na temporada 2006-07.

Jogadores homenagearam Sean Cox, torcedor agredido pela vândalos romanos nos arredores de Anfield. Foto:
Jogadores homenagearam Sean Cox, torcedor agredido por vândalos romanos nos arredores de Anfield. Foto: Julian Finney/Getty Images
VAVEL Logo
CHAT