Carlos Queiroz detona VAR e exalta atuação do Irã contra Portugal: “Merecíamos ganhar”

Melhor que Portugal em campo, Queiroz destaca seus jogadores e questiona o uso do árbitro de vídeo

Carlos Queiroz detona VAR e exalta atuação do Irã contra Portugal: “Merecíamos ganhar”
Divulgação: Getty Images

O Irã empatou em 1 a 1 com Portugal, no último jogo do Grupo B, nessa tarde de segunda (25). A vitória – e a classificação – não vieram por pouco. Os portugueses saíram na frente com Quaresma, em um golaço, mas o Irã empatou com Ansarifard em um pênalti, aos 90 minutos.

Carlos Queiroz não gostou nem um pouco dos critérios usados para o uso do VAR. O técnico português cobrou a expulsão para Cristiano Ronaldo em um lance polêmico, onde o juiz aplicou apenas o amarelo.

A cotovelada foi muito clara. O que diz a regra sobre uma cotovelada? Foi uma "meia cotovelada"? Temos o certo e o errado. Não existe "um pouco honesto". Ou está certo ou errado”, esbravejou.

Ainda muito irritado, o comandante dos iranianos pediu o fim do VAR e fez um apelo para a FIFA. O português pediu, também, para que todos tenham acesso ao áudio entre o juiz em campo com o responsável pelo vídeo.

A verdade é que precisamos parar com o jogo de VAR. Foi uma cotovelada. E cotovelada significa cartão vermelho na regra. Na regra não diz se foi com Messi ou Ronaldo”, comentou.

As decisões precisam ser claras para todos. Na minha opinião, Sr. Infantino e Fifa: todos concordam que o VAR não está indo bem. Essa é a realidade. Quando tem uma decisão do VAR, eu preciso saber a conversa que eles estão tendo. As pessoas precisam saber o que está acontecendo. Não é "é uma cotovelada, mas tome cuidado”, pediu.

O treinador da seleção iraniana não foi só críticas em sua entrevista. Queiroz fez questão de parabenizar sua equipe, e disse que mereciam mais a vitória, que não veio por pouco.

Os jogadores do Irã estão de parabéns. Foi um jogo digno de Copa do Mundo. Pela disciplina, atitude, pela maneira com que o Irã controlou o jogo, se tivesse de haver um vencedor nesse jogo, o vencedor deveria ser o Irã. Controlamos o jogo, os passes. Em termos de organização, de competitividade, de atitude, decisões, mentalidade, acho que merecemos ganhar o jogo, mas parabéns a Portugal”, finalizou.