Ilicic doutrina, Atalanta supera Valencia mais uma vez e aumenta
façanha na Champions League
Foto: Divulgação/Atalanta BC

Um jogo impossibilitado de ter a presença de público é algo comparável à morte em âmbito esportivo, guardadas as devidas proporções e situações. Apenas trabalhos fundamentais da emissora que detém os direitos de transmissão tiveram acesso, o que impediu a presença não apenas do torcedor, mas de grande parte da imprensa mundial. Como uma compensação, o que ocorreu em campo foi de encher os olhos. A história foi escrita em seus dois lados. No negativo, o silêncio de quem eleva o futebol a um nível singular. No positivo, o brilho de uma equipe que se fortalece a cada dia.

Em jogo disputado na tarde/noite desta terça-feira (10), Valencia e Atalanta protagonizaram uma partida de muitos gols. Melhor para os italianos, que novamente venceram em um duelo espetacular. Com todos os gols marcados por Ilicic, a equipe de Bergamo venceu por 4 a 3. Gameiro (duas vezes) e Ferrán Torres descontaram aos espanhóis. O confronto foi realizado no Estádio Mestalla, em Valencia/ESP, válido pelas oitavas de final da Uefa Champions League 2019-2020 e realizado com portões fechados devido ao surto de coronavírus que deixa a Europa em máximo alerta.

Foto: Lázaro de La Peña/Valencia CF
Foto: Lázaro de La Peña/Valencia CF

Intensidade desde o início

O Valencia tinha a dura missão de vencer por 3 a 0 ou por quatro gols de diferença, uma vez que foi goleado por 4 a 1 no primeiro confronto, disputado na Itália. Mas a situação ficou ainda mais complicada quando Diakhaby derrubou Ilicic na área e a arbitragem marcou pênalti. O próprio atacante cobrou no meio do gol e abriu o placar para a Atalanta. Sem poder estar no Mestalla, o torcedor valenciano se aglomerou nos arredores e incentivava o time espanhol, mesmo com o panorama mais difícil. Os mandantes foram ao ataque e Rodrigo quase empatou o jogo aos oito minutos, mas o goleiro Sportiello fez boa defesa no forte chute do atacante.

Mas o empate veio aos 20 minutos. Rodrigo recuperou a posse de bola no meio de campo e acionou Gameiro em lançamento. O centroavante precisou ser insistente. Na primeira tentativa, Palomino fez o corte parcial, mas a segunda tentativa resultou em bola na rede. A Atalanta não se intimidou com a vantagem e a pressão do Valencia. Muito pelo contrário, contou com o talento de Papu Gómez e Ilicic para continuar a levar perigo ao gol adversário, que respondia e fazia um jogo completamente aberto. Aos 40 minutos, Diakhaby colocou a mão na bola e, após revisão da arbitragem na cabine de vídeo, outro pênalti foi marcado. Ilicic mais uma vez foi à cobrança e mandou no canto direito de Cilessen para recolocar os bergamascos na frente do placar mais uma vez.

Foto: Lázaro de La Peña/Valencia CF
Foto: Lázaro de La Peña/Valencia CF

Segundo tempo frenético

Não tinha tempo nem para piscar os olhos no segundo tempo. Certamente algum detalhe foi perdido durante esse curto período. O Valencia ter voltado mais ofensivo deixou o jogo ainda mais franco. Mais necessitados por uma remontada, o time da casa pressionou nos primeiros minutos. Na primeira tentativa foi no cabeceio de Fernán Torres, mas Sportiello fez belíssima defesa. A resposta italiana foi com chute perigoso de Ilicic, que parou no travessão. Aos cinco, novo empate. Cruzamento de Wass na direita e Gameiro subiu e testou para as redes. A pressão valenciana era natural, assim como os espaços deixados ao contra-ataque adversário. Pressão controlada na defesa, ataque eficiente e bola na rede. Aos 21, Dani Parejo fez belíssimo lançamento para Ferrán Torres, que viu Sportiello sair da meta e o encobriu.

A vitória parcial de 3 a 2 deixava o Valencia com a classificação mais próxima da vista, mas longe do ideal. Era necessário fazer 5 a 2. Em vez de marcar mais dois gols, os espanhóis sofreram mais dois, pela inspiração de Ilicic. Era o dia do atacante esloveno ser o principal expoente da façanha histórica da Atalanta. Logo aos 25 minutos, em contra-ataque desenvolvido por Zapata, o centroavante foi acionado. Bola trazida ao pé esquerdo e indefensável para Cilessen.

Com o triplete e o 13º gol em 11 jogos disputados em 2020, Ilicic pediu substituição, mas não foi atendido. O resultado: mais um gol. Freuler tocou para o camisa 72, que finalizou no contrapé do goleiro para marcar o quarto tento na partida. Apenas Lionel Messi (duas vezes), Robert Lewandowski e Mario Gomez têm o mesmo feito. Mas apenas Ilicic tem o protagonismo de dar a um clube de 112 anos o capítulo mais lindo de sua história, que pode ainda ser ampliado.

VAVEL Logo