Com dois de Cavani, Uruguai goleia Paraguai e assume liderança isolada

Decidindo ainda no primeiro tempo, Celeste supera Albirroja em jogo tranquilo; derrota faz paraguaios seguirem fora do grupo classificatório

Com dois de Cavani, Uruguai goleia Paraguai e assume liderança isolada
Foto: Miguel Rojo/AFP/Getty Images
Uruguai
4 0
Paraguai
Uruguai: Muslera; Corujo, Giménez, Godín e Gastón Silva; Arévalo Ríos, Carlos Sánchez, Cristian Rodríguez e Gastón Ramírez (Álvaro Pereira, min. 86); Suárez (Abel Hernández, min. 75) e Cavani (Stuani, min. 71). Técnico: Óscar Tabárez
Paraguai: Barreto; Moreira, Pablo Aguilar, Paulo da Silva e Candia; Ortigoza (Marcos Riveros, min. 64), Cristian Riveros, Ayala (Almirón, min. 55) e Óscar Romero; Dario Lezcano (Federico Santander, intervalo) e Ángel Romero. Técnico: Francisco Arce
Placar: 1-0, min. 17, Cavani; 2-0, min. 41, Cristian Rodríguez; 3-0, min. 45, Suárez; 4-0, min. 53, Cavani
ÁRBITRO: Wilton Pereira Sampaio (BRA). Cartões amarelos: Giménez (min. 8), Gastón Ramírez (min. 56) e Pablo Aguilar (min. 73)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 8ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, realizada no Centenario, em Montevidéu, no Uruguai

Sem esforços e com a força da torcida, o Uruguai recebeu o Paraguai nesta terça-feira (6), em jogo válido pela 8ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Matando o confronto ainda no primeiro tempo, a Celeste goleou bem a Albirroja por 4 a 0, com gols marcados por Cavani, duas vezes, Cristian Rodríguez e Suárez, de pênalti.

Com a vitória, os uruguaios não apenas permanecem invictos dentro de casa, mas também se isolam na liderança, a depender do placar da Argentina, que enfrenta a Venezuela, com 16 pontos. Já os paraguaios seguem na 6ª colocação, fora do grupo classificatório, com os mesmos 12 pontos ganhos de antes.

Os times voltam a jogar, pela 9ª rodada das Eliminatórias, apenas em outubro. Os Charrúas enfrentarão a Venezuela novamente dentro de seus domínios, enquanto que os Guaranis vão medir forças diante da Colômbia também em casa, contudo ambos ainda sem data e horário definidos pela Conmebol.

Uruguai mostra atuação segura e sai em boa vantagem

Tentando se reabilitar da derrota contra a rival Argentina, o Uruguai apostou na força da sua torcida para não dar espaço ao Paraguai, que vem sendo o visitante indigesto, sendo batido apenas uma vez. Com a motivação vinda das arquibancadas, a Celeste apertou e fez com que a Albirroja ficasse acuada, em um jogo de ataque contra defesa.

Mostrando que estavam melhor, os mandantes rodaram a bola com o intuito de penetrar no sistema defensivo dos visitantes, porém sem a criatividade suficiente. Contando com erro do adversário na saída de bola, os uruguaios tiveram um contra-ataque, quando Suárez fez boa jogada pela direita e serviu Cavani, que tocou tirando de Barreto.

Do meio para o fim, os anfitriões valorizaram o resultado alcançado e trocaram passes para aumentar o placar, buscando prolongar o tabu de 15 anos sem perder para os paraguaios. Mesmo com o nervosismo dentro de campo, os donos da casa seguiram sendo eficientes e foram às redes novamente. Após cobrança de escanteio fechada no meio da pequena área, Cristian Rodríguez, ex-Grêmio, cabeceou firme para o fundo do barbante.

Já nos minutos finais, a persistência acabou recompensada com nova falha no sistema defensivo dos guaranis, quando Suárez ganhou pelo lado esquerda e foi derrubado pelo zagueiro Aguilar. Na cobrança, o atacante do Barcelona bateu segurou e fez o público no Centenario ir ao delírio.

Cavani marca mais um e Celeste confirma vitória

Para o segundo tempo, Arce buscou mexer na referência ofensiva do Paraguai, ao colocar Federico Santander no lugar de Dario Lezcano, que foi mal no primeiro. A mudança, no entanto, não surtiu efeito e a equipe seguiu sem produtividade, dando espaços na defesa. Após boa jogada pela esquerda, Suárez foi persistente e cruzou na medida para Cavani, que cabeceou sozinho para o fundo do gol.

Com maior volume de jogo, o Uruguai permaneceu no ataque e foi ao setor ofensivo mais livre, tocando bem a bola e procurando liberdade para ampliar o placar. Suárez voltou a ser garçom do camisa 21, que que saiu de frente para o arqueiro adversário, mas bateu fraco e para boa intervenção.

As atuações empolgantes dos dois principais jogadores uruguaios fez o comandante descansá-los, promovendo a entrada de Stuani Abel Hernández, dando assim novo fòlego. Já pelo lado guarani da moeda, Arce deu maior poder na zona de ataque e equilíbrio ao meio-campo, mas sem conseguir criar com qualidade, o que fez o confronto seguir em baixa ofensividade.

Valorizando a boa vantagem, os Charrúas tiveram condições de ir às redes pela quinta vez no duelo, mas preferiram segurar mais a bola e aproveitar os erros paraguaios. A Albirroja, improdutiva e insegura, não atacou frequentemente e mostrou pouca vontade de atacar, com o marcador permanecendo inalterado até o apito final.