Ex-Atlético-PR, Hernani admite influência de Neymar em sua ida ao Saint-Etiénne

Volante, de 23 anos, estava no Zenit e jogará no clube francês por empréstimo

Ex-Atlético-PR, Hernani admite influência de Neymar em sua ida ao Saint-Etiénne
Hernani já foi apresentado oficialmente ao Saint-Etiénne (Foto: Divulgação/ASSE)

Equipes da Ligue 1 anunciando brasileiros como reforços se tornou algo comum de se ver em tempos recentes. Nesta janela, há exemplos como os de Luiz Araújo, Thiago Mendes (ambos ex-São Paulo) e Thiago Maia (ex-Santos) no Lille, Jonathan Cafu (ex-São Paulo) e Otávio (ex-Atlético-PR) no Bordeaux, Gabriel Silva (ex-Palmeiras) no Saint Etiénne, e, claro, a maior estrela do esporte brasileiro, Neymar, que completou uma transferência recorde ao ser trazido pelo PSG.

A ida do camisa 10 da Canarinho ao clube da capital, inclusive, pode beneficiar outros jogadores brasileiros que buscam maior visibilidade. Pelo menos é o que acredita Hernani, outro novo reforço do Saint-Etiénne. O volante, de 23 anos, jogava pelo Atlético-PR até o fim de 2016, quando foi vendido para o Zenit por 8 milhões de euros.

No clube russo, o jogador não teve muitas oportunidades até o momento e aceitou uma transferência por empréstimo para o maior campeão francês. O próprio Hernani admitiu a influência de Neymar em sua decisão. "Sem dúvida nenhuma essa ida do Neymar para o PSG teve uma importância na minha decisão. É um astro do futebol mundial, um dos melhores jogadores do mundo e que trouxe todas as atenções para a França", disse.

O volante prosseguiu, vislumbrando possíveis confrontos contra o compatriota. "Os times do país já contavam com jogadores de alto nível, mas essa vinda do Neymar vai ajudar muito no crescimento do futebol local e fazer com que as pessoas olhem com mais atenção também. Espero que a gente possa se enfrentar e que sejam grandes duelos, cada um defendendo as cores do seu time, e que eu possa sair vencedor", afirmou.

Na mesma entrevista, Hernani esclareceu os pontos que levaram à sua transferência, sendo o principal deles as intenções do técnico Roberto Mancini. "Cheguei ao Zenit no início desse ano e ainda tenho mais cinco anos de contrato com o clube, e foi me apresentado um projeto que me empolgou muito. Só que houve uma troca de treinador e comissão técnica, o que alterou todo o planejamento do clube. O técnico atual [Mancini] disse que contava comigo, mas eu sentia que não seria tão aproveitado, então surgiram algumas propostas para sair e achei que seria o mais adequado para a minha carreira", explicou.

Após sua chegada no Zenit, Mancini tem causado polêmica ao contratar argentinos como Paredes, Kranevitter, Driussi e Mammana e se desfazer de brasileiros como Giuliano, que vem sendo convocado por Tite. Hernani, no entanto, negou que haja uma rejeição do técnico com jogadores tupiniquins. "Não acredito que seja algo específico com brasileiros, e sim uma filosofia de trabalho dele", encerrou.


Share on Facebook