Ex-atacante Vieri elogia trio de zaga da Itália: "São maus, intensos e fortes"

Ex-jogador falou sobre a equipe de Conte na Eurocopa e rasgou elogios ao trio 'BBC'

Ex-atacante Vieri elogia trio de zaga da Itália: "São maus, intensos e fortes"
Bonucci é um dos representantes do trio 'BBC' (Foto: Getty Images)

Christian Vieri foi um atacante exemplar, um goleador nato que brilhou de forma intensa pelas áreas italianas. São vários títulos coletivos e inúmeras conquistas pessoais, seja por Lazio, Inter, Juventus ou outra equipe por onde passou. Aposentado, muito perto de completar 43 anos (ele faz aniversário no próximo dia 13), Bobo Vieri concedeu uma longa e exclusiva entrevista ao jornal italiano Gazzetta dello Sport, em sua versão física, nesta sexta-feira (1º).

Entre vários assuntos, quase todos relacionados ao desempenho da Itália na Eurocopa 2016, Vieri falou sobre a qualidade do trio de defesa da Azzurra. Sendo um centroavante à moda antiga, de zagueiros ele entende: "Bonucci, Barzagli e Chiellini são os últimos representantes dos zagueiros legítimos no mundo. Eles são maus, intensos e fortes", afirmou o ex-atleta. De fato, a Itália de Conte tem se caracterizado pela solidez defensiva nesta edição da Euro.

"Não há mais ninguém como Bonucci, Chiellini e Barzagli. Os outros não fazem ideia do que significa ser zagueiro na Itália", continuou Vieri, atualmente comentarista. "Eu dei um pulo quando a Itália fez o segundo gol contra a Espanha. Esses garotos despertaram o interesse de todo o país. A conquista mais importante é ganhar o apoio de seu povo, e isso eles já conseguiram. São vencedores", disse. "Buffon pode jogar até os 50 anos, ele é o melhor [goleiro] de todos os tempos".

"Buffon é louco. Em 1997, estávamos jogando na Rússia com -16 ºC. Nós em campo estávamos congelando, então Pagliuca se machucou. Olhei para o banco e vi Buffon, aos 19 anos, de camisa e manga curta, se preparando ansioso para entrar em campo. É louco", falou Vieri. "A Alemanha é a melhor seleção do mundo, mas ele têm tudo para perder. A Itália vai cuspir sangue até o fim, estamos famintos", comentou Bobo, claramente otimista.