Apesar das boas chances de conquistar o Mundial, Amarildo afirma: "Não acho que o Brasil é favorito"
Ex-jogadores da Seleção foram homenageados no Morumbi (Foto: Ricardo Stuckert/CBF)

Presentes ao Morumbi nesta sexta-feira (6), para acompanhar o amistoso entre Brasil e Sérvia, os ex-jogadores Mengálvio, Pepe e Amarildo deram suas opiniões sobre o futuro do time do técnico Luiz Felipe Scolari. Mengálvio e Amarildo creem que a equipe de Felipão ainda não está 100% preparada para a Copa, pelo curto período de treinamentos. Mesmo assim, eles consideram boas as chances brasileiras de levantar a taça.

"Treino é treino, jogo é jogo. Vejo esses jogos antes da Copa como treinamentos. Não adianta: amistoso e Copa do Mundo é diferente. Quando chegar lá, a coisa fica séria. Eles estão preparados psicologicamente. Sabem da importância e responsabilidade que têm. Não vão tremer. Mas dizer que a Seleção está 100% seria deselegante", afirmou Mengálvio.

Amarildo foi bastante pessimista e diz que não vê o Brasil como principal candidato ao caneco mais cobiçado do futebol mundial.

"Não acho que o Brasil é favorito. Tem chances, mas conhecendo as outras seleções não acho que será fácil. Se o time for muito ajudado pelos nossos torcedores, aí as nossas chances aumentam", ressaltou o ex-jogador.

Já o segundo maior artilheiro da história do Santos e ídolo da equipe da Vila Belmiro, Pepe disse acreditar que Neymar está se poupando antes do início da Copa do Mundo. O camisa 10 do Brasil teve atuação regular na vitória por 1 a 0.

"O time do Brasil ainda apresenta alguns desacertos, mas tenho que certeza até a Copa tudo será ajeitado. Acho que o Neymar está puxando o breque de mão e se poupando, para chegar com tudo na Copa do Mundo", disse Pepe.

Amarildo, Mengálvio e Pepe foram alguns dos ex-jogadores e campeões mundiais que entraram em campo no Morumbi antes da vitória brasileira sobre a Sérvia, em homenagem prestada pela CBF.

Neste mesmo jogo, os presidentes José Maria Marin e Marco Polo Del Nero também foram homenageados. A presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, acompanhada de seu filho Bruno, presenteou-os com capacetes do grande campeão de Fórmula 1. O evento foi realizado no intervalo da partida e foi promovido pela Gillette do Brasil, patrocinadora oficial da Seleção Brasileira.

O presidente Marin ficou muito feliz com a lembrança pelo valor simbólico e histórico representado pelo capacete do maior do piloto brasileiro.

"Ayrton Senna foi um ídolo de todo povo brasileiro. Ser homenageado com o seu capacete, um símbolo das suas vitórias, é motivo de muito orgulho e satisfação", falou o presidente.

O amistoso contra a Sérvia foi o último teste da equipe antes da abertura diante da Croácia, na próxima quinta-feira (12), na Arena Corinthians.

VAVEL Logo