São Paulo domina o jogo, mas cede empate para o Criciúma no Morumbi
(Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

Apesar de ampla vantagem técnica diante do Criciúma, o São Paulo saiu do Morumbi vaiado na noite de sábado (2). Em um jogo definido pelo mal apoveitamente do ataque dos donos da casa, a partida terminou empatada em 1 a 1, com gols de Alan Kardec Rodrigo Souza. Os dois tentos de importância também indivual para os atletas: Kardec marcou seu primeiro gol no Morumbi, e Souza o primeiro gol do Criciúma fora de casa nesta edição do Brasileirão 2014.

Apesar das vaias da torcida da casa,quando a torcida já se mostrava impaciente, Álvaro Pereira arrancou aplausos dos São Paulinos: aos 25 minutos, caiu no gramado, ao bater a cabeça com força no chão. Após atendimento médico, saiu de maca e voltou ao gramado logo depois, se recusando a deixar o campo, em cena semelhante à vista na Copa do Mundo.

Na próxima rodada, o São Paulo permanece no Morumbi para enfrentar o Vitória, no próximo domingo (10), em busca da reabilitação. Já o Criciúma, mais tranquilo após pontuar após duas derrotas seguidas, rebece o Cruzeiro no Heriberto Hülse, em Cricoúma. A partida acontece no próximo sábado (9).

Pressão e domínio dos donos da casa não se converte em gols

Logo nos primeiros minutos de jogo, o padrão de jogo das duas equipes ficou nítido: o Criciúma fechado na defesa tentando forçar o erro adversário, e o São Paulo trabalhando a bola com calma tentando acionar Pato e Kardec. No início de jogo, a estratégia carvoeira foi superior: logo no início do jogo, Wellington Bruno cobrou um escanteio fechado, Rafael Toloi desviou de cabeça e Silvinho quase subiu na segunda trave para completar ao gol.

Apesar do bom começo, a estratégia do Criciúma logo se mostrou infrutífera, e as chances de gol na primeira etapa foram raras. Pelo lado tricolor, o contrário: a equipe criou as principais jogadas ofensivas, buscando acionar sempre o atacante Alexandre Pato, autor das principais oportunidades de gol.      

A primeira boa ofensiva paulista veio aos 13 minutos. Maicon, substituindo Kaká na armação junto de Ganso, lançou a bola para o impedido Alexandre Pato. Cinco minutos depois, o atacante se movimentou bem e conseguiu encontrar novo espaço entre a defesa, desta vez em posição regular.

O São Paulo aumentou o ritmo, trocando passes mais rápidos, e o Criciúma se viu envolvido pelo tricolor. Wellington Bruno lesionou-se aos 18 minutos de jogo – agora são cinco jogadores no Departamento Médico da equipe catarinense – e Higor, o primo de Kaká, entrou em campo. No lance seguinte, Rafael Costa cruzou para Bruno Lopes, que finalizou para a única defesa de Rogério Ceni no jogo.

Na metade final da primeira etapa, o São Paulo pressionou e não deu mais chances ao Tigre, que ainda buscava o primeiro gol fora de casa na competição. Aos 30 minutos, Souza sugiu como elemento surpresa entre os zagueiros, mas mandou a bola por cima do gol. Na sequência, Alexandre Pato tentou novamente, mas esbarrou no goleiro Luiz. No rebote, outra finalização, esta explodindo na zaga.

Aos 35 minutos, mais trabalho para Luiz. Desta vez foi Álvaro Pereira que mandou uma bomba para defesa do arqueiro catarinense. Já na casa dos 40 minutos de jogo, Alexandre Pato recebeu belo lançamento de Paulo Henrique Ganso, mas finalizou fraco e desperdiçou oportunidade clara de abrir o marcador para premiar a insistência do meio-campo e ataque São Paulino. 

Ao final da primeira etapa, o São Paulo deu 11 chutes à gol – 5 chutes foram de Pato – e 185 passes completos, contra 4 tentativas do Criciúma e apenas 83 toques na bola. Apesar da superioridade, as duas equipes foram para o vestiário empatadas.

São Paulo insiste no ataque, mas cede empate para o Tigre

O São Paulo voltou para o segundo tempo com o mesmo ritmo intenso da primeira etapa do confronto, e aos 5 minutos de jogo, já havia chutado três vezes. O meio-campo São Paulino, guiado por passes e lançamentos precisos de Ganso, continuava a criar oportunidades ofensivas, mas o ataque continuava mostrando ineficiência.

A atuação de Alexandre Pato foi contestada ao segundo tempo. Aos 15 minutos, após receber excelente passe do Ganso, ficou cara a cara com Luiz. Entretanto, no momento de definir a partida, o atacante chutou fraco e o goleiro ficou com a bola. A nova oportunidade desperdiçada provocou gritos de “Luis Fabiano, Luis Fabiano” por parte da torcida São Paulina presente no Morumbi.

As alterações feitas no segundo tempo não mudaram o panorama do jogo. Rodrigo Caio, com suspeita de torção no joelho, saiu de campo aos 15 minutos de jogo, dando lugar à Paulo Miranda. Sem o jogador, a proposta continuou a mesma: pressionar o Criciúma. Luiz se mostrou o melhor jogador do Criciúma no jogo, e evitou que a pressão dos donos da casa – que durou praticamente todo o segundo tempo – se transformasse em vantagem no placar.

Aos 28 minutos, a pressão ininterrupta da equipe de Muricy Ramalho finalmente deu certo: Souza tabelou com Ganso, que deu um tapinha para Kardec. O camisa 14 bateu na saída de Luiz e abriu o placar, marcando seu primeiro gol na casa tricolor.

Logo em seguida, Alexandre Pato deu lugar à Ademilson, e o Criciúma, diante da possibilidade de terminar a rodada na zona de rebaixamento, tentou mudar o panorama do jogo já ao final da partida. Aos 35 minutos, quando a partida já parecia definida, o Tigre cobrou falta da intermediária e surpreendeu a torcida e adversários no Morumbi. Rogério Ceni espalmou a bola para a pequena área e Rodrigo Souza empurrou para o fundo das redes, decretando o empate do Criciúma, em uma das poucas oportunidades da equipe catarinense no ataque.

Após o gol, o São Paulo voltou para o ataque, correndo contra o tempo para virar a partida. Ademílson, Ganso e Rafael Tolói – o último carimbando a trave, em posição irregular – conseguiram finalizar a gol, mas a virada nçao veio. Ao apito final, vaias para os jogadores, que deixaram o gramado com a sensação de derrota, apesar do amplo domínio.

VAVEL Logo