Com time titular completo, Atlético-MG recebe Tupi na estreia do Campeonato Mineiro 2015
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Prometendo ser um dos Estaduais mais competitivos e rentáveis do futebol brasileiro, o Campeonato Mineiro 2015 terá início na tarde deste domingo (01). E um dos principais jogos é entre dois galos muitos tradicionais em MG. Atlético e Tupi vão rolar a bola às 17h (de Brasília), no estádio Independência, em Belo Horizonte, com promessa de grande público na arena do Horto. 

O Atlético tem a hegemonia do estado. Com 42 títulos, sendo que conquistou o primeiro campeonato em 1915, o Galo busca o terceiro título só nesta década. Com uma equipe competitiva e forte, o time do estreante Lucas Pratto conta com a manutenção do elenco como grande trunfo, não só para o sucesso no estadual, mas durante toda a temporada. 

Por outro lado, o Tupi, também uma das mais antigas agremiações do estado, tem o Galo Carijó como mascote. Após bater na trave na Série C do Campeonato Brasileiro de 2014, o time de Juiz de Fora quase comemorou o acesso à segunda divisão do Brasil. Tamanho destaque, a equipe treinada pelo técnico Felipe Surian perdeu quase todo o seu elenco da temporada passada, permanecendo apenas cinco jogadores e o treinador. O Tupi sempre se mostrando uma equipe disposta a chegar entre os quatro primeiros.

Com Pratto na linha de frente, o Atlético quer estrear com pé direito

Após mostrar que a equipe apresenta o mesmo entrosamento da temporada passada, mesmo mudando a principal característica da equipe, que era a movimentação incessante, o Atlético terá força máxima em campo para a estreia do Campeonato Mineiro.

Da equipe campeã da Recopa Sul-Americana e da Copa do Brasil, o Galo tem apenas a entrada do atacante argentino Lucas Pratto como grande novidade. O centroavante de 26 anos já anotou seu gol na temporada contra o Shakthar Donetsk, da Ucrânia, em amistoso disputado no Independência, no dia 21, vencido pelo Galo por 4 a 2.

Nesta semana, Levir Culpi tratou de aperfeiçoar aquilo que vem dando certo, porém, nos últimos dias dois, teve problemas para escalar a equipe, já que o meia Dátolo e o lateral-esquerdo Douglas Santos se queixaram de dores e ficaram sem treinar. Contudo, os dois jogadores treinaram ontem, juntamente com o time titular e ambos não apresentaram problemas, confirmando presença na partida diante do Tupi.

O meio-campista Leandro Donizete enalteceu a força do grupo atleticano e aprova o rodízio feito pelo técnico Levir Culpi na equipe. "Temos um elenco muito forte. Não tem time titular e reserva. Todos já foram titulares. Tem que descansar um pouco um e deixar o outro jogar. Vamos trabalhar os dois times. Temos potencial para isso. Faz parte do planejamento e é bom sim, dar uma descansada", analisou.

Após reformular elenco, Tupi quer fazer bonito na estreia

Após três vitórias e um empate nas partidas da pré-temporada, o Galo Carijó agora tem pela frente o Atlético. Em 2014, o time conseguiu vencer o adversário por 2 a 0, em Juiz de Fora, porém o confronto dessa vez será disputado na arena Independência, onde o Atlético tem um dos melhores aproveitamentos como mandante no Brasil.

O técnico Felipe Surian trabalhou a base do time na pré-temporada e já sabe a equipe que deverá escalar contra o "Galo da capital". Mesmo assim, o treinador tem problemas para definir a formação por ordem extra-campo. Os jogadores Thiaguinho, Hugo Sanches, Paulinho e Marcinho não estarão presente no jogo porque os nomes dos jogadores não estão Boletim Informativo Diário da CBF. 

Dos titulares, apenas o lateral-esquerdo Thiaguinho é o grande desfalque. Dois jogadores lutam pela vaga: Osmar e o veterano zagueiro Fabrício Soares, com tendência maior para Fabrício. E o defensor resumiu como "inesperada" a chance de enfrentar o Atlético.

"Não foi da maneira que eu queria, né? É uma posição diferente, infelizmente os jogadores da posição não vão poder jogar por problemas extra-campo, mas isso é o grupo. Não podemos dispersar em nenhum momento, porque o campeonato é complicado e as chances aparecem. Comigo a ideia é fortalecer a linha de quatro atrás, para dar liberdade  do nosso meio-campo para frente. Tenho que ficar mais ali atrás, até pelas minhas características. Espero cumprir bem o papel se for o escolhido", disse Fabrício ao Globoesporte.com.

VAVEL Logo