Dudu: a contratação promissora do Palmeiras na temporada
Foto: Divulgação/Palmeiras

Em 5 de Janeiro, Dudu surpreendeu o mercado ao decidir que jogaria no Corinthians."Eu já tinha dado minha palavra ao Edu (Gaspar, gerente de futebol). Se ele acertasse com o Dínamo (Kiev), eu iria jogar lá. Quero jogar no Corinthians. Essa é a minha vontade. Estou conversando com o Gil (zagueiro) há bastante tempo e ele sempre me disse da grandeza que o clube tem" falou. O jogador queria já participar da pré temporada alvinegra. Na época, o São Paulo fazia forte concorrência pela contratação do atacante que foi destaque do Grêmio, em 2014.

A disputa era acirrada, era como um clássico fora de campo entre Corinthians e São Paulo, ganhou um final inesperado. No dia 11 de janeiro, o Palmeiras divulgou que havia assinado com Dudu, e o jogador já se apresentaria para a pré temporada do clube. Chapéu. Foi um dos grandes trabalhos do dirigente Alexandre Mattos. A torcida vibrava com a construção do novo time e agora com um dos principais jogadores do último campeonato. Ele foi a oitava contratação, o reforço de peso que a veio devido ao aumento do programa de sócios torcedor Avanti.

Gustavo Raganiccki/ Esporte Interativo

Chegada ao clube após chapéu nos rivais

Dudu chegou na academia com festa, era um reforço de peso prometido pela diretoria e com o gosto de ter atravessado a negociação com os maiores rivais. "[...] Pesou a vontade de nosso cliente, que mesmo após declarar publicamente que não via no São Paulo sua melhor escolha, continuou sendo procurado insistentemente pelos dirigentes do clube até a citada reunião de sexta, quando pessoalmente agradeceu e recusou o convite", falou os empresários do atacante, Marcelo Goldfarb e Marcelo Robalinho, Bruno Paiva e Fernando Paiva.

As declarações bastaram para que criar acirrar o clima de rivalidade entre os times e aumentar a auto estima do palmeirense. A chegada de Dudu também tem haver com o otimismo que passou a tomar conta da Sociedade Esportiva Palmeiras após a temerosa campanha de 2014, onde o time quase foi rebaixado em ano de centenário. O aumento dos sócios e a nova diretoria tratavam de construir um novo time e passava por Dudu a nova fase do clube.

"Teve interesse dos dois clubes. Naquele momento, pelos meus empresários falarem que estava mais para ir para o Corinthians dei aquela declaração. Mas não havia interesse do Palmeiras ainda. Depois o Alexandre veio e me apresentou o projeto, falou que seria bem recebido aqui. Aí decidi vir para o Palmeiras e participar do projeto. Tenho certeza que será um ano maravilhoso pro Palmeiras e pra minha carreira" falou Dudu durante sua apresentação.

Com fama de driblador e garçom, foi bem recebido pelo treinador Oswaldo de Oliveira que em sua estréia, no amistoso contra o Red Bull Brasil, elogiou a atuação do jogador de 23 anos: "Foi muito bem, gostei muito. Aliás, nos treinamentos ele vem crescendo bastante. É um dos que chegou um pouco mais tarde, requer mais tempo para se condicionar. Ele caminhou bastante para se condicionar e se entrosar com os companheiros." O jogador viria a estrear oficialmente no Campeonato Paulista contra a Ponte Preta.

Miguel Schincariol/Estadão Conteúdo

Adaptação para atingir o auge no clube

Em 2014, defendendo as cores do Grêmio, Dudu foi o mais efetivo assistente a gol do time com 5 assistências. O jogador também contribuiu com o ataque do time distribuindo 51 passes que se transformaram em finalização. No tricolor gaúcho, Dudu fez 21 cruzamentos certeiros, principal marca do time do time pelo Campeonato Brasileiro, sendo mais efetivo nessa função que Zé Roberto, quando jogaram juntos no ultimo ano. Outra grande marca deste jogador são os dribles, foram 77 dribles certos, maior do time nesse quesito também. Balançou as redes apenas três vezes.

Dudu é frequentemente usado pelas laterais do campo, como um ponta ou meia mais recuado. No Palmeiras, Oswaldo procura explorar a velocidade nos contra golpes e a aproximação com os ataques para aproveitar a qualidade no ultimo passe. Porém, o jogador está em fase de adaptação e aos poucos vem conseguindo jogar o futebol de que o transformou em reforço de peso. Ele já passou até por criticas da torcida.

Até agora, os números mostram que Dudu é bastante participativo no ataque, foram 19 passes que geraram finalizações e três que viraram gol. Com liberdade para atacar, ele tem seis finalizações certas terceira melhor marca do time. Em assistências, o jogador ainda pouco produz, só duas até agora pelo Campeonato Paulista, bem atras do líder do time Robinho nesse quesito. Entretanto, sua principal característica não se perdeu, pois com 10 dribles, Dudu já empata com Allione como o mais driblador do elenco Alviverde.

Por enquanto, Dudu, assim como todo time do Palmeiras precisam passar por um entrosamento. A equipe está sendo reconstruída e vinha tendo atuações irregulares. Na estréia do jovem atacante, contra a Ponte Preta na derrota em casa, em uma partida que o time errou bastante finalizações e jogadas individuais, era um time sem corpo ainda, sendo formado. Vieram as derrotas nos clássicos, contra Corinthians e Santos. O discurso era de continuar trabalhando para que os resultados aparecessem de forma natural.

"Eles têm de entender que, quando der para passar a bola, vou passar. Quando não der, não vou passar. Ficam reclamando muito, entendeu? Tem de deixar mais o jogador jogar. No primeiro tempo já estavam pegando no pé do Allione. Tem de deixar. Se for para vir ao estádio é para apoiar, não para ficar chiando na arquibancada" respondeu Dudu as criticas da torcida.

O clássico contra o São Paulo, no entanto, foi diferente e deu uma prova do que esse pode ser capaz. Dudu e todo o time palmeirense fizeram tudo certo taticamente para ganhar do rival por 3 a 0. Dudu foi destaque que se espera, driblando, participando e catimbando como manda um bom jogo entre rivais. Depois desse jogo, que enfim, deu para analisar como ele pode ser importante para os avanços do time nesta temporada.

Trajetória na carreira

Revelado na base do Atlético Goianiense, em 2005, Dudu começou a ser tratado como diamante a ser lapidado. Disputou torneios e venceu quase todos, chamando a atenção dos olheiros do Cruzeiro. Em 2009 ele se transferiu para a Toca da Raposa, onde iniciaria seus trabalhos no time mineiro. Em minas ele se envolveu em polêmicas, quando foi acusado de agredir esposa e sogra, sendo detido e solto após pagamento de fiança. Fora isso, o jogador não tem histórico de polêmicas por onde passou.

No Cruzeiro ele participou de 25 jogos entre 2009 e 2012 e fez dois gols, foi emprestado para o Coritiba em 2010 onde participou da campanha do acesso a elite do futebol nacional, atuando por 21 jogos pelo time da capital paranaense e não anotou nenhum gol. Após essa passagem, foi acertado sua transferência para futebol ucraniano, onde jogaria pelo Dínamo de Kiev.

Entre 2011 e 2014, Dudu vestiu a camisa do Dinamo em 31 oportunidades, anotando 3 gols durante o tempo em Kiev.

Dudu voltou ao Brasil por empréstimo para jogar no Grêmio, onde conseguiu destaque nacional, atuando em 53 partidas pelo tricolor gaúcho e marcando 8 gols. Fez a melhor temporada por um time em sua carreira e foi ganhando cada vez mais espaço no time de Luis Felipe Scolari. Seu desempenho chamou atenção de Corinthians e São Paulo, mas antes o jogador foi disputado pelo próprio Grêmio que sonhava com a renovação do contrato de empréstimo.

Projeção para 2015

Quando o elenco estiver entrosado e começar a ter regularidades nas partidas, cada jogo será um palco para um show a parte de Dudu, que tem tudo para se tornar ídolo do clube. Já chegou com a marca da rivalidade, aos poucos terá identificação necessária para ter seu nome gritado nas arquibancadas. Porém, é necessário que ele também tenha mais atuações regulares, participação mais efetiva da produção ofensiva do time. Afinal, de contas entrega em campo ele tem demonstrado.

Dudu hoje é um dos jogadores que mais erra passe no elenco, também o que mais sofre desarmes e por isso precisa evoluir nos para ajudar o time a alçar maiores voos esta temporada. Apesar do peso da contratação, Dudu não pode ser a principal estrela do time, sim uma peça importante, mas precisa do auxilio. No melhor jogo, até agora, a vitória contra o São Paulo mostrou um jogo coletivo muito forte, colaborou para que Dudu pudesse realizar suas jogadas. Desse modo, quando o time conseguir atingir o auge, com certeza a torcida ver as melhores atuação de Dudu.


Ficha Técnica

Nome: Eduardo Pereira Rodrigues

Nascimento: 7 de Janeiro de 1992

Nacionalidade: Brasileiro

Altura: 1,67m

Clubes por onde passou: Cruzeiro (2009-2011), Coritiba (2010), Dinamo de Kiev (2011-2014), Grêmio (2014)

Títulos: Campeonato Brasileiro Série B (2010), Campeonato Mineiro (2011)

VAVEL Logo