Brigas, sufoco e salvação: Romário colocava o Brasil na Copa de 1994
(SEM FOTO) Entre goleadas e grandes atuações, Brasil atropela rivais nas Eliminatórias para a Copa de 1994

24 anos sem saber o que era um título de Copa do Mundo, o Brasil encerrou o jejum no ano de 1994, conquistando o tetracampeonato graças ao pênalti na lua do italiano Roberto Baggio. Antes disso, no entanto, a Seleção Canarinho teve que assegurar a sua vaga no Mundial disputando as Eliminatórias. Vamos relembrar como foi a campanha verde e amarela naquela ocasião.

Hoje disputada em pontos corridos, as Eliminatórias daquele ano tiveram um formato diferente do que estamos acostumados. Foram divididos dois grupos, o Grupo 1 contava com 4 seleções (Colômbia, Argentina, Paraguai e Peru), e o Grupo 2 com 5 (Brasil, Bolívia, Equador, Venezuela e Uruguai). Vale lembrar que o Chile foi impedido de disputar a competição em virtude do caso Roberto Rojas, goleiro que fingiu ser atingido por um sinalizador em partida disputada em 1989 contra o Brasil no Maracanã, e acabou provocando a suspensão do seu país.

A Seleção Brasileira não teve dificuldades na competição. Classificou-se na primeira posição do grupo com 12 pontos conquistados. Das oito partidas disputadas, o Brasil venceu cinco, empatou duas e perdeu apenas uma. Seu único revés aconteceu na altitude de La Paz, 2 a 0 para os bolivianos. Das vitórias, o destaque vai para as duas goleadas em cima da Venezuela por 5 a 1 e 4 a 0 e da Bolívia por 6 a 0. Os bolivianos terminaram a competição como segundo colocado da chave e também asseguraram vaga para o Mundial que seria disputado nos EUA no ano seguinte.

Pelo Grupo 1, Colômbia e Argentina, respectivamente, garantiram classificação para a Copa do Mundo, mas ambas tiveram pontuação inferior a Seleção Brasileira. Os colombianos terminaram a competição com 10 pontos conquistados, enquanto os argentinos obtiveram 7. O Brasil ainda atingiu importantes marcas estatísticas, sendo a Seleção com mais vitórias, cinco, e menos derrotas, apenas uma, além de ter sido a que mais aplicou goleadas, três, mas perdendo por 2 gols para a Bolívia como melhor ataque da competição, 22 a 20.

A Seleção comandada por Carlos Alberto Parreira tinha Taffarel no gol, Jorginho e Branco nas laterais e Ricardos Gomes e Rocha formando a dupla de zaga. Dunga, Mauro Silva, Zinho e Rivaldo completavam o meio campo, com a dupla Bebeto e Romário na frente. De todo o time titular, apenas Ricardo Gomes e Rivaldo não estiveram na Copa do Mundo. O primeiro foi cortado por lesão antes do início do torneio e o segundo ficou de fora da lista final e não foi convocado.

VAVEL Logo