Dorival Júnior não se mostra satisfeito com empate, mas valoriza ponto somado diante das circunstâncias adversas
(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Na tarde do último domingo, o Santos empatou sem gols com o Joinville na casa do adversário, em partida válida pela 34º do Campeonato Brasileiro. Aliado ao tropeço do São Paulo, o resultado manteve o Peixe no G-4. Em contrapartida, o placar não alterou o frágil desempenho da equipe jogando longe de seus domínios, onde conquistou apenas uma vitória.

Em entrevista após o jogo, o técnico Dorival Júnior teceu um breve comentário sobre o cotejo. Logo após, ponderou: o que se viu na Arena Joinville sequer pode ser chamado de futebol.

"Hoje jogamos um jogo muito brigado, disputado. Na realidade não foi um jogo, não foi uma partida de futebol. Foi uma briga constante durante 90 minutos. Mesmo assim, a equipe, dentro das circunstâncias, ainda se comportou muito bem", analisou.

Por outro lado, o treinador não se mostrou satisfeito com o resultado, mas valorizou o ponto somado diante dos catarinenses. Muito em função das péssimas condições do gramado, castigado pela chuva.

"(O gramado) Prejudicou demais a qualidade do espetáculo e não tivemos a partida a altura daquilo que gostaríamos, nem Santos nem eles ficaram satisfeitos. No fim de tudo isso, o resultado de empate foi importante pela manutenção na tabela. Diminuiu uma rodada no campeonato. Seria importante um resultado positivo, mas, dentro das circunstâncias, não vejo razão para lamentar", disse.

Em outro momento, Dorival explicou ainda a substituição de Lucas Lima, que saiu no intervalo do embate para a entrada de Alison. Na visão do comandante, a faixa central do campo estava mais pesada que as laterais. O camisa 20 do Peixe já havia recebido um cartão amarelo - o terceiro dele, que o deixa de fora do próximo compromisso da equipe, contra o Flamengo -, o que também gerou um certo receio de uma eventual expulsão. Em suma, a decisão se deu com o intuito de dar uma maior sustentação ao meio-campo.

Artilheiro do Nacional com 20 gols anotados, Ricardo Oliveira lançou discurso semelhante ao do comandante. O atacante foi enfático ao afirmar que o resultado não foi bom. Em contrapartida, também levou em consideração a condição do gramado, que impossibilitou a prática do melhor futebol.

"Não (foi bom). Santos não pode jogar por empate. Mas é claro que com um campo desse fica impraticável, difícil de pôr nossa qualidade. Mas é o que se deu hoje para o jogo, e saímos com um ponto", avaliou Oliveira, que agora se apresenta na Seleção Brasileira para os confrontos contra Argentina e Peru.

Por fim, o experiente Renato foi mais otimista em relação aos companheiros elencados. O meio-campista argumentou que a rodada foi boa para o Alvinegro. Palmeiras e São Paulo, concorrentes por uma vaga entre os quatro primeiros, perderam seus respectivos jogos.

"Eu não sei se é dissabor (o empate), porque a rodada ajudou. Seria melhor os três pontos, claro, mas a equipe lutou até o final. Continuamos no G-4 e agora é pensar no Flamengo, adversário na próxima rodada", concluiu.

VAVEL Logo