Marcelo Oliveira aprova garra do Palmeiras, mas cobra organização na final da Copa do Brasil
Comandante alviverde cobra organização do time (Foto: Divulgação/Cesar Greco/Ag Palmeiras)

Em clima de despedida do Campeonato Brasileiro na noite deste sábado (21), o Palmeiras recebeu o Cruzeiro no Allianz Parque com seu time reserva em partida válida pela 36ª rodada do torneio. O empate em 1 a 1 com o time mineiro não foi lá o que se esperava ou o que era ideal para alcançar a vaga no G-4 com o restinho de esperança que ainda lhe cabia. Apesar de ainda restarem duas rodadas, o Verdão agora terá foco total na final da Copa do Brasil que, na quarta-feira (25), dará início à decisão diante do Santos.

A dificuldade apresentada pelo Palmeiras na partida desta noite foi muito evidente em vários setores do time, como as falhas no setor de criação e os problemas na defesa. Apesar disso tudo, a equipe alviverde mostrou uma melhora no segundo tempo depois da entrada de Gabriel Jesus e Lucas Barrios, ambos que compoem a equipe titular. A entrega em campo agradou o técnico Marcelo Oliveira, mas ressaltou que, para o clássico diante do Santos, será necessário mais organização para conseguir um resultado positivo.

"Acho que o espírito é muito bom. Nós percebemos que é um time que não desiste. Nós passamos pelo Internacional e pelo Fluminense apertados, mas passamos. É um grupo que não desiste, mas que precisa ajustes. Se o Arouca vier a jogar, já preenche mais o meio de campo, já fica melhor a saída. Nesses últimos jogos melhoramos, não estamos dando chutão a não ser que seja absolutamente necessário. Precisamos marcar o Santos muito bem, mas sem deixar de exercer a parte ofensiva", ressaltou o técnico.

Marcelo Oliveira quer que o time tire lições do empate com o Cruzeiro. Na visão do técnico, isso é uma forma de aprender com os próprios erros e usá-los como benefício para melhorar, e para isso relembrou o último jogo diante do Atlético-PR e comparou as atuações.

"Precisamos melhorar primeiro a constância de jogo. Tanto hoje quanto no jogo passado (empate por 3 a 3 com o Atlético-PR) o primeiro tempo foi pior do que o segundo. Fica claro que não é nenhuma dificuldade física, é mesmo um aspecto tático, técnico e emocional. Analisando os últimos gols que tomamos, sempre tem uma desatenção, como foi hoje. Não era o resultado que queríamos. Trabalhando no Palmeiras temos que estar sempre buscando vitórias, pela tradição do clube, mas pelas circunstâncias até que ficou razoável", disse.

O resultado da partida diante do Cruzeiro deixa o Palmeiras com 50 pontos, seis de diferença do São Paulo, que a princípio é o quarto colocado e enfrenta o Corinthians neste domingo (22). Como o foco agora é todo na Copa do Brasil, Marcelo Oliveira quer mais respeito ao Palmeiras e se mostra confiante para o título.

"Tem sempre que fazer ajustes. O grupo foi contratado todo esse ano, com o trabalho de cinco meses do técnico, nesse percurso com muita contusão. Mas não chegou à final por acaso. Se tiver o pessimismo de achar que não vai dar, temos que pegar a mala e ir para casa. É difícil, o Santos é muito bom, mas vamos trabalhar muito e dá", disse o técnico.

VAVEL Logo