Fora de casa, Cruzeiro derrota Tupi e amplia vantagem na semifinal do Mineiro

Pelo placar mínimo, Raposa leva a melhor sobre Galo Carijó; mesmo que perca por um gol de diferença na volta, equipe da capital garante vaga na final

Fora de casa, Cruzeiro derrota Tupi e amplia vantagem na semifinal do Mineiro
Foto: Divulgação/Cruzeiro
Tupi
0 1
Cruzeiro
Tupi: Ricardo Vilar; Rodrigo Dias, Sidimar, Wellington e Patrick; Léo Costa (Thiaguinho), Léo Salino, Tchô, João Vitor (Vitinho) e Renato Kayser (Patrick); Reis.
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Murilo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral e Robinho (Mancuello); Rafinha, Thiago Neves (Lucas Silva) e Raniel (Sassá).
Placar: 0-1, Ariel Cabral, min. 45.
ÁRBITRO: Wanderson Alves de Souza. Auxiliares: Ronei Cândido Alves e Flávio Henrique Coutinho Teixeira. Amarelos: Tchô, Reis, Dedé, Wellington, Egídio, Henrique. Vermelho: Ariel Cabral.
INCIDENCIAS: Partida válida pela fase semifinal do Campeonato Mineiro 2018, realizada no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora/MG.

Jogando em Juiz de Fora, na noite desta quarta-feira (21) no estádio Municipal Radialista Mário Helênio, o Cruzeiro aumentou sua vantagem na semifinal do Campeonato Mineiro 2018. A Raposa derrotou o Tupi por 1 a 0. Ariel Cabral, antes que o primeiro minuto do segundo tempo fosse completado, marcou o único gol da partida.

Apesar do abafa feito pelo Galo Carijó nos 15 primeiros minutos da partida, a primeira oportunidade de gol quem teve foi o Cruzeiro, com Thiago Neves saindo na cara do gol e arrematando em cima do goleiro. Aos poucos, o ímpeto do Tupi ia diminuindo e a Raposa passou a ficar com a bola, conduzindo a partida do modo que mais lhe agradasse. Ainda que mantivesse as linhas altas, a marcação da equipe juiz-forana não surtia o mesmo efeito. Tanto que, pelo meio, o time celeste achava espaços em passes de profundidade.

Por duas vezes, Raniel esteve frente a frente com o goleiro Ricardo Vilar. Na melhor chance cruzeirense, aos 31 minutos, Thiago Neves apareceu pela direita e chutou de canhota. O zagueiro Sidimar tirou em cima da linha. Acuado, o time da casa aparecia muito pouco no campo ofensivo, chegando apenas em lances esporádicos. Do lado do Cruzeiro, as chances apareciam mais facilmente. Ainda assim, a primeira etapa terminou sem gols.

Dando outro tom, a segunda parte do jogo já começou com o gol do Cruzeiro. Antes do primeiro minuto, Ariel Cabral arriscou de fora da área e a bola foi rolando, devagar, para o fundo da rede. Sofrer o revés mudou, forçosamente, a postura do Tupi, tornando-o agressivo. Falando em agressividade, a medida que o tempo passava, a rispidez dos lances crescia. Em consequência dos nervos alterados, aos 29 minutos, o autor do gol cruzeirense foi expulso, após dar uma cotovelada no adversário.

Com um a mais em campo, o Tupi foi para o ataque de vez e o Cruzeiro passou a jogar no contra-ataque. A equipe da casa esteve perto do gol de empate em alguns momentos, como em uma finalização de Tchô, aos 30 minutos, que resultou em escanteio. Mesmo recolhido, o time da capital também levou perigo, como aos 40 minutos, com Dedé completando de cabeça uma cobrança de falta. Vitinho, já nos acréscimos, levou o último perigo à defesa celeste.

O embate da volta entre Raposa e Galo Carijó será no próximo domingo (25), a partir das 11 da manhã, no Mineirão, em Belo Horizonte/MG. Com a vantagem de dois resultados iguais, devido a melhor campanha da fase classificatória, o Cruzeiro pode até perder por um gol de diferença que, ainda assim, chega a finalíssima do Campeonato Mineiro 2018.