Sustentação: solidez que Casemiro e Fernandinho trouxeram ao meio-campo da Seleção Brasileira

É inegável que o desempenho da Seleção Brasileira melhorou no comando de Tite. Até agora, são 19 jogos, com 15 vitórias, três empates e apenas uma derrota, demonstrando a recuperação de uma identidade desgastada nos últimos anos, tanto por escolhas técnicas, quanto por más atuações frente à seleções que evoluíram no seu estilo de jogar futebol.

Enquanto a evolução vinha, a seleção Canarinho se apegava ao passado e não demonstrava sinais de melhora, mas de um ano pra cá, tal postura mudou, e o estilo de se apresentar dentro de campo se alterou, com transições rápidas, triangulações e compactação defensiva, que fora muito vista no confronto contra a Alemanha, na última terça-feira (27).

Dois dos destaques que são comandados por Tite são os meio-campistas Casemiro e Fernandinho. Os jogadores que atuam, respectivamente, em Real Madrid e Manchester City, dois dos clubes de maior destaque na Europa nesta temporada, são os pilares na marcação aplicada pela Canarinho.

A função de ambos os meio-campistas é fazer mais o trabalho defensivo do que participar em jogadas de ataque. Ser o elemento surpresa está nas mãos de Paulinho, e essa missão fora cumprida no jogo contra a Rússia, sendo essencial para quebrar a linha de cinco defensores de equipes que têm a proposta de apenas se defender.

Casemiro é quem facilita a saída e também protege em contra-ataques, visto que é o homem de frente antes da zaga. Enquanto Fernandinho cumpre as funções de cobrir os espaços quando Paulinho chega ao ataque. Contudo, o volante do Manchester City  também é quem faz as duas funções, já que vinha buscar a bola, auxiliando o camisa 5 e dando qualidade no passe tanto para Marcelo, quanto para Coutinho, que ocupavam o lado esquerdo do campo.

Outra função que Fernandinho deu a equipe foi a segurança para que, quando Paulinho arriscava chegadas ao ataque, fizesse com que um contra-ataque seja inibido, visto que ainda existem dois volantes fazendo a proteção frente aos zagueiros. 

Tais características, tanto de Fernandinho, que pode subir ao ataque e auxiliar na saída de bola com Casemiro, justificam a ausência de Renato Augusto na equipe. Renato tem características mais de criação de jogadas ofensivas, do que na marcação e, embora essa qualidade tenha sido aprimorada em seus anos de carreira, o meio-campista não tem a eficiência de Fernandinho de ir área a área, auxiliando a equipe em momentos de aperto e nas duas fases do campo.

Caso o jogador, que atualmente está na liga chinesa, venha a ser escalado, a vaga entre Casemiro e Fernandinho acabaria estando  garantida entre ambos. Dessa maneira, Renato chegará para disputar vaga com Paulinho, visto que é outro meio-campista que têm características de chegadas ao ataque e isso dá um leque de possibilidades à Tite, que conta com a versatilidade de Rento Augusto, mas em funções do meio para frente possibilitando assumir as posições ocupadas pelos lados do campo, mas não as de Fernandinho e Casemiro, que são a peça-chave para a eficiência defensiva da equipe.

VAVEL Logo