No reencontro de Milton Cruz e Rogério Ceni, Figueirense tenta se recuperar contra líder Fortaleza

Após duas derrotas, sendo uma no clássico contra o Avaí, o Alvinegro encontra o primeiro colocado invicto da Série B; ex-companheiros de São Paulo, treinadores se enfrentam pela primeira vez

No reencontro de Milton Cruz e Rogério Ceni, Figueirense tenta se recuperar contra líder Fortaleza
Foto: (Luiz Henrique/Figueirense FC)
Figueirense
Fortaleza
Figueirense: Denis; Diego Renan, Nogueira, Eduardo e Lazaroni; Pereira, Abuda (Matheus Sales), João Paulo, Ferrareis e Jorge Henrique; André Luís.
Fortaleza: Marcelo Boeck; Tinga, Diego Jussani, Ligger e Bruno Melo; Jean Patrick, Derley, Edinho e Dodô; Marlon (Wesley) e Gustavo.
ÁRBITRO: Dyorgines José Padovani de Andrade apita a partida, auxiliado por Fabiano da Silva Ramires (ES/CBF) e Vanderson Antônio Zanotti (ES/CBF)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 6ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

Atualmente na sétima colocação da Série B do Campeonato Brasileiro com nove pontos, o Figueirense recebe o Fortaleza, líder do torneio, nesta sexta-feira (17) no Orlando Scarpelli, às 21h30, em partida válida pela sexta rodada da Série B. Em situações opostas, já que o Figueira perdeu seus dois últimos jogos quando vinha em uma sequência boa de três vitórias, e o Leão do Pici, além de ser o primeiro da tabela, ainda está invicto na competição.

Os números do histórico do confronto são ligeiramente favoráveis ao Fortaleza, com quatro vitórias em 11 partidas. O Figueirense, por sua vez, já venceu três. Outros três jogos entre os clubes ficaram empatados. O duelo vai marcar o reencontro de Milton Cruz, técnico do Figueirense, e Rogério Ceni, comandante do Fortaleza, que foram companheiros no São Paulo por muitos anos.

Milton Cruz tem que lidar com desfalques

Apesar da necessidade de vitória para voltar a embalar na disputa pelo acesso, Milton Cruz não poderá contar com seus volantes titulares. Os meio-campistas Zé Antônio, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Betinho, que saiu machucado após o clássico contra o Avaí e, a partir de exames, foi constatada uma ruptura dos ligamentos do tornozelo esquerdo, estão fora da partida.

Para o lugar de Zé Antônio, segundo o técnico Milton Cruz, quem entra é Pereira. Betinho, que vai desfalcar o time por pelo menos um período de quatro a seis semanas, se a cirurgia for descartada, ainda não tem substituto definido.

“Ainda estou avaliando e pensando. Estamos com algumas opções, mas ainda não tem nada definido. Até amanhã eu vejo quem joga. Falamos com o Pereira, que vai no lugar do Zé Antônio. Falta saber quem joga na vaga do Betinho”, comentou Milton Cruz.

Fortaleza com apenas uma dúvida

O técnico do Fortaleza, Rogério Ceni, não vai ter que fazer muitas alterações no time que ganhou por 3 a 0 do Goiás na rodada passada. A única dúvida que existe na escalação é a da vaga de Osvaldo. O atacante se despediu na última partida, já que foi transferido para um time da Tailândia.

O mais cotado para assumir a posição ao lado de Gustavo seria Minho, mas o jogador ainda não tem seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID). Sendo assim, a vaga deve ficar entre Marlon e Wesley.

Apesar da sequência de derrotas do rival, o goleiro Marcelo Boeck, que já atuou na Chapecoense, e portanto conhece o futebol catarinense, destacou a qualidade do Figueirense e pediu concentração para buscar o resultado em Florianópolis.

"O Figueirense tem uma grande equipe e sempre cresce muito em casa, diante do seu torcedor, mas queremos pontuar como visitante novamente. Vamos procurar fazer um bom jogo, seguro, e com muita intensidade para sairmos de lá com um resultado positivo", disse.