Em duelo de sulistas, Juventude recebe
Londrina para se afastar do Z-4
(Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube)

Em duelo de sulistas, Juventude recebe Londrina para se afastar do Z-4

Caso vença a partida, o Ju poderá respirar um pouco mais aliviado, pois sairá da zona de rebaixamento

rafaella-bonassi
Rafaella Bonassi

Com situações opostas no torneio, o Londrina vai até Caxias do Sul (RS) para enfrentar o Juventude nesta quinta-feira (27), no estádio Alfredo Jaconi, às 19 horas e assim compor a 29ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Apesar de os dois clubes entrarem em campo precisando da vitória, o Periquito sulista, entretanto, tem uma necessidade maior: vencer significa se afastar da zona de rebaixamento.

Primeiro time do Z-4, o Juventude pode alcançar 34 pontos na rodada, mesmo número de pontos do 15° colocado, Brasil de Pelotas, que já jogou na semana. O saldo de gols, porém, é desfavorável ao Ju, o que deixaria na 16ª colocação, caso o Paysandu não ganhe na sua partida contra o Goiás. Por outro lado, o Londrina se encontra na 8ª posição, mas apenas cinco pontos distante do Avaí, atual quarto colocado. Ganhar, portanto, seria fundamental nos planos do Tubarão para o acesso.

Esta será a 18ª partida entre os dois clubes e o retrospecto entre eles é bem equilibrado, apesar do Londrina ter uma leve vantagem: foram sete vitórias para o paranaense, seis para o Verdão do Rio Grande do Sul e quatro empates.

Juventude com poucas mudanças

Nos 13 jogos em Caxias do Sul pela Série B do Campeonato Brasileiro, o Juventude perdeu cinco, empatou seis partidas e venceu o adversário em apenas duas oportunidades. Com 30,7% de aproveitamento somente, jogar em casa, neste ano, não está sendo um diferencial para o Ju. O jogo contra o Tubarão, portanto, é uma oportunidade para espantar o fantasma do mal desempenho.

Para sair vitorioso do confronto desta quinta-feira, o técnico Luiz Carlos Winck não poderá contar com alguns jogadores do seu elenco, tanto por lesões, quanto por suspensão. O zagueiro Rafael Bonfim, com lesão na coxa esquerda, não poderá atuar. A dupla de zaga, portanto, deverá ser composta por Micael e Wagner. Também lesionado, o lateral Esquerdinha fraturou uma vértebra e desfalcará o time por um mês. A briga para substitui-lo fica entre Neuton e Pará. Por fim, o meio de campo terá Tony no lugar do suspenso Denner.

Uma alteração, contudo, foi feita por escolha do treinador. O detentor da camisa 1 no duelo será Douglas, entrando no lugar de Matheus. Segundo Winck, o goleiro ainda pode evoluir: “O Douglas permanece. O Matheus tem algumas coisas para melhorar. Alguns números  na questão física e outras particularidades. É muito bom goleiro? É. Mas precisa trabalhar um pouco mais. Ele sabe disso, já falei com ele anteriormente e não vou ficar conversando toda hora.Temos uma linha de conduta e ela vale para todos”, citou em entrevista.

Confira as ofertas do nosso parceiro FutFanatics

Londrina tem retornos, mas também desfalques importantes

Um dos planos do Tubarão ainda está um tanto quanto longe de ser alcançado. Mais precisamente a cinco pontos de distância, já que é o que separa o clube do Avaí, quarto colocado na tabela da Segunda Divisão. Embalado por três vitórias nas últimas rodadas, o Londrina vai em busca da quarta nesta quinta.

O técnico Roberto Fonseca, entretanto, tem muito com o que se preocupar para a partida, isso porque o zagueiro Dirceu e Dagoberto, artilheiro da Série B com 12 gols e com dores no tornozelo, ficarão de fora. O problema é que com o artilheiro em campo, o Tubarão tem oito vitórias, um empate e apenas três derrotas, enquanto que sem ele são três vitórias, cinco empates e oito derrotas.

Apesar dos desfalques, o volante João Paulo e o atacante Carlos Henrique voltam a ficar à disposição do treinador. O volante volta a ser titular, enquanto Carlos Henrique fica no banco. O ataque deve ser composto por Mocellin, Thiago Ribeiro e Felipe Marques. O substituto de Dirceu será, provavelmente, Leandro Almeida.

Questionado sobre a má fase do adversário em casa, Roberto Fonseca disse que o jogo será brigado, principalmente por estar ocorrendo na fase final do campeonato: “O último time que pegamos, o Figueirense, tinha a melhor campanha fora de casa e conseguimos o resultado (2 a 0). Agora, vamos pegar um time que, em sua casa, é o contrário. Mas isso nada quer dizer que vai ser diferente. Vai ser um jogo decisivo, um jogo nervoso, temos que saber jogar uma decisão”.

VAVEL Logo