Em jogo das faixas, Cruzeiro derrota Chapecoense e completa comemoração do título
Foto: Divulgação/Cruzeiro

Em jogo das faixas, Cruzeiro derrota Chapecoense e completa comemoração do título

Provando que ressaca nenhuma é capaz de acabar com uma festa, o Cruzeiro precisou de apenas 45 minutos para fazer a alegria da galera estrelada

thais-alcantara
Thaís Alcântara/ Vinicius Silveira

Para a tabela de classificação, o jogo teria um valor como qualquer outro. Porém, mais que uma partida de futebol, o evento representou a sequencia da festa pelo título da Copa do Brasil. O Cruzeiro precisou de 45 minutos para derrotar a Chapecoense por 3 a 0.

O resultado celeste quebra um pequeno jejum de duas partidas sem vencer no Brasileirão. A Raposa chegou aos 40 pontos, e com uma partida a menos. Já a Chape perdeu a chance de deixar a zona de rebaixamento, e está em 18º com 31 pontos.

O Cruzeiro voltará a jogar na quarta-feira (24), contra o Ceará, cumprindo jogo adiado da 28ª rodada do Brasileirão. A Chapecoense voltará a campo no sábado contra o América-MG, rival na luta contra o rebaixamento.

Dedé é mito? Talvez. Mas, o Fábio é

Neste domingo, além de comemorar o título da Copa do Brasil, o goleiro Fábio bateu a marca de 800 jogos defendendo o Cruzeiro. O camisa 1 é disparado o jogador com maior número de partidas pelo clube celeste em toda a história.

Fábio chegou ao Cruzeiro em 2000, mas sequer saiu do banco de reservas. Voltou em 2005 para ser titular e é assim desde então! Parabéns, Fábio!                

Ressaca? Acho que não

Antes do jogo, os jogadores do Cruzeiro receberam as faixas como campeões da Copa do Brasil. O torcedor celeste entrou na festa e fez a sua parte lotando as arquibancadas do Independência.

Com a bola rolando, a Chapecoense, que estreava Claudinei Oliveira no comando técnico em lugar de Guto Ferreira, não teve chances contra os titulares celestes, sem nenhum vestígio de ressaca ou despretensão quanto ao jogo.

Aos 21 minutos, Thiago Neves acertou um belo chute e abriu o placar para o time celeste. Dominador técnico e tático dentro de campo, não demoraria muito para o Cruzeiro ampliar o placar. Tal fato ocorreu a 29 minutos, com Arrascaeta.

Antes do apito final do primeiro tempo, o zagueiro Dedé, em bela cobrança de escanteio, cabeceou a bola que foi para as redes de Jandrei.

Para não dizer que a Chapecoense não quis participar das festividades, o time de Chapecó colocou o goleiro Fábio para trabalhar. Após cruzamento, o centroavante Leandro Pereira cabeceou no contrapé do camisa 1 celeste que, por sua vez, fez ótima intervenção.

Bem que a Chape tentou colocar água no chopp

No começo do segundo tempo, Arrascaeta foi substituído. Também pudera, depois de ter feito o gol do título da Copa do Brasil e gerado a festa no Cruzeiro, ele merecia um descanso.

A Chapecoense começou o segundo tempo levando perigo com Canteros, que aproveitou falha de Egídio e finalizou quase marcando o gol da Chape. Minutos depois, foi à vez de Doffo aproveitar cruzamento e errar o alvo na finalização.

Apesar do ímpeto inicial, a Chapecoense não conseguiu manter o ritmo e o Cruzeiro voltou dominar as ações no campo, deixando a partida mais lenta. A melhor chance celeste foi com Egídio, que arrematou para gol e exigiu boa defesa de Jandrei.

No reta final, a Chape tentou agradecer ao convite da festa tentando deixar seu gol, mas errava nas investidas contra a meta do goleiro Fábio.

 

VAVEL Logo

Cruzeiro Esporte Clube Notícias

há 3 dias
há 4 dias
há 9 dias
há 13 dias
há 13 dias
há 18 dias
há 21 dias
há 21 dias
há 23 dias
há 24 dias
há 24 dias