Opinião: Marcão foi a melhor escolha para o Fluminense?
Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

Na tarde desta sexta-feira (04), Marcão, que até então estava como interino do Fluminense, foi efetivado como técnico principal do clube das Laranjeiras. Com isso, surge o questionamento: na atual situação do tricolor, era a melhor opção?

Não pela capacidade de montar e fazer a equipe jogar um grande futebol mas, justamente, pela circunstância e pelo tempo que o Flu tem, Marcão se mostra uma boa opção. É fato que, com ou sem futebol bonito, com elenco melhor ao do ano passado ou não, o Fluminense já errou bastante esse ano. Pontos que não podia perder, decisões equivocadas, falas polêmicas por parte da diretoria. Para um clube que vive uma das piores crises financeiras de sua história, está com uma turbulência enorme na política e, mesmo que não mereça, frequenta o Z-4, isso tudo atrapalha demais.

A opção pelo comando de Marcão passa pelo mercado disponível e pelos cofres do clube. Opções melhores existem no mercado, só não se encaixam na realidade do clube. As que se encaixam, mesmo tendo mais experiência de campo que o ex-atleta tricolor, não são boas.

Marcão voltou ao clube recentemente, após a eleição de Mário Bittencourt. O mesmo já esteve antes no Fluminense, como auxiliar técnico, em 2016, também trazido pelo atual presidente. Mesmo com relativo pouco tempo de casa, tem uma excelente relação com o elenco, sabe conduzir o time a beira de campo e, por mais que tenha tido poucas oportunidades, exerceu bem sua função. A única pedra em seu caminho é justamente sua amizade com os jogadores que, por mais que seja um ponto positivo, é uma desconfiança caso algum atleta esteja em má fase ou as coisas voltem a apertar.

Arriscar hoje é assumir um contrato com risco de 90% de dar errado. Nenhum treinador que chegar, melhor ou pior que Marcão, vai conseguir impor seu método de trabalho de forma completa e eficaz, sendo ele um bom modo de trabalhar ou não. Mas qualquer um que chegasse tentaria. E seria aí que o time perderia.

Hoje, em 2019, o Fluminense não precisa de ninguém pra criar, como tentou fazer Fernando Diniz. Precisa de alguém pra salvar. Fazer aquele "feijão com arroz", somar pontos e se livrar do rebaixamento. O Fluminense não tem espaço e nem tempo pra erros. Errar agora significa ser rebaixado. E ser rebaixado hoje para o clube significa não ver esperança de dias melhores. É preciso de alguém que a torcida compre o grito, como fez com Ganso (por mais que tenha tido uma atitude errônea). Alguém que os represente, que ao menos faça os jogadores almejarem algum objetivo. Esse alguém hoje é Marcão. Em 2020 pensam em outro nome, em algum projeto. Hoje só basta ficar vivo.

VAVEL Logo