Guto Ferreira pede mobilização total em reta final do Sport na Série B 
Guto Ferreira procura conter euforia e ainda mira título da Série B pelo Sport (Foto: Reprodução/Sport)

São 52 pontos conquistados na Série B. Consolidado na segunda posição após vencer o Cuiabá pelo placar de 2 a 0, na Ilha do Retiro, com gols do lateral-esquerdo Sander e do meio-campista Pedro Carmona, o Sport, do técnico Guto Ferreira, não vê a hora de confirmar retorno à Série A.  O ataque chegou aos 42 gols marcados, segundo mais positivo da competição, atrás somente do líder Bragantino, com 47 tentos assinalados. Rubro-Negro chegou aos 60% de aproveitamento no campeonato. Equipe é a que menos perdeu no certame, tendo sido superada apenas por três oponentes (Operário/PR; Criciúma e América-MG). 

Abrindo quatro pontos para o Atlético-GO, atual terceiro colocado, e nove de vantagem para o Botafogo-SP, o quinto colocado, o Leão da Ilha do Retiro chegou às 13 vitórias e aguarda os resultados de Paraná e América/MG, que enfrentam Brasil de Pelotas e Vila Nova, respectivamente, na 29ª rodada da Série B, e podem chegar aos 44 pontos, o que significaria oito pontos de distância para o Sport.

De momento, ainda faltando o Bragantino entrar em campo, o time pernambucano assumiu a liderança no returno. Em 10 jogos são seis vitórias, três empates e apenas uma derrota. 16 gols assinalados e nove tentos sofridos no transcorrer do segundo turno da Série B. 

A equipe também alcançou a marca de terceiro melhor mandante no certame. Em um total de 15 jogos nos seus domínios, já foram 30 pontos conquistados. São oito vitórias, seis empates e apenas uma derrota - a última sofrida pelo rubro-negro no campeonato, quando foi superado pelo América-MG, por 2 a 0, na Ilha do Retiro, dia 20 de setembro. Até o final da competição, o Sport terá o seguintes adversários na Ilha do Retiro: Paraná; Criciúma; Vila Nova e Ponte Preta. Muitos apontam que, se vencer todas essas partidas, será o suficiente para assegurar acesso à primeira divisão com os 64 pontos somados no total.

Em entrevista coletiva, o técnico Guto Ferreira comentou o momento positivo de sua equipe mesmo sem apresentar um grande futebol. O comandante ainda discorreu acerca da logística para o próximo compromisso, diante do Brasil de Pelotas, domingo (20), no estádio Bento Freitas, às 16h, pela 30ª rodada. Longe do Recife, o rubro-negro pernambucano possui a terceira melhor campanha. Em 14 partidas disputadas, foram cinco vitórias, sete empates e duas derrotas. 19 gols marcados e 15 tentos sofridos. 

"Hoje, vice-líder, abrimos quatro do terceiro colocado, estamos em uma crescente e agora é descansar bastante e quinta-feira, depois de dois treinos na quarta e na quinta, embarcar para Porto Alegre, fazer base em Porto Alegre e depois Pelotas para que a gente possa no domingo fazer um grande jogo e buscar mais três pontos. Vai dar quase 11 horas de viagem no total até Pelotas. Estamos indo três dias antes do jogo, e estamos quebrando a viagem em Porto Alegre, vamos treinar na quinta de manhã, viajar na hora do almoço, chegar no final da tarde e início da noite em Porto Alegre, descansa, treina sexta, sábado de manhã, entra no ônibus e vai para Pelotas quatro horas de ônibus", explicou. 

Indagado acerca da maratona de jogos, o treinador atentou para o caráter específico que a competição ganha na reta final e explicou a estratégia até o desfecho da Série B.

"Hoje era o jogo que mais me preocupava, a questão da rodagem você precisa ter respostas importantes. Nós não rodamos de uma forma direta mas rodamos de uma forma indireta. Quem não rodou foi Rafael Thyere e Guilherme. Eles são os caras com mais minutagem e preocupam. Vai chegar o momento que terão de sair, mas, quando chega agora, e tem cinco dias entre um jogo e outro, deixamos cair a carga deles. Agora é tirar o pé de treinamento e botar para jogar. Até porque em termos de acréscimos de tática, estratégia é pouco. O Sport vai muito mais no emocional, ele já tem um conteúdo de estratégia, de tática, modelo de jogo e o que vai fazer a diferença a cada jogo vai ser a maneira que o adversário nos encarar e a maneira que encararmos os adversários, principalmente esse lado físico e emocional. Fomos obrigados a segurar o Willian (Farias), ele ainda não tinha tido uma sequência tão grande assim no ano. Ficamos felizes que ele conseguiu fazer cinco partidas e meia seguidas, mas chegou no limite e era o momento de descansá-lo. Colocamos o João Igor, que até então era o titular e se machucou, mas foi lesão que não foi muscular, ele parou pouco tempo, não podia ter contato, mas a parte física ficou sendo mantida e, por isso, fez uma partida tranquila nesse aspecto. Já o Hyuri foi muscular, então vamos lançando ele aos poucos para recuperar o ritmo que estava porque, mais do que nunca, não podemos perder ninguém nessas últimas nove partidas. Estamos administrando da melhor maneira possível para termos um grupo forte, que suporte essas maratonas", analisou Guto. 

Possibilidade de título

"Vamos trabalhar sempre, estamos com duas vitórias seguidas, temos que quebrar o tabu dentro da competição que são três vitórias consecutivas. Temos a oportunidade no domingo, jogar lá é muito difícil, jogar lá é uma guerra. Respeitamos demais esse time (Brasil de Pelotas), aqui não conseguimos vencer, fizemos uma das nossas melhores partidas e não vencemos, mas lá eles crescem muito e estão em um momento muito melhor do que estavam na época. Vamos fazer a nossa parte e ainda precisamos contar com a parte deles (Bragantino), que é perder, perder. Jogar a toalha? Jamais!", exclamou.

Importância do capitão Sander

"É um cara extremamente respeitado dentro do grupo, ele é boa praça, é disparado o cara que mais treina, ele entra para dar a vida em cada jogada. Ele entra de corpo e alma em cada bola. Isso dentro do grupo, além de respeitado, motiva, se ele está fazendo isso o outro precisa dar algo mais. Esse espírito guerreiro. Agora com a tarja de capitão muito mais porque ele é um cara que cobra bastante dos companheiros, positivamente, dá muita força para os caras. O Sander é um cara fantástico no vestiário e, pra mim, é um prazer muito grande poder trabalhar com um cara com o nível intelectual e a postura profissional dele. Você vê que ele fez gol, veio no banco e todo mundo foi nele, isso aí é respeito e esse amor, esse prazer pelo companheiro poder homenagear a esposa e filhos.", pontuou. 

Pedro Carmona

"No primeiro tempo ele participou pouco porque o Guilherme estava vindo muito por dentro, tirou um pouco o espaço dele e ele ficou buscando espaço. É um jogador que joga com a bola. Se você não der a bola para ele ele não vai jogar, se deslocou, mas não recebia. Isso nos atrapalhou; no segundo tempo, Guilherme fixou um pouquinho mais, o Carmona se achou um pouco mais. Só que é decisivo, está no momento em que as coisas estão acontecendo para ele, assim como já tivemos Hyuri e, graças a Deus, estamos tendo a felicidade de termos esses atletas em campo.", avaliou.

Resposta aos críticos

Sobre os critérios para optar pela entrada do atacante Marquinho desde a partida contra o São Bento, o técnico da equipe pernambucana não titubeou e foi categórico. 

"Não estou correndo atrás de críticos, estou correndo atrás de conquistar e fazer o melhor pelo Sport. Se fosse ler as críticas diariamente para poder escalar a minha equipe, eu estava perdido. Tenho minhas convicções de futebol, que discuto diariamente com a minha comissão técnica. Quebramos o pau muitas vezes sobre ideias, às vezes até dentro da partida, mas acabou o jogo e fica o respeito de cada um. Talvez as críticas pudessem ocorrer porque ninguém conhecia o Marquinho. E o Marquinho teve oportunidade nesses dois últimos jogos de mostrar o potencial dele. No primeiro jogo fez gol (vitória por 2 a 0 sobre o São Bento), hoje criou situações. Pelo que fez até agora já valeu a contratação, ficou barata. Custo benefício fantástico. Foi responsável diretamente por seis pontos do Sport, assim como o Carmona.", disse.

Para o duelo diante do Brasil de Pelotas, o técnico Guto Ferreira poderá contar com o retorno do meia Leandrinho, que cumpriu suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo. Rafael Thyere, Adryelson, João Igor e Hernane estão pendurados com dois amarelos. 

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo