Abel explica volta de Egídio e cita importância dos experientes
para boa atuação dos jovens
Foto: Geraldo Bubniak / Light Press / Cruzeiro

O empate por 1 a 1 diante do Athletico-PR fora de casa, tornou, agora, o Cruzeiro com oito partidas invictas. Tendo perdido apenas o jogo da estreia, Abel Braga tinha difícil compromisso com a equipe paranaense na Arena da Baixada e contava com as ausências de Thiago Neves e Fred.

Para o comandante, o adversário não teve lances claros, e ressaltou que sua equipe colocou em ação a estratégia definida, mas que a expulsão de Sassá modificou o parâmetro do confronto.

“Eles não tiveram grandes oportunidades, tiveram a bola. Em cada momento que a recuperávamos o gol poderia sair, pelo excelente jogo que fazia: Sassá; Robinho distribuindo bem; Éderson e Henrique com saída. A estratégia foi tentar quebrar a intensidade que o Athletico joga na Arena da Baixada, sendo mais compactado atrás, e nós quebramos. Mas, depois, com a expulsão clara (de Sassá), eles vieram com tudo e nós tivemos que administrar. Então, às vezes, esse 1 ponto, lá na frente, pode vir a ajudar. ”, ressaltou.

Nas últimas partidas, atletas como Cacá, Fabrício Bruno, Orejuela e Éderson realizaram ótimas aparições. Este último de maneira mais evidente: O meia já tem dois gols pela equipe profissional, marcando contra Corinthians e Botafogo, respectivamente, partidas em que a Raposa triunfou.

Tendo caído nas graças da torcida juntou ao demais jovens, Abel chamou atenção ao cenário parecido que vivenciou quando treinava o Fluminense, onde a torcida carioca criticava os mais velhos quando o time era derrotado e exaltava os mais novos nas vitórias. O treinador deixou claro a importâncias dos experientes para a boa fase dos garotos.

“As pessoas precisam entender que, para esses meninos renderem o que estão rendendo, é porque eles têm muito apoio dos colegas mais experientes, com mais nome, que conversam demais com esses garotos, mostrando que não são apenas elogios. A volta do Fabrício Bruno – apesar da boa atuação do Leo no jogo passado – deve-se por justiça. Ainda que o Leo tenha ido bem, não queria fazer injustiça com ele"

Criticado pela torcida e tendo saído vaiado, Egídio retornou a equipe titular por critério técnico. Abel explicou o porquê, e não garantiu se dará prosseguimento ao lateral para o clássico. Vale lembrar que o camisa 6 saiu do campo machucado e não se tem informações de sua condição. 

“O time dependerá de cada adversário. Voltei com Egídio por causa da saída. Ganhei bem o duelo depois com Dodô. Mas, no primeiro tempo, a saída do Egídio estava muito boa – não significa dizer que vai jogar o clássico. Temos dois, três dias para estudar”.

Agora, as atenções estão voltadas para o clássico contra o Atlético-MG – o primeiro de Abel Braga no comando celeste -, que acontece no próximo domingo (11), no Mineirão, às 16h.

VAVEL Logo