Conheça a curta e multicampeã carreira de Domènec Torrent
Foto:  Reprodução/New York City FC

Antes de ser confirmado como treinador do Flamengo, poucas pessoas no Brasil ouviram falar o nome Domènec Torrent. A dúvida ainda paira no futebol brasileiro. O espanhol, ex-auxiliar do técnico Pep Guardiola, tem 58 anos e ainda não pode ser reconhecido por uma vasta experiência como técnico, mas pode ser reconhecido como vencedor.

Com triunfos enormes no Barcelona, a vida profissional de "Dome" nem sempre esteve cercado de títulos, principalmente no começo, na década de 90.

Em 1980, jogou como meio-campista do UE Olot, clube pequeno da Espanha, até 1983. Logo em seguida, jogou de 1983 a 1989 no Guíxols, também em divisões inferiores de sua terra natal. No entanto, em 1994 iniciou a carreira de técnico no Palafrugell, ficando até 2000. Três anos depois, especificamente em 2003, treinou o Palamós, e ficou apenas um ano, encerrando o trabalho em 2004. Em 2005, ficou apenas uma temporada de novo no Girona, encerrando o contrato em 2006.

Como toda carreira, o início é difícil e pode durar um ano ou até mesmo em dias. Entretanto, para Domènec, a chave virou quando recebeu o convite para ser auxiliar técnico de Pep Guardiola no Barcelona B em 2007 a 2008, vencendo a terceira divisão, ganhando os play-offs em 2008, o que permitiu que o clube fosse para a segunda divisão, e em seguida foram promovidos para tomarem conta do clube espanhol principal, ficando até 2012.

Glórias em três grandes ligas e depois a carreira solo

A trajetória de Domènec Torrent, ao lado de Guardiola no Barcelona, foi de sucesso, pois venceram pela equipe principal a La Liga, nas temporadas 2008-09, 2009-10 e 2010-11. Copa del Rey em 2008-09 e 2011-12. Supercopa de España em 2009, 2010 e 2011. Liga dos Campeões em 2008-09 e 2010-11. Supertaça Europeia em 2009 e 2011. Mundial de Clubes da Fifa em 2009 e 2011.

Em 2012, a parceria no Barcelona teve um fim, mas apenas no clube catalão, porque em 2013, a clube retomou os trabalhos na Alemanha, especificamente no Bayern de Munique. E lá não foi nada diferente, o trabalho foi vitorioso também, pois em venceu a Bundesliga em 2013–14, 2014–15, 2015–16. DFB-Pokal em 2013–14 e 2015–16. Supertaça Europeia em 2013. Mundial de Clubes da Fifa em 2013.

Em 2016, a parceria na Alemanha foi encerrada e retomada novamente, pela terceira vez na Inglaterra, especificamente em 2017 pelo Manchester City. Neste caso, a parceria foi curta, mas ainda deu tempo de conquistar a Premier League na temporada 2017-18. Em 2018 a 2019, retornou ao cargo de técnico, e dessa vez, nos Estados Unidos, sob o comando do New York City.

Nos EUA, o último trabalho recente do espanhol não iniciou da maneira que gostaria, principalmente pelo motivo do estilo de jogo não ter sido adepto do clube americano nas temporadas anteriores. Para isso, precisou do tempo necessário para poder exercer com respaldo o bom trabalho que teve no ano passado, em 2019. Em sua última passagem, teve 56,6% de aproveitamento com 60 jogos, 29 vitórias, 15 empates, 16 derrotas, 104 gols marcados e 76 gols sofridos.

Portanto, o que podemos esperar do novo técnico do Flamengo, não será tão diferente do antecessor, Jorge Jesus, que é o conceito de jogar com posse de bola, marcação pressão, forte viés ofensivo e uma incansável vontade de vencer. E falando nisso, apesar de ter compartilhado os últimos trabalhos vencedores com o técnico Pep Guardiola, muito do ensinamento de "Dome" veio de Guardiola e vice-versa.

VAVEL Logo