Presidente do Bahia, Bellintani lamenta empate com Goiás e cita ‘deficiência
absurda’ na arbitragem
Guilherme Bellintani (Foto: Bahia/Divulgação)

Expulso ao final do empate em 1 a 1 contra o Goiás, na Serrinha, Mano Menezes não deu entrevista coletiva. Em seu lugar, o presidente do clube, Guilherme Bellintani, se pronunciou sobre a atuação da equipe e do árbitro, do qual ele criticou fortemente.

O Bahia levou o gol aos três minutos do segundo tempo e teve dois jogadores expulsos com um intervalo de menos de cinco minutos. O mandatário reprovou a atuação dos jogadores. O Tricolor de Aço é o primeiro time fora do Z4, com 16 pontos.

“Fizemos um jogo, no 1° tempo, absolutamente abaixo do que nós precisamos para sair dessa situação difícil que a gente se encontra. Primeiro tempo foi apático, sem a luta que o grupo pode demonstrar. Voltamos pro 2° tempo ainda mais apático, com um grau de displicência enorme. Só com lutando que vamos conseguir dar a volta por cima”, expressou. 

Na maior parte da entrevista coletiva, Guilherme teceu duras críticas à performance do árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ). Ele reclama de dois pênaltis não marcados.

“Há uma deficiência absurda da arbitragem brasileira. Não quero ser irresponsável e me manifestar apenas por causa do calor do jogo, mas o que aconteceu aqui em Goiânia é algo muito sério. Esse senhor que apitou o jogo não tem nenhuma condição de ser árbitro profissional”, reclamou.

VAVEL Logo