No sufoco! Palmeiras é massacrado por River Plate, mas avança à final da Libertadores
Foto: Divulgação / Libertadores

E foi assim: no sufoco! Na noite desta terça-feira (12), o Palmeiras foi sufocado até o último minuto de jogo e perdeu para o River Plate por 2 a 0 em confronto de volta nas semifinais da Libertadores 2020. Depois de triunfar na ida por 3 a 0, o time paulista sofreu com os gols marcados por Roberto Rojas e Borré, ainda no primeiro tempo. Mas, graças à excelente atuação em Bueno Aires, o Verdão, mesmo que não marcando gols, chega à finalíssima da competição continental.

Ao todo, o time argentino pressionou os comandados de Abel Ferreira do primeiro ao último minuto. Empurrado pela péssima partida da ida, Marcelo Gallardo injetou ânimo em sua equipe no vestiário — e deu certo. Foram 23 chutes do River contra apenas seis do Palmeiras. 66% de posse de bola hermana contra 34% brasileira.

Estratégias

O Palmeiras foi ao jogo com o seguinte time: Weverton, Marcos Rocha, Alan, Gustavo Gómez e Viña; Danilo, Gabriel Menino e Zé Rafael; Gustavo Scarpa, Rony e Luiz Adriano. Pensando em segurar o jogo e jogar com o “regulamento debaixo dos braços”, o Verdão enfrentou os Millionarios com uma linha de 4 sólida, onde os laterais não subiam ao ataque, pelo meio-campo Danilo e Gabriel Menino foram encarregados de matar as chegadas pelo meio do ataque argentino. Zé Rafael subiu um pouco mais, como meio-campista centralizado. Rony e Scarpa correram pelas alas quando tinham a bola no campo defensivo e subiam nos momentos de ataque. Luiz Adriano trabalhou transitando entre o ataque e o meio-campo, mais apoiando que de fato atacando.

Assim foi o River: Armani, Rojas, Pinola e Paulo Diaz; Montiel, Ignacio Fernández, Enzo Pérez, De La Cruz e Angileri ; Matías Suárez e Borré. Para cima. Foi assim que o River Plate jogou, com um meio-campo povoado pelos alas, a equipe argentina chegava ao ataque com superioridade assim anulando as poucas tentativas de subida feitas pelo Palmeiras. Angileri e Montiel atacaram como espécies de pontas mais recuados. Borré e Suárez adentravam por trás. Pelo meio-campo, De La Cruz foi o armador da equipe e chegou mais a frente como “camisa 10”, enquanto aos outros, formaram uma linha que povoou o meio do campo.

A partida

Aos 28' Rojas subiu lá no alto e abriu o placar para os Millionarios. Aos 44 minutos, ainda do primeiro tempo, Borré recebeu no 2º poste e com um chute certeiro fez 2 a 0, diminuindo a vantagem palmeirense.

No segundo tempo, o River teve dois impedimentos marcados e um pênalti anulado. Dos dois impedimentos, um foi responsável por anular um gol, o outro anulou um possível pênalti.

Sem essa de apenas sorte

O Palmeiras não está na final à toa. Apesar da partida tenebrosa, o time comandado por Abel Ferreira “soube sofrer”, ainda que isso tenha sido acompanhado de um pênalti duvidoso anulado e dois impedimentos bem marcados. Quanto ao River Plate, sofreu das grandes injustiças do futebol. A bola pune? Lógico, mas nem sempre o punido é o pior. Hoje, Marcelo Gallardo se consolida como uma das mentes brilhantes no futebol sul-americano. Gigante.

Próximo compromisso

O Palmeiras enfrentará o Grêmio, pelo Brasileirão, nesta sexta-feira (15) às 21h30. Além de duas finais nas competições mata-mata o alviverde também tem chances de vencer o Campeonato Brasileiro, entretanto, o mesmo não deve ser priorizado.

VAVEL Logo