Kleina elogia Ponte Preta após estreia contra o Vasco e dispara sobre arbitragem da Série B
Gilson Kleina antes de Ponte Preta 1 a 1 Vasco (AA Ponte Preta / Divulgação)

Pela quinta vez na carreira, Gilson Kleina estreou na Ponte Preta. Neste domingo (06), a equipe campineira empatou com o Vasco da Gama, no Moisés Lucarelli, em jogo válido pela segunda rodada da segunda divisão nacional. O 1 a 1 foi motivo de elogios por parte do novo treinador, que também fez questão de criticar a arbitragem

Para Kleina, o time pontepretano foi melhor na peleja. "Entendo que a gente teve o controle do jogo no primeiro tempo. Criamos pelos lados e tivemos chances de poder finalizar. Faltou um pouco mais de preenchimento de área. Tivemos três finalizações em gol, contra apenas um deles. Tomamos gol de pênalti, mas o time mostrou equilíbrio, reação", destacou.

A capacidade defensiva da equipe também foi destacada pelo treinador. "A Ponte esteve muito próxima da vitória. É continuar dessa maneira, tentar melhorar a cada jogo. Concordo que time teve controle de jogo, foi consistente. Não vi o Ygor Vinhas fazer uma defesa. Foi importante como foi trabalhada a linha defensiva também", comentou.

Sem jogar com um centroavante de referência, Kleina destacou que o lance do gol foi inteiramente criado por conta da mobilidade dos atacantes. "Não tem problema jogar com um 9, mas entendemos que para esse momento, a gente tinha de criar uma situação para ter a posse de bola e a supremacia nos setores. Fizemos a bola entrar pela linha de fundo, e os atacantes chegarem de trás para a frente. O gol foi assim. Bola invertida para o Moisés, dois, três jogadores brigando lá dentro da área", afirmou.

A Ponte Preta, jogando no 4-4-2 de Gilson Kleina, foi mais efetiva quando teve a posse de bola: catorze finalizações (ante oito do Vasco) - sendo três certas. No 4-2-3-1 de Marcelo Cabo, os cruzmaltinos acertaram apenas um chute a gol, mas tiveram mais posse de bola: 55%.

Arbitragem

O empate do Vasco da Gama foi marcado graças a um pênalti que, na visão do treinador, não deveria ter sido validado. Logo depois, estendeu a crítica. "O gol que tomamos foi uma infelicidade. Se você vê bem o lance, é discutível. A bola trisca ali no braço na tentativa do Camilo cabecear. Se na Série B tivesse VAR, isso aí seria interpretado e talvez nem pênalti fosse. Sair atrás é complicado, mas time reagiu e criou situações para a virada de jogo. A CBF poderia ver o VAR na Série B", esbravejou.

Kleina foi além: reclamou de decisões da arbitragem que favoreceram o atual líder da Série B 2021. "O que vou falar agora é uma constatação. Eu vejo o Brusque com seis pontos, mas seis pontos irregulares. Foi um pênalti discutível contra nós, teve um gol legal da Ponte anulado e ontem um impedimento claro que ganhou do Londrina. É algo que temos condição de evoluir. Poderiam olhar para a Série B com mais carinho", finalizou.

Na próxima rodada da competição, a Macaca enfrenta o Sampaio Corrêa na próxima sexta-feira (11), às 19h (Horário de Brasília), fora de casa.

VAVEL Logo