Associação Atlética Ponte Preta
Associação Atlética Ponte Preta
Football Team
Soccer

Associação Atlética Ponte Preta

1900 Campinas, São Paulo


A Associação Atlética Ponte Preta é uma agremiação esportiva fundada por um grupo de estudantes no dia 11 de agosto de 1900, com sede na cidade de Campinas, interior do estado de São Paulo. A data de origem faz com que a Ponte Preta — como é conhecida popularmente — seja o time mais antigo de seu estado e dos um dos mais antigos do Brasil. Outro fato que se destaca na história alvinegra é a participação do clube no início da quebra do racismo no futebol ao integrar jogadores pretos ao elenco, o que ia totalmente contra o elitismo do esporte, presente no início do século no País.

Por ser da mesma cidade, o Guarani Futebol Clube é o maior rival, com quem travou diversas batalhas históricas acerca do futebol.

Origem e início

 A origem da Associação Atlética Ponte Preta se dá enormemente ao crescimento da cidade de Campinas. Em 1870, a construção da ferrovia entre o município de Jundiaí, também no interior paulista, a Campinas fez com que uma ponte precisasse ser construída na região do Bairro Alto para poder dar aporte aos trilhos da ferrovia intermunicipal. Logo, ela foi erguida com material de madeira e revestida de piche preto. Foi assim, então, que nascia uma ponte preta, o que fez o Bairro Alto mudar de nome para "Bairro da Ponte Preta" no ano de 1872.

A ponte preta, hoje vandalizada, que deu origem ao nome da agremiação (Foto: Reprodução/AAPP)
A ponte preta, hoje vandalizada, que deu origem ao nome da agremiação (Foto: Reprodução/AAPP)

Sob a língua portuguesa da época, a Associação Athletica Ponte Preta foi criada por estudantes do Colégio Culto à Ciência no ano de 1900. Eles se juntavam frequentemente para disputar partidas de futebol em espaços da cidade, principalmente no Bairro Ponte Preta, logo se organizaram e fundaram uma agremiação de mesmo nome do bairro.

As pessoas que criaram o clube naquele 11 de agosto do de 1900 se chamavam: Miguel do Carmo, Luiz Garibaldi Burghi, Antonio Oliveira (o Tonico Campeão), Alberto Aranha, Dante Pera, Zico Vieira e Pedro Vieira da Silva (primeiro presidente da história ponte-pretana).

Miguel do Carmo. O primeiro negro do futebol brasileiro a jogar por um clube. Também foi um dos fundadores da Ponte Preta.
Miguel do Carmo, o primeiro jogador preto a atuar profissionalmente no futebol brasileiro. Também foi um dos fundadores da Ponte Preta (Foto: Reprodução/AAPP)

Em 1910, já existiam na cidade de Campinas outros clubes de futebol:

  • Gymnasio A.C.
  • A.A. Ponte Preta
  • Americano F.C.
  • Mogyana A.A.
  • London F.C.
  • A.A. Campineira
  • S.C. Operário
  • A.S. Palmeiras

Ao final da década de 10, o único clube campineiro a seguir em atividade é a Associação Atlética Ponte Preta. Assim, em 1912, o Alvinegro se juntou a outros seis clubes para fundar a Liga operária de Foot-Ball Campineira, promovendo então o Segundo Campeonato Campineiro de Futebol. E foi justamente neste torneio que houve a primeira decisão do Dérbi Campineiro, entre Associação Athletica Ponte Preta e o então Guarany Futebol Clube. Logo, quem se sagrou a agremiação campeã foi a própria Ponte Preta.

Moysés (Moisés) Lucarelli, idealizador e homenageado do estádio

Nome ímpar, de grande importância, na história ponte-pretana é o de Moysés Lucarelli. Nascido em Limeira, cidade do interior paulista, no dia 4 de Fevereiro de 1900, ele foi o grande líder e idealizador da construção do estádio próprio que mais tarde recebeu seu mesmo nome como homenagem. Desde a arrecadação de fundos para a compra do terreno até a famosa "Campanha dos Tijolos", responsável por arrecadar 250 mil tijolos em apenas dois meses no ano de 1946. Moysés — ou Moisés — sempre foi grande exemplo para os sócios e torcedores naquela época.

Inaugurado em 12 de setembro de 1948, com capacidade para 35 mil torcedores, o Estádio Moisés Lucarelli foi erguido por apaixonados pela Ponte, que contou com doações de materiais provindas de seus patrocinadores na época.

"Quem passou pela Ponte e conheceu sua imensa torcida nunca a esquece e tem um carinho especial pelo time pelo resto da vida", conta Dadá Maravilha, ex-jogador.

Atualmente, o estádio suporta 19.728 pessoas a fim de levar um maior conforto ao público, renovação feita em 2016. No entanto, ainda no século passado, o Moisés Lucarelli registrou seu primeiro grande público. Tal fato histórico para a agremiação aconteceu em 16 de agosto de 1970, quando a Ponte Preta encarou o Santos Futebol Clube em frente a 33.500 pagantes, que acompanharam o triunfo de 1 a 0 do clube campineiro. E foi nesse mesmo Campeonato Paulista de Futebol que a Ponte se tornou vice-campeã.

Mas em 1978, com status oficial, o estádio campineiro recebeu 37.274 pessoas (34.985 pagantes) no jogo entre a Ponte e o São Paulo Futebol Clube. O resultado foi negativo para o time da casa: 3 a 1 para os paulistanos.

A quase fusão com o Juventus da Mooca

No ano de 1949, faltou muito pouco para a Ponte Preta comprar o Clube Atlético Juventus, do bairro paulistano Mooca. O Moleque Travesso enfrentava uma grande crise financeira, agravada com a saída do conde Adriano Crespi, seu mandatário. Assim, a Macaca queria a todo custo um lugar na elite do futebol de São Paulo. A Ponte ficou sabendo do suposto interesse do clube da Mooca de fechar as portas do futebol profissional e iniciou conversas para a fusão: a Macaca assumiria os salários de jogadores e funcionários do Juventus, porém manteria suas cores, seu nome e a sede continuaria em Campinas. No final das contas, nada foi feito.

Por que a Macaca como mascote?

A Macaca foi escolhida não só por ser diferente dos mascotes mais comuns entre as outras agremiações esportivas existentes, como também em decorrência de fatos históricos envolvendo racismo de torcedores adversários. Além disso, é um personagem que pode despertar simpatia e identificação tanto entre adultos quanto também entre crianças. O sucesso da Macaca dentro da torcida fez com que surgisse diversas aplicações em chaveiros, adesivos, camisetas, etc.

Hino oficial da Associação Atlética Ponte Preta

Autor: Renato Silva
Ano: 1977

Estandarte desfraldado
preto e branco é sua cor
Ponte Preta vai pro campo
para mostrar o seu valor
Ponte Preta inflamante
Ponte Preta emoção
Ponte Preta gigante
raça de campeão
Seu estádio é o Majestoso
seu nome uma glória
Ponte Preta sempre sempre
na derrota ou na vitória
És amada Ponte Preta
Orgulho de nossa terra
Ponte Preta de paz
Ponte Preta de guerra

Grandes feitos

A Ponte Preta detém conquistas e grandes campanhas a níveis municipais, estaduais, nacionais e até internacionais, como:

  • 10 títulos campineiros (1912, 1931, 1935, 1936, 1937, 1940, 1944, 1947, 1948, 1951)
  • 6 títulos do Campeonato do Interior (1927, 1951, 2009, 2013, 2015, 2018), 1 Taça dos Invictos (1970)
  • 7 vices do Campeonato Paulista (1929, 1970, 1977, 1979, 1981, 2008, 2017)
  • 3° lugar no Campeonato Brasileiro (1981)
  • 3° lugar na Copa do Brasil (2001)
  • 2 vices do Campeonato Brasileiro Série B (1997 e 2014).
  • Vice-campeonato da Copa Sul-Americana (2013)
//