Exclusivo: Rafael Santos detalha saída do Confiança e revela salários atrasados a receber
Rafael foi capitão do Confiança em muitas partidas durante o tempo em que esteve em Aracaju (Foto: Lucas Almeida / AD Confiança)

Na tarde desta segunda-feira (17) surgiu um texto acompanhado de prints que passou a rodar em grupos de torcedores do Confiança. Rapidamente o conteúdo viralizou. O tema? Um suposto jogador que havia deixado o clube afirmando que saiu sem receber valores fixados em contrato.

Porém, com a mesma velocidade em que viralizou, a confirmação de que se tratava de uma mensagem falsa também foi passada. Entretanto, com a pulga atrás da orelha, a VAVEL Brasil foi a fundo na história e obteve a confirmação de que o teor da mensagem é verdadeiro. O atleta em questão é o goleiro Rafael Santos, que deixou o time proletário no fim do ano passado.

A confirmação veio após contato direto com o atleta, que prontamente nos atendeu e se prontificou a apresentar o seu lado da história, revelando ao que diz respeito o débito em aberto e como se deu sua saída do Dragão

O arqueiro, atualmente com 32 anos, e com vínculo com o Tombense, vestiu a camisa proletária durante duas temporadas com um total de 79 jogos disputados. Segue abaixo o conteúdo obtido com exclusividade pela VAVEL Brasil.

Entrevista

VB - Você fez parte de um momento muito importante da história do Confiança e vivenciou um período complicado, onde o time acabou não conseguindo se manter na Série B. Apesar de tudo, nas entrevistas sempre demonstrou muito carinho pelo clube, mas a permanência não aconteceu para o ano de 2022. Qual foi o principal fator para que a renovação não acontecesse? Não houve um denominador comum, uma procura por parte da diretoria?

RS: "Assim como você disse na pergunta, vivenciei bons e maus momentos com a camisa do Confiança. Todos nós sabemos o quanto foi difícil o ano de 2021. Muitos problemas desde a montagem do elenco lá no início que só foi se ajustar com a chegada do Luiz Lopes (técnico Luizinho Lopes). Fiz um pedido ao clube para não me deixar sair de Aracaju sem contrato e isso não foi atendido. Futebol é muito dinâmico e tenho família para sustentar, não posso ficar esperando e correndo risco de fechar mercado. Após o fim do contrato fiquei por volta de dez dias aguardando e apenas o Luiz (treinador) manteve contato. Infelizmente não pude esperar e segui minha vida".

VB - Em relação à parte financeira. De fato, quais foram as pendências que ficaram em aberto? 

RS: "Nesses dois anos de Confiança o clube sempre cumpriu com os salários. Premiações ficaram algumas (25% do prêmio do campeão estadual 2020 e prêmio do jogo contra o Oeste - este pela Série B 2020 em partida que praticamente garantiu a permanência do azulino na segunda divisão naquele ano) e nesse último mês trabalhando só foram pagos (salário referente ao último mês de contrato) os jogadores que permaneceram no clube. Estipularam alguns prazos de pagamento e estamos aguardando para não ser preciso acionar a justiça, pois não tenho essa intenção".

VB - Dentro do período em que esteve no Confiança, houve algum momento de atrito com a diretoria, algum outro momento em que pendências financeiras existiram?

RS: "Sempre tive ótimo relacionamento com todos do clube. Sempre respeitei todos e sempre fui respeitado. Problemas financeiras apenas de pagamento de premiações e sempre com bom diálogo tentamos resolver. Uns conseguimos, outros não".

VB - Sua vontade pessoal era de permanecer aqui em Aracaju? Ou houve um desejo em seguir novos desafios na carreira?

RS: "Minha vontade sempre foi de permanência. Mas, ficar sem contrato foi algo que me incomodou, é algo que liga um sinal de alerta porque dependo do futebol para sustentar minha família".

VB - Até o momento a diretoria já te procurou alguma vez para sentar e conversar sobre o débito que existe com você?

RS: "Estamos em contato com a responsável pelos pagamentos e espero que a data seja cumprida porque eu trabalhei até o dia 30 de novembro, respeitando e honrando a camisa do Confiança. Espero que os responsáveis pelo clube não deixem os jogadores irem à justiça, porque atrapalha muito o andamento da instituição. Para finalizar, não quero que seja um adeus e sim um até logo. Amo o clube e espero poder voltar a vestir essa camisa".

Espaço aberto

Em contato com o clube, a VAVEL Brasil apurou que a assessoria fará um comunicado em breve. Assim, nosso portal deixa o espaço aberto para que o Confiança se manifeste com seu lado da história.

VAVEL Logo