Mancini destaca "conversa, amizade e confiança" após goleada em reestreia pelo América-MG
Foto: Mourão Panda/América

Neste sábado (16), em uma noite mágica, o América-MG goleou o Juventude pela segunda rodada do Brasileirão, no Independência por 4 a 1. Com o resultado, o Coelho subiu para a quinta posição e, dependendo dos resultados deste domingo, poderá fechar a rodada na primeira página da tabela.

Depois de expulsar a assombração que vinha importunando a equipe dentro de casa com essa goleada, o Coelho poderá seguir na temporada com um peso a menos em suas costas, já que vinha num jejum de mais de 50 dias sem balançar as redes dentro de seus domínios.

Vagner Mancini, de volta ao comando do América, se mostrou bastante feliz ao ver a equipe voltando as características de sua primeira passagem, que inclusive, foi um dos fatores cruciais para a equipe chegar aonde chegou na temporada 2021.

"Eu fico feliz de ver a característica da equipe sendo modificada e voltando à aquilo que era feito na minha outra passagem no América. Eu quero exatamente isso."

Com estilo agressivo e ofensivo, o treinador não gosta de maneira alguma de jogadas trabalhadas para trás, é uma das coisas que o incomoda e que ainda são vistas na equipe.

"Eu fico muito chateado — e os atletas sabem disso — quando tem uma falta que é batida para trás... um lateral, que é batido para trás. No começo do jogo eu já comecei a falar e os atletas escutam. E a postura tem que ser essa: fez 1 a 0? Busca o segundo. Fez o segundo? Busca o terceiro. E por quê? Porque você acaba solidificando uma maneira de jogar, que a gente vê numas outras equipes do Brasil, e que o América tem condições de fazer isso."

Pulando para um pouco fora da partida, sobre Aloísio 'Boi Bandido' e Wellington Paulista, quando estarão disponíveis para atuar e defender o América, o treinador foi sucinto na resposta e bem centrado.

"Eu acho que, tanto um quanto o outro, vão ser necessários aí de uma semana à dez dias, no mínimo. O Aloísio talvez até um pouquinho mais. Os atletas estão tentando, de uma maneira significativa, volta o quanto antes. O Wellington é uma lesão que requer um certo cuidado, o Aloísio vem de uma inatividade... mas percebo nos dois uma vontade muito grande de fazer parte."

Foto: Mourão Panda/América
Foto: Mourão Panda/América

Pedrinho, autor do gol que sacramentou a goleada e selou a vitória americana, entrou na etapa final e atuou por dezessete minutos. Mesmo assim, ficou feliz de mostrar serviço para o novo professor e comentou, que a vitória, da confiança para seguir firme na competição.

"Muito feliz com o gol e também com a vitória que é muito importante para dar confiança para a disputa do Brasileirão. Aproveitando a oportunidade, gostaria de dedicar esse gol para o meu avô Bil e minha avó Olga e dizer que gosto muito deles."

VAVEL Logo