Após eliminação na Libertadores, Diego Aguirre anuncia saída do Atlético-MG

Uruguaio, que comandou o Galo em 31 oportunidades, revela que pediu para sair do clube ainda no fim da primeira fase da competição continental

Após eliminação na Libertadores, Diego Aguirre anuncia saída do Atlético-MG
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Menos de 24 horas após a eliminação do Atlético-MG na Copa Libertadores, diante do São Paulo, no Estádio Independência, o presidente alvinegro Daniel Nepomuceno ocupou a cadeira principal de entrevistas da sala de imprensa, na Cidade do Galo. O motivo? Anunciar a saída do técnico Diego Aguirre, contratado após a saída de Levir Culpi, no fim da temporada passada.

De acordo com Aguirre, a decisão de sair do Atlético foi própria e revelou que já havia tentado entregar o cargo de treinador no fim da primeira fase da Libertadores, quando o Galo se classificou para às oitavas de final. Por esse motivo, Daniel Nepomuceno convenceu o profissional a continuar comandando o clube, por, pelo menos, até o fim da participação alvinegra na competição continental.

"Estamos aqui para lhes comunicar que tomei a decisão de deixar o clube. O principal objetivo não foi possível, como vocês viram ontem [quarta-feira]. Estou muito agradecido ao presidente, ao Maluf e a todos os profissionais que trabalham no clube, especialmente jogadores. Futebol é assim. É ganhar e as vezes temos que tomar decisões. Há 20 dias atrás, quando passamos pela primeira fase, falei com Daniel que queria deixar o clube e ele pediu que eu ficasse, para que jogássemos contra o Racing. Achei justo e falei que quando acabasse nossa participação na Libertadores, sairía. Só tenho que agradecer, tivemos uma experiência excelente. Deixamos coisas importantes para o futuro do Atlético, tenho certeza disso", despediu Diego Aguirre.

Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Em seguida, o uruguaio passou a palavra para Nepomuceno. O presidente alvinegro confirmou o pedido de saída de Aguirre no passado, convecendo o profissional a se manter no cargo. O mandatário ainda teceu vários elogios ao treinador, agradecendo Diego pelos serviços prestados. Apesar da saída do técnico, Daniel garantiu que ainda não consultou nenhum comandante para assumir o time no decorrer da temporada.

"Primeiro, eu e Diego quando conversamos hoje, fizemos questão de virmos juntos falar com vocês. Em uma relação profissional, temos que caminhar juntos. Minha relação com a comissão técnica sempre foi boa. Não tenho muito a dizer, o Diego colocou bem. Ele realmente me procurou, mas entendemos que estávamos caminhando na Libertadores. Ele é um treinador moderno e deixa vários ensinamentos ao atlético. Não conversei com treinador nenhum e quando acontecer, vocês serão informados. Basicamente, é uma entrevista de agradecimento", resumiu Nepomuceno.

Com isso, Aguirre teve a oportunidade de comandar o time desde o início do ano. Conquistou a Torneio da Flórida, em janeiro, mas fracassou nas três principais competições do primeiro semestre com o Galo: na Primeira Liga, onde o time foi eliminado na ainda na fase inicial, no Campeonato Mineiro, no qual amargou o vice para o América-MG, e por fim, a Libertadores da América.

Após o duelo desta quarta-feira (18), Diego Aguirre, em entrevista coletiva, não garantiu sua permanência no Atlético-MG, com muita tristeza e incerteza em suas palavras. O mesmo valeu para o mandatário Daniel Nepomuceno, visivelmente chateado com a eliminação em casa. O presidente do Galo resolveu deixar a decisão para esta quinta, dia em que anunciou o enceramento do ciclo do treinador uruguaio na agremiação mineira.

Aguirre comandou o Atlético-MG em 31 oportunidades, vencendo 16 vezes, empatando sete jogos e perdendo outros oito. Foram 54 gols marcados e 28 sofridos. Apesar da demissão do treinador uruguaio, a vida continua para o Galo na temporada, uma vez que no próximo domingo (22), os mineiros enfrentam o Atlético-PR, às 11h, na Arena da Baixada, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.