Em jogo de tempos distintos, Atlético-PR vence Maringá na estreia do Paranaense 2018

Primeiro tempo foi bastante equilibrado, enquanto o segundo teve amplo domínio do Atlético-PR

Em jogo de tempos distintos, Atlético-PR vence Maringá na estreia do Paranaense 2018
Deivid marcou um dos gols da vitória do CAP (Foto: Miguel Locatelli/Site Oficial)
Atlético-PR
2 1
Maringá
Atlético-PR: Léo; Cascardo, José Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi; Bruno Guimarães (Guilherme, MIN. 81), Deivid e Giovanny (Felipe Dorta, MIN. 67); Yago, Demethryus (João Pedro, MIN. 56) e Éderson. Técnico: Tiago Nunes.
Maringá: Fábio; Rhuan, Alex Fraga, Egon e Thiago Cristian; Carlão, Rodrigo Dantas, Everton (Chimbinha, MIN. 58) e Lucão (Washington, MIN. 86); Paulinho (Edmar, MIN. 71) e Bruno Batata. Técnico: Fernando Marchiori.
Placar: 1-0, Deivid, MIN. 3; 1-1, Bruno Batata, MIN. 19. 2-1, Felipe Dorta, MIN. 78.
ÁRBITRO: FELIPE GOMES DA SILVA (PR). CARTÕES AMARELOS: Demethryus e Deivid (Atlético-PR); Egon, Chimbinha e Bruno Batata (Maringá).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 1ª RODADA DO CAMPEONATO PARANAENSE 2018. JOGO FOI REALIZADO NESTE SÁBADO (20), NA ARENA DA BAIXADA, EM CURITIBA.

 

Em partida válida pela 1ª rodada do Campeonato Paranaense 2018, Atlético-PR e Maringá fizeram jogo movimentado nesta tarde de sábado (20), na Arena da Baixada. Com gols de Deivid e Felipe Dorta para o Furacão e Bruno Batata para o Tricolor, quem saiu com a vitória foi o time da casa por 2 a 1.

Depois da boa estreia, o Furacão volta seu foco para o clássico contra o Paraná, que será disputado na Vila Capanema, quarta-feira (24), às 20h. Além de tudo que envolve um jogo como esse, tem o fato de que o Tricolor da Vila vai precisar de um resultado positivo para se recuperar do resultado ruim que teve contra o União-PR.

Já o Maringá terá novamente um confronto fora de casa pela frente para tentar a recuperação. Próximo jogo do Tricolor Maringaense será contra o Londrina, no Estádio do Café, às 21h45, da próxima quarta-feira (24). A estreia em casa só virá na terceira rodada do estadual, contra o Toledo.

Primeiro tempo equilibrado

Apesar de ainda ser início de temporada, o Furacão logo partiu para cima do Tricolor Maringaense, o que fazia com que os defensores do Maringá fossem obrigados a fazerem várias faltas para parar o ataque atleticano. E era assim que o Atlético-PR leva mais perigo. Em uma delas, Yago fez jogada ensaiada com Giovanny e o meia cruzou na área, a defesa não conseguiu cortar e a bola sobrou para Deivid, que bateu cruzado, abrindo o placar na Arena da Baixada.

Finalmente acordado na partida, o Maringá tentava responder com as chegadas de Paulinho, que sempre incomodava nas jogadas pelo lado. Inclusive foi dele a primeira grande oportunidade do Tricolor. Ele tentou cruzar, a bola saiu muito fechada e bateu na trave. Na segunda, ele recebeu dentro da área, mas quando estava preparado para marcar, Zé Ivaldo chegou e tirou providencialmente para escanteio.

O jogo seguia movimentado, com Yago sendo o maior destaque. O atacante do Furacão não só procurava bater para o gol, como voltava para armar as jogadas. Foi ele, inclusive, que fez boa jogada pela direita, e rolou para Éderson bater no cantinho, mas caprichosamente a bola saiu raspando a trave.

Apesar disso, o Maringá não desistia do empate e a insistência deu certo. Demethryus saiu errado e a bola sobrou para Paulinho, que de frente para o goleiro, foi derrubado na área pelo próprio Demethryus. Na cobrança do pênalti, Bruno Batata bateu com categoria, empatando o jogo. Pouco tempo depois, boa jogada de Paulinho pela esquerda. No chute, Léo fez grande defesa e a bola ainda bateu no travessão antes de ir para escanteio.

Após esse bom momento do Maringá, foi o Atlético-PR que procurou pressionar em busca do segundo gol. Mesmo assim, pouco fazia para que Fábio trabalhasse. Maior parte do domínio era em termos de posse de bola. A única chance real até o fim da primeira etapa foi quando Giovanny recebeu lançamento de Renan Lodi, invadiu a área, mas na batida, Fábio saiu bem e fez grande defesa. Éderson ainda teve gol anulado, mas foi só em um primeiro tempo bastante movimentado em Curitiba.

Furacão domina segundo tempo e consegue a vitória

Se na primeira etapa os dois times construíram muitas chances de gol, isso mudou de figura no início dos 45 minutos finais. Muito disso é porque, ao contrário do que fez no começo de jogo, o time não procurava sair rápido e controlava mais a bola. Quando essa posse era perdida, a equipe pressionava a saída de bola do Furacão e dificultava a chegada do time da casa no campo de ataque.

Sem verem seus times agredirem o adversário, os dois técnicos promoveram mais mudanças para não só dar fôlego novo, como para tornarem as equipes mais ofensivas. Essa estratégia deu certo logo de cara para o Furacão, quando Éderson recebeu passe de Renan Lodi na área e bateu cruzado, mas Fábio fez excelente defesa.

Amplamente superior a partir dos 15 minutos da segunda etapa, o Atlético-PR rondava a área do Tricolor a todo momento, fazendo uma verdadeira blitz. Aos 21', Renan Lody cruzou para Éderson, que esperou a bola no pé, mas Cristian se antecipou e colocou para escanteio. Na cobrança, Léo Pereira cabeceou forte e Fábio salvou o Maringá mais uma vez.

Por ironia do futebol, enquanto o Furacão tentava fazer jogadas trabalhadas, o gol da vitória só saiu em uma cobrança de falta. Felipe Dorta bateu mal, mas a bola desviou na barreira e traiu Fábio, entrando mansamente no canto do gol. E foi só. Daí em diante, o Atlético-PR só procurou controlar o jogo até o final para segurar o resultado positivo.