Botafogo 2016: muitas apostas e pouco investimento no retorno à Série A

Campeão da série B de 2015, o Glorioso viu seu elenco ser desfeito, sem verbas aposta na base e na raça dos jogadores

Botafogo 2016: muitas apostas e pouco investimento no retorno à Série A
Botafogo 2016: muitas apostas e pouco investimento

Após passar por uma grave crise que o levou para a série B, o Botafogo vivencia um delicado período em que busca a reestruturação. Para isso, mantém sua folha salarial entorno de R$ 3 milhões mensais e aposta em jogadores da base e contratações pouco conhecidas para lutar na série A. 

O retorno à série A

Em 2014 os botafoguenses viram o time ir da Libertadores à uma crise que não parecia ter fim, mas teve fim: a série B, que também pode ser vista como um recomeço. Presidente novo, jogadores novos, técnico antigo, assim começou o ano de 2015 para o despretencioso time botafoguense.

Após mais uma eliminação precoce na Copa do Brasil em pleno Estádio Nilton Santos, o treinador René Simões foi demitido do cargo, abrindo espaço para Ricardo voltar aos campos após 4 anos de recuperação. O time foi líder em 30 das 38 partidas, se manteve invicto até enfrentar o Macaé na 9ª rodada. 

Ainda no meio do Brasileirão, o alvinegro viu peças importantes deixando um vazio no clube, Rodrigo Pimpão, Bill, Marcelo Mattos e Gilberto. Em compensação surgiram novos jogadores, no setor ofensivo Neilton e Navarro ganharam grande destaque junto com o meia Daniel Carvalho. 

Apesar de não ter vaga no time titular, Sassá aproveitava quando lhe surgia oportunidade e foi dessa forma que decidiu um confronto direto contra o Vitória. O time baiano marcou aos 48min do segundo tempo, mas aos 49min Sassá garantiu a liderança. O ano de 2015 foi também o surgimento de uma jóia da base: Luis Henrique, o atacante de17 anos fez gols importantes e ajudou da forma que pôde levando o time nas costas às vezes.

A equipe preta e branca garantiu o retorno à elite do futebol brasileiro após uma vitória em cima do Luverdense, mas o título só foi definido em um confronto direto com o América MG na última rodada, terminou empatada. O elenco sempre foi suficiente para vencer os adversários da segunda divisão, mas claramente não era suficiente para disputar a série A.

Histórico nos pontos corridos

ANO SÉRIE COLOCAÇÃO PONTOS JOGOS VITÓRIAS EMPATES DERROTAS CLASSIFICAÇÃO
2015 B 72 38 21 9 8 Campeão - Série B
2014 A 19º 34 38 9 7 22 Rebaixamento
2013 A 61 38 17 10 11 Libertadores
2012 A 55 38 15 10 13 Sulamericana
2011 A 56 38 16 8 14 Sulamericana
2010 A 59 38 14 17 7 Sulamericana
2009 A 15º 47 38 11 14 13 Neutro
2008 A 53 38 15 8 15 Sulamericana
2007 A 55 38 14 13 11 Sulamericana
2006 A 12º 51 38 13 12 13 Sulamericana
2005 A 59 42 17 8 17 Sulamericana
2004 A 20º 51 46 11 18 17 Neutro
2003 B 41 23 11 8 4 Acesso Série A

Destaques

Jefferson

Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

O ídolo da torcida, famoso pelas defesas difíceis, agarra com frieza e precisão, além de ser um líder dentro de campo. O goleiro jogou a série B em 2003, foi fundamental para evitar a queda em 2009 e parou o Flamengo de Adriano e Vagner Love em 2010. Mesmo sendo um dos melhores goleiros do Brasil, decidiu continuar no time em 2015 para ajudar o time em um dos momentos mais precários. Deve alcançar este ano o posto de terceiro jogador com mais jogos pelo clube, ultrapassando o ídolo Manga e ficando atrás apenas de Garrincha e Nilton Santos.

Ribamar

Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

Com apenas 18 anos, o jovem atacante subiu para o profissional após um desempenho de alto nível nos treinos e foi destaque do alvinegro no Carioca mostrando grande evolução no decorrer do campeonato que marcou três gols, um deles sendo o gol da classificação para a final.

Joel Carli

Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

O zagueiro argentino de 1,91m foi o primeiro reforço do Botafogo para o ano de 2016. Ao lado de Emerson Santos (atualmente contundido) ajudou o time a ter a segunda melhor defesa do Carioca, pois ambos tem forte jogo áereo defensivo. Carli conquistou a confiança de Ricardo Gomes e da torcida, mostrou grande precisão nos passes e desarmes, além de marcar dois gols, um deles em cima do rival Flamengo.

Características da equipe

O Botafogo de Ricardo Gomes que disputou o Campeonato Carioca de 2016 se difere da equipe da Série B do ano anterior. Enquanto o time do acesso se destacava principalmente pelo seu número de gols marcados, o Botafogo atual chama a atenção devido ao seu forte poder defensivo. Além de contar com o experiente e consagrado goleiro Jefferson, jogadores como Joel Carli e Emerson conseguiram se destacar neste primeiro semestre e fizeram com que as equipes adversárias pouco ameaçassem o goleiro alvinegro. 

Por outro lado, o setor ofensivo apresenta falhas. Sem uma grande referência no ataque, o Botafogo aposta em jogadores da base para balançar as redes. Luis Henrique e Ribamar, de, respectivamente, 17 e 18 anos, atualmente são os principais responsáveis por fazer gols. Enquanto o primeiro surgiu com força na Copa do Brasil Sub-17 de 2015, subiu aos profissionais e perdeu espaço ao longo do tempo, Ribamar vem em uma crescente desde o início do Campeonato Carioca deste ano, quando subiu para o time principal. 

Com um meio composto por jogadores pouco eficientes, o Botafogo usa com frequência os lados do campo com Luis Ricardo pela direita e Diogo Barbosa pela esquerda. Além destes, Bruno Silva sobe ao ataque quando necessário. No meio, Salgueiro tem liberdade para se movimentar para onde for mais conveniente durante a partida e então tentar uma ligação com Ribamar ou com os jogadores que sobem para o ataque. 

Planejamento 2016

O planejamento inicial, foi manter alguns jogadores importantes na conquista da Série B, entre eles Sassá, Luis Henrique, Neilton, Renan Fonseca e Luis Ricardo. Houve também um aumento do teto salarial, atualmente de R$ 60 mil por jogador e o clube se encontra mais estruturado.

Apesar de não poder fazer grandes contratações e trazer nomes de peso, o Botafogo pode contar com a raça dos seus jogadores, da mesma forma que muitos não acreditavam nos desconhecidos nomes para o Campeonato Carioca e conseguiram chegar na final, pretendem surpreender e lutar no Brasileirão.

Aposta em muitos jogadores da base, como Leandrinho e Ribamar, também conta com suas atuais contratações como Salgueiro, Bruno Silva e Joel Carli, além da experiência dos jogadores que vieram desde o ano passado, como Jefferson, Airton e Lindoso.É importante frisar que o elenco não está totalmente formado e é fraco a nível nacional, a diretoria busca reforços além de Anderson Aquino e Marquinho, já contratados, mas alerta que o orçamento é restrito.

A permanência de Ricardo Gomes

Após a final do Carioca, o treinador do time de General Severiano recebeu uma proposta do Cruzeiro mais vantajosa financeiramente. Na última segunda feira (09) se reuniu com o presidente e decidiu que ficaria no clube e seu contrato foi espandido até o fim de 2017.

A permanência do técnico na equipe tem grande significado e importância, tanto para os torcedores quanto para o trabalho que já vinha realizando. Comandando o Botafogo há oito meses, é perceptível a melhora e a organização do elenco após sua chegada.

Para as competições busca reforços, mas acredita no seu bom trabalho e nos meninos da base que adquiriram mais maturidade para enfrentar grandes desafios, mas diante das dificuldades enfrentadas na primeira divisão, ele ainda busca acontratação de reforços para a manutenção do elenco.

Arena Botafogo

Sem o Estádio Nilton Santos, que ficará inativo grande parte do campeonato, pois foi cedido para a disputa dos Jogos Olímpicos de 2016, o Glorioso vai contar com a reforma do estádio da Portuguesa da Ilha.

No fim de abril, o presidente Carlos Eduardo Pereira confirmou parceria com o clube da Zona Norte carioca para transformar seu estádio atual na Arena Botafogo. Com espaço para menos de 4000 torcedores, a expectativa é que com arquibancadas temporárias esse número aumente para 18 mil lugares.

O alvinegro é proprietário do estádio Caio Martins em Niterói há cerca de 30 anos, mas para jogar nele as reformas seriam mais complexas, pois deveriam ser construídas arquibancadas definitivas e ainda assim não atenderiam os padrões da CBF. 

A definição de um estádio é muito importante financeiramente para o clube, que estava sem muitas opções de planos de sócio torcedor, agora já apresenta mais opções de benefícios que prometem novos associados.

Enquanto as reformas na nova arena são feitas, o Botafogo conta com o Estádio Raulino de Oliveira em Volta Redonda, onde faz sua estreia.

Ficha técnica

Nome: Botafogo de Futebol e Regatas

Fundação: devido a fusão do Club de Regatas Botafogo (fundado em 1894) e do Botafogo Football Club (fundado em 1904) só nasceu efetivamente no dia 8 de dezembro de 1942

Mascote: Manequinho

Títulos: Campeonato Brasileiro (1968, 1995 e Série B 2015), Copa Conmebol (1993), Torneio Rio-São Paulo (1962, 1964, 1966 e 1998) e Campeonato Carioca (1907, 1910, 1912, 1930, 1932, 1933, 1934, 1935, 1948, 1957, 1961, 1962, 1967, 1968, 1989, 1990, 1997, 2006, 2010 e 2013)

Campanha no Brasileirão 2015: a equipe se classificou para a Série A em 1º lugar da segunda divisão do campeonato

Expectativa para o Brasileirão 2016: classificação para a Copa Sulamericana