Comitê Olímpico dos Estados Unidos e Ryan Lochte pedem desculpas ao Brasil

Nadador e o Comitê publicaram notas oficiais sobre o caso; Eduardo Paes classificou como "falha no caráter"

Comitê Olímpico dos Estados Unidos e Ryan Lochte pedem desculpas ao Brasil
(Foto: EFE/EPA/PATRICK B. KRAEMER)

Após a polícia declarar que a denúncia de roubo dos nadadores norte-americanos eram falsas, o Comitê Olímpico dos Estados Unidos se pronunciou e afirmou que tomará as medidas possíveis no caso. Já Ryan Lochte, que ainda não prestou novo depoimento, pediu desculpas pelo comportamento, mas não admitiu que mentiu. Confira abaixo as notas oficiais publicadas pelo Comitê e por Lochte:

"Do presidente do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Scott Blackmun:

Dois nadadores olímpicos dos EUA (Gunnar Bentz e Jack Conger) deram declarações às autoridades locais hoje a respeito do incidente relatado pela primeira vez no domingo, dia 14 de agosto de 2016. Seus passaportes foram liberados e eles deixaram o Rio.

Depois de prestar depoimento no início da semana, uma terceira parte (James Feigen) deu um novo depoimento esta noite, com a esperança de obter a liberação de seu passaporte o mais rápido possível.

Trabalhando em colaboração com o Consulado dos EUA no Rio, nós coordenamos a cooperação dos atletas com as autoridades locais e garantimos a sua segurança durante todo o processo, mas não vimos os depoimentos completos fornecidos por Bentz e Conger.

No entanto, entendemos que eles descreveram os eventos que muitos têm visto no vídeo de vigilância tornados públicos hoje. Tal como entendemos que os quatro atletas (Bentz, Conger, Feigen e Ryan Lochte) deixaram a Casa França no início da manhã do domingo 14 de agosto em um táxi com destino à Vila Olímpica. Eles pararam em um posto de gasolina para irem ao banheiro, onde um dos atletas cometeu um ato de vandalismo. Houve uma discussão entre os atletas e dois seguranças do posto, armados e que exigiram que os mesmos fizessem o pagamento em dinheiro. Uma vez que os seguranças receberam o dinheiro dos atletas, eles foram liberados para irem embora.

O comportamento destes atletas não é aceitável nem representa os valores do Time EUA ou a conduta da vasta maioria de seus membros. Vamos rever o assunto, e quaisquer potenciais consequências para os atletas, quando voltarmos para os Estados Unidos.

Em nome do Comitê Olímpico dos Estados, pedimos desculpas aos nossos anfitriões no Rio e ao povo do Brasil por esta perturbação no meio do que deveria ser justamente uma celebração da excelência.

Restando três dias para o fim dos Jogos Olímpicos, o nosso foco principal continuará a ser o suporte aos atletas que ainda estão competindo e celebrando os objetivos alcançados".

A declaração de Ryan Lochte veio pelo twitter:

"Quero me desculpar por meu comportamento na última semana - por não ter sido mais cuidadoso e franco em como descrevi os eventos daquela manhã e por tirar o foco dos muitos atletas que alcançaram seus sonhos de participar de uma Olimpíada. Esperei para compartilhar esses pensamentos até que a situação legal fosse realmente resolvida e ficasse claro que meus colegas de equipe voltariam para casa.

É traumático estar até tarde na rua com seus amigos em um país estrangeiro - com a barreira da linguagem - e ter um estranho apontando uma arma para você e pedindo dinheiro para deixá-lo ir embora, mas apesar do comportamento de qualquer um naquela noite, eu deveria ter sido muito mais responsável em como me comportei e por isso peço desculpas aos meus companheiros de equipe, meus fãs, meus amigos competidores, meus patrocinadores e aos anfitriões desse grande evento. Estou muito orgulhoso por representar meu país em uma competição olímpica e essa situação poderia e deveria ter sido evitada. Eu aceito a responsabilidade por meu papel nesse evento e aprendi lições valiosas.

Sou grato aos meus companheiros do time de natação dos Estados Unidos e ao Comitê Olímpico dos Estados Unidos, e agradeço os esforços do Comitê Internacional, o comitê da Rio 2016, e as pessoas do Brasil que nos receberam no Rio e trabalharam duro para ter certeza que esses Jogos Olímpicos virassem memórias incríveis.

Já foi dito muita coisa e muitos recursos valiosos dedicados pelo que aconteceu semana passada. Então espero que passemos nosso tempo celebrando as grandes histórias e performancesnesses Jogos e olhemos para frente para celebrar sucessos futuros".

Em coletiva na manhã desta sexta-feira (19), Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, comentou sobre o caso: "Em relação aos nadadores, eu confesso que o meu único sentimento em relação a eles é de pena, desprezo. Que pena que tenham algumas falhas de caráter, e acho que é problema deles e do comitê olímpico americano para resolver o que fazer".

"Eu acho que todos nós mais do que temos que agradecer e aceitar as desculpas do Comitê Olímpico dos Estados Unidos. Foi um gesto de muita coesão da parte deles. Da mesma maneira que o nosso comitê olímpico, quando se imaginava que os quatro tinham sido alvo da violência urbana, tinha se desculpado. É muito correta a conduta deles e as desculpas estão mais do que aceitas", declarou o prefeito.

O diretor de comunicação da Rio 2016, Mario Andrada, também falou sobre o assunto: "Nós aceitamos a desculpa deles, mas o que nós achamos é que o povo brasileiro ficou decepcionado com a atitude deles. Nós temos um milhão de pessoas reclamando deles no Twitter. Os brasileiros ficaram humilhados com a atitude inicial deles. Eu acho que o povo brasileiro vai aceitar as desculpas, mas quero deixar isso como águas passadas. Não acho que esse episódio será algo que vai marcar os jogos, acho que o que vai ficar na história são os feitos dos atletas. Medalhas de phelps, desempenho de Usain Bolt e o clima nos locais de decepção".