Webber confirma rumores, acerta com Porsche e deixa a F1
Australiano deixará a categoria após completar 12 anos de F1 (Foto: infiniti-redbullracing.com)

Mark Webber confirmou os rumores crescentes de que abandonaria a Fórmula 1 ao final da temporada. Nesta quinta-feira, o australiano soltou um comunicado em seu site oficial confirmando que correrá a partir da próxima temporada pela equipe da Porsche, que disputa o Mundial de Endurance e as 24 Horas de Le Mans.

No comunicado conjunto com a montadora alemã, Webber não citou o nome da Red Bull, dando a entender que o ambiente dentro da equipe não estava bom. "Estou muito ansioso para este novo desafio após meu tempo na Fórmula 1. Porsche, sem dúvidas, estabeleceu altas metas. Eu mal consigo esperar para pilotos um dos carros mais rápidos do mundo".

Momentos depois do piloto tornar pública a decisão, a Red Bull agradeceu, também em um comunicado, pela sua "extensa contribuição que ele deu ao time durante sete temporadas". Christian Horner, chefe de equipe, também se pronunciou sobre a saída do australiano e disse "apoiá-lo" no que foi "sem dúvida uma decisão muito difícil de ser tomada".

Aos 36 anos, o piloto deixará a principal categoria do automobilismo mundial após 12 temporadas. Ele entrou na F1 em 2000 como piloto de testes da Arrows. No ano seguinte provou os carros da escuderia Renault, antes de estrear em 2002 pela Minardi. Logo na sua corrida de estreia conseguiu um quinto lugar correndo em casa, no Circuito de Albert Park, em Melbourne.

O bom desempenho pela equipe chamou a atenção da Jaguar, onde guiou nos dois anos seguintes, terminando por onze oportunidades na zona de pontuação. Em 2005 esperava dar o grande salto na carreira ao assinar pela Williams. Mas pela decadente equipe inglesa o melhor que conseguiu em duas temporadas foi o seu primeiro pódio na categoria no GP de Mônaco do seu ano de estreia no seu time.

Em 2007 aceitou o convite da então mediana Red Bull, onde continua até a atual temporada. Conseguiu evoluir junto com a escuderia austríaca e conquistou nove vitórias, onze pole positions e mais 35 pódios. Seu melhor ano foi em 2011, quando brigou até a última etapa pelo título com Fernando Alonso e seu companheiro de equipe Sebastian Vettel.

O piloto alemão pode ser uma das causas da saída de Mark Webber da Fórmula 1. O piloto já havia reclamado do tratamento preferencial para o seu companheiro, atual tricampeão da categoria. E a situação teria ficado insustentável após o Grande Prêmio da Malásia deste ano. Na ocasião, o australiano liderava a prova seguido por Vettel, que ignorou a ordem da Red Bull de manter a sua posição, o ultrapassou de forma arriscada e conquistou a vitória.

A atitude de Vettel de desrespeitar a posição causou mal estar dentro da escuderia e até Cristian Horner saiu em defesa de Webber. Porém, parece ter sido o estopim para que aceitasse o convite da Porsche, mesmo sendo sondados para guiar por outras equipes a partir da próxima temporada. Em 2013, ele está em quinto lugar na classificão com 69 pontos, 53 atrás do seu companheiro de equipe e líder do Mundial.

Será a terceira experiência do australiano em Le Mans. Ele correu em 1998 e 1999, antes de ingressar na Fórmula 1 e não obteve bons resultados, com sua equipe não terminando nenhuma das corridas.

VAVEL Logo