Presidente da FIA, Jean Todt nega envolvimento ilegal em "acordo secreto" com Ferrari
Foto: John Todt/Divulgação

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), John Todt, em entrevista ao jornal mais lido da Itália, Corriere della Sera, voltou a defender a legalidade acordo com a Ferrari.

“É assim que funciona. Dá uma semana e aí todo mundo esquece outra vez. Quando aceitei esse trabalho, sabia que teria consequências positivas e negativas. Só quero ser transparente com a FIA e, às vezes, existem alguns rumores”, seguiu.

O presidente rechaçou qualquer envolvimento ilegal entre as instituições no acordo secreto. “Nós agimos profissionalmente e completamente de acordo com as regras”.

Entenda o caso

Em fevereiro, a FIA anunciou um acordo com a escuderia de Maranello em relação a suspeita de uma irregularidade no fluxo de combustível de motor. Os termos jamais foram divulgados.

O procedimento não foi conduzido de modo comum, mas descrito no próprio documento de regras judiciais e disciplinares da Federação. Com o Ferrari exibindo um performance superior no segundo semestre de 2019. A Red Bull quem acusou a rival italiana de irregularidades. 

O mistério não foi bem recebido pelas equipes rivais, que ameaçaram ir à justiça buscar “reparação legal”. O protesto de McLaren, Mercedes, Racing Point, Williams, Renault, Red Bull e AlphaTauri, porém, acabou esvaziado após uma interferência da Daimler, dona da marca Mercedes.

VAVEL Logo