Análise da chave de Roland Garros
Foto: ATP/ Divulgação

No próximo dia 27 de maio começa a 114ª edição de um dos mais tradicionais e aguardados torneios de tênis do ano: Roland Garros. O segundo Grand Slam do ano disputado na charmosa capital francesa, Paris, terá a presença dos principais nomes do tênis mundial.

LEIA MAIS: Sorteio de Roland Garros marca possível encontro entre Djokovic e Nadal nas quartas

Confira a chave principal de Roland Garros

Primeiro Quadrante

Provável caminho de Djokovic: Nieminen - Muller/Lorenzi - Tomic - Anderson - Nadal - Murray - Federer.

Número um do mundo, Novak Djokovic é o principal favorito ao título inédito em Paris. Porém, terá grandes desafios pela frente. O sérvio estreará diante do veterano Jarkko Nieminen da Finlândia, um adversário fácil na teoria. Assim como seu segundo desafiante, que virá do jogo entre o luxemburguês Gilles Muller e o italiano Paolo Lorenzi.

A primeira prova de fogo do líder do ranking mundial seria o australiano Bernard Tomic, que se inspirado poderá trazer grandes surpresas. Caso Djoko confirme o favoritismo, enfrentaria provavelmente Richard Gasquet da França ou Kevin Anderson da África do Sul, outros bons testes. Esse antecederia uma chamada "final antecipada" entre o sérvio e o eneacampeão em Roland Garros, o espanhol Rafael Nadal.

Nadal e Djokovic na final de Roland Garros de 2014 (Foto: Getty Images)

LEIA MAIS: Novak Djokovic: o Grand Slam que lhe falta nunca esteve tão próximo

Provável caminho de Nadal: Halys - Almagro/Dolgopolov - Mannarino - Dimitrov - Djokovic - Murray - Federer

O recordista em títulos na capital francesa, Rafael Nadal vem de má fase. Entretanto, ainda é apontado como um dos principais candidatos ao título. Para isso, enfrenta o jovem francês de 18 anos, Quentin Halys, na estreia. No confronto contra este o número seis do mundo terá de provar que está bem não só fisica, como mentalmente.

Em seguida, o duelo seria difícil: Alexandr Dolgopolov da Ucrânia ou Nicolás Almagro da Espanha. Ambos vem de fases igualmente ruins, porém venceram o espanhol na temporada passada. Dolgopolov no Masters 1000 de Indian Wells e Almagro no ATP 500 de Barcelona.

Adrian Mannarino será outro bom adversário que Rafa terá de superar. Tenista da casa, Mannarino está atualmente na melhor fase da carreira. Grigor Dimitrov, esse seria o último a ser superado antes do aguardado duelo com Novak Djokovic. Entretanto, para que isso ocorresse, o búlgaro deverá provar maturidade a fim de vencer o norte-americano Jack Sock e espanhol Tommy Robredo.

Nadal em Djokovic em Monte Carlo 2015 (Foto: Getty Images)

LEIA MAIS: Rafael Nadal: após hegemonia, favoritismo em Roland Garros é colocado em dúvida

Segundo Quadrante

Provável caminho de Andy Murray: Facundo Arguello- Pospisil/Sousa - Kyrgios - Goffin/Isner - Ferrer - Djokovic - Federer.

Um dos jogadores em melhor fase atualmente é o escocês Andy Murray. Apesar do saibro nunca ter sido seu piso favorito, neste ano vem de dois títulos na gira europeia, seus dois primeiros da carreira na terra batida.

Na primeira rodada enfrentará um especialista em saibro, o argentino Facundo Arguello. Em seguida, jogará contra o português João Sousa, que vem de ótima campanha no ATP 250 de Genebra, ou Vasek Pospisil do Canadá.

O grande desafio será na terceira rodada, na qual terá pela frente um dos mais talentosos jogadores do circuito: Nick Kyrgios da Austrália. Kyrgios vem de uma grande vitória contra o suíço Roger Federer no Masters 1000 de Madri. David Goffin ou John Isner seriam bons testes para anteceder o confronto contra um dos favoritos ao título, David Ferrer da Espanha.

LEIA MAIS: A surpresa para Roland Garros: o surgimento de Andy Murray nas quadras de saibro

Provável caminho de Ferrer: Lacko - Gimeno-Traver/Souza - Troicki - Cilic - Murray - Djokovic - Federer.

David Ferrer vem de campanhas ruins na gira europeia de saibro. Porém não terá grandes dificuldades nas primeiras rodadas do segundo Grand Slam do ano, desse modo terá a oportunidade de recuperar seu melhor tênis. Na primeira rodada jogará contra Lukas Lacko da Eslováquia, em seguida enfrentará ou João Souza, o "Feijão", ou Daniel Gimeno-Traver da Espanha.

Marin Cilic, o campeão do último US Open, está longe de sua melhor fase, vindo de derrota nas quartas-de-final do ATP 250 de Genebra para o colombiano Santiago Giraldo. Em seguida jogará contra o escocês Andy Murray.

Terceiro Quadrante

Provável caminho de Berdych: Nishioka - Dodig/Stepanek - Fognini - Tsonga - Nishikori - Federer - Djokovic.

Em Roland Garros o tcheco é pela primeira vez na carreira o cabeça-de-chave número quatro de um Grand Slam. Tomas Berdych não terá grandes dificuldades até as quartas-de-final, quando enfrenta o japonês Kei Nishikori.

Estreará contra Yoshito Nishioka do Japão, que na última rodada do qualyfing venceu o brasileiro Guilherme Clezar. Tanto Ivan Dodig e Radek Stepanek já são tenistas mais veteranos que não vem de suas melhores fases na carreira. A terceira e quarta rodada seriam mais difíceis contra Fabio Fognini da Itália e o francês Jo-Wilfried Tsonga. Ambos já chegaram às fases finais Roland Garros.

Berdych foi finalista em Monte Carlo (Foto: Getty Images)

Provável caminho de Nishikori: Mathieu - Bellucci - Verdasco - Feliciano - Berdych - Federer - Djokovic.

Kei Nishikori nunca foi muito longe em Roland Garros. Seu melhor resultado foi a terceira rodada em 2013. Neste ano, enfrentará o veterano Paul-Henri Mathieu em sua estreia, teoricamente sem grandes dificuldades.

Os problemas começarão na segunda rodada quando enfrenta o número um do Brasil Thomaz Bellucci, que vem de grande campanha no ATP 250 de Genebra na Suíça.

Thomaz Bellucci é atualmente o melhor brasileiro no circuito profissional do tênis, ocupando a 60º posição no ranking da ATP. Tem no saibro sua base de bons jogos, tendo 3 títulos profissionais neste piso (Gstaad – SUI 09/12 e Santiago – CHI 10), além de ser finalista no Brasil Open de 2009, quando ainda era na Costa do Sauípe, na Bahia.

Em 2015, os bons resultados de Bellucci vieram neste piso: semifinal em Quito, quartas em Istambul e 3º rodada em Roma, neste último perdendo para o número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic, que viria a ser campeão do torneio. No jogo, o brasileiro chegou a ganhar o 1º set, apresentando uma dificuldade ao líder do ranking.

Caso vença, o japonês enfrenta o espanhol Fernando Verdasco, contra quem teve grandes dificuldades para vencer no Masters 1000 de Indian Wells, com parciais de 7/6 1/6 e 6/4. Nas oitavas enfrentará outro espanhol, Feliciano López que vem de má fase.

Quarto Quadrante

Provável caminho de Federer: Falla - Granollers - Karlovic - Monfils - Wawrinka - Berdych - Djokovic.

Talvez o maior beneficiado pelo sorteio, evitando grandes adversários até a semifinal, Roger Federer não terá um caminho muito difícil.

Sua maior preocupação será o francês Gael Monfils, que o eliminou em Monte Carlo. Visto que antes só jogará contra o colombiano Alejandro Falla que veio do qualifying, Marcel Granollers da Espanha e o croata Ivo Karlovic.

Tenista da casa, Gael Monfils, pode surpreender em Roland Garros, como já o fez anteriormente. Talentoso, sempre costuma ter suas melhores atuações na capital francesa.

LEIA MAIS: Roger Federer e o saibro sagrado de Roland Garros

Provável caminho de Wawrinka: Ilhan - Lajovic/González - García-López - Simon - Federer - Berdych - Djokovic.

O número nove do mundo, Stan Wawrinka, vem de derrota nas quartas-de-final do ATP 250 de Genebra para o argentino Federico Delbonis. Nas primeiras rodadas, não terá grandes dificuldades. Porém logo na terceira rodada terá um rival complicado e especialista em saibro: Guillermo Garcia-Lopez, que tem o suficiente para eliminar o suíço cabeça-de-chave número oito.

Caso confirme o favoritismo, enfrentará o francês Gilles Simon, que não vem de boa fase. Outra possibilidade é enfrentar o letão Ernests Gulbis, semifinalista do ano passado.

Acompanhe o segundo Grand Slam do ano na cobertura completa da VAVEL BRASIL.

VAVEL Logo