Vôlei Bauru anuncia contratação de Tiffany, primeira mulher trans a atuar na Superliga

Fazendo sua recuperação no clube bauruense desde julho, ponteira-oposta reforça equipe para a continuidade do campeonato nacional

Vôlei Bauru anuncia contratação de Tiffany, primeira mulher trans a atuar na Superliga
(Foto: Marcelo Ferrazoli/Vôlei Bauru)

Se as pautas progressistas caminham a ritmo lento no Brasil, o esporte do país deu, nesta terça-feira (5), um passo grande pela equidade. O Vôlei Bauru, através de suas redes sociais oficiais, anunciou a contratação de Tiffany, de 33 anos. A ponteira, que também realiza a função de oposta, será a primeira mulher transgênero à atuar na Superliga Feminina.

Experiente, Tiffany chegou ao clube do interior paulista em julho, onde permaneceria apenas para trabalhar sua recuperação e recondicionamento físico, após uma cirurgia na mão. Antes de transicionar, a atleta construiu sólida carreira no voleibol europeu, com passagens por Portugal, Espanha, França, Holanda e Bélgica.

Inicialmente, seu plano era retornar à Europa, onde a transgeneridade no esporte é tratada com mais naturalidade. Todavia, após conseguir liberação da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) para atuar no voleibol feminino brasileiro, ainda no início de 2017, a ponteira se afeiçoou a ideia de permanecer no país. Após o acerto oficial, Tiffany falou sobre o início da relação com o Vôlei Bauru.

"O surgimento do Bauru em minha vida foi muito legal, porque mesmo na Europa, eu sempre acompanhava os jogos. E quando recebi o convite para vir para o time me recuperar, fiquei muito feliz e não pensei duas vezes. É um time guerreiro que luta muito e espero que possa ajudar e só somar a esta equipe tão batalhadora", afirmou.

(Foto: Marcelo Ferrazoli/Vôlei Bauru)

Mesmo ciente das dificuldades que enfrentará no voleibol brasileiro - principalmente por conta do preconceito crescente no meio esportivo e na sociedade como um todo -, Tiffany demonstrou grande euforia com esta nova etapa de sua carreira.

"A liga feminina brasileira é uma das mais fortes do mundo e o meu nível não é diferente de nenhuma das meninas. E sei que terei muitas dificuldades contra as quais terei de lutar para ajudar a equipe. Estou muito feliz com este acerto, pois, além de voltar a atuar no meu país, ainda vou estar mais perto dos meus familiares", afirmou.

Por conta de pendências de documentação, ainda não há data oficial para a estreia da jogadora. Todavia, é esperado que Tiffany esteja à disposição para o segundo turno da Superliga Feminina. Hoje, a equipe do interior paulista ocupa a nona posição da principal competição nacional.