Sob vaias, Vasco vence Ceará no Maracanã lotado e garante retorno à Série A do Brasileiro

Gigante da Colina saiu atrás no placar, ouviu protestos dos torcedores, mas com dois de Thalles na segunda etapa e garantiu o triunfo diante dos nordestinos; Atlético-GO, Avaí e Bahia também sobem

Sob vaias, Vasco vence Ceará no Maracanã lotado e garante retorno à Série A do Brasileiro
Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Vasco da Gama
2 1
Ceará
Vasco da Gama: Martín Silva; Madson (William), Rafael Marques, Rodrigo, Julio Cesar; Diguinho (Eder Luís), Douglas, Andrezinho, Nenê; Jorge Henrique (Julio Dos Santos), Thalles; TEC: Jorginho.
Ceará: Éverson; Tiago Cametá, Valdo, Ewerton Páscoa, Eduardo; Richardson, Felipe, Felipe Menezes, Wescley; Lelê (Robinho), Bill (Rafael Costa); TEC: Sérgio Soares.
Placar: 0-1, Eduardo, 27min. 1T; 1-1, Thalles, 2min. 2T; 2-1, Thalles, 4min. 2T.
ÁRBITRO: Thiago Duarte Peixoto – SP (ASP-FIFA); Cartões Amarelos: Thalles (VAS); Valdo, Richardson (CEA); Cartões Vermelhos: Valdo (CEA).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, realizada às 17h30 (de Brasília) da tarde deste sábado (26), no Estádio Mario Filho, o Maracanã, no Rio de Janeiro.

Em clima de tensão no Maracanã, para mais de 56 mil pessoas, o Vasco começou uma das suas mais importantes partidas do ano. O Ceará começou a última rodada da Série B sem pretensões e saiu na frente. Era o começo do calvário para os vascaínos. Mas no retorno para a segunda etapa, a equipe comandada por Jorginho foi cirúrgica, marcando dois gols nos primeiros cinco minutos e garantindo a virada no placar e o retorno à Série A.

Com o resultado de 2 a 1, o Vasco garantiu o acesso, finalmente, a Série A. tendo liderado a maior parte da competição e sem nunca ter estado fora do G-4, o Gigante se complicou na reta final do torneio, permitindo a aproximação de rivais na luta pelo acesso, como Náutico, Londrina e CRB. Com o passar dos jogos e com o afunilamento com a aproximação da 38ª rodada, apenas o time pernambucano ameaçava. Na Arena Pernambuco, o Náutico foi derrotado pelo Oeste, que se salvou do descenso e garantiria o Vasco na A, mesmo em caso de derrota para o Ceará.

Após o apito final, boa parte dos quase sessenta mil presentes vaiou e gritou palavras de ordem para os atletas, como protesto pela segunda metade do Campeonato. Para o próximo ano, ao que tudo indica, Eurico Miranda, presidente do Clube e também muito hostilizado pelos fãs da Cruz-de-Malta, deverá reformular profundamente o elenco, para evitar mais uma queda.

Vasco começa mal, vê Ceará abrir o placar e torcida protestar no Maracanã

A tensão, visível no olhar de qualquer torcedor ou jogador do Vasco, na tarde deste sábado (26), no Maracanã, era o medidor do quão importante era a vitória para o Gigante da Colina. Pressionados, os vascaínos começaram tentando cadenciar o jogo, principalmente com toques laterais.

Já o Ceará, por sua vez, se mostrava profissional. A equipe alvinegra veio ao Rio com o intuito de acabar com a festa do Vasco, como um clube tradicional que é. Mesmo podendo atuar com reservas, os nordestinos foram com força máxima e marcaram o primeiro gol, aos 27 minutos, com Eduardo. Em um chute despretensioso, de muito longe, em que Martín Silva, ainda se recuperando de incômodo na região lombar, aceitou.

O Vasco chegava esporadicamente, com cruzamentos na área, muitas das vezes facilmente cortados pelo sistema defensivo, muito bem postado no jogo. As principais chances do Cruzmaltino saíram dos pés de Thalles e Rodrigo, com uma girada na meia-lua e uma falta bem cobrada, respectivamente.

Vasco volta avassalador, marca dois em cinco minutos e garante acesso com vitória

No início da segunda etapa já era visível a mudança de postura dos vascaínos. Mais motivados e bem colocados, conseguiram a primeira chegada logo com poucos segundos de jogo. Após, em bola bem enfiada por Nenê para Eder Luís e bela defesa do goleiro alvinegro, Thalles chutou forte para marcar seu primeiro gol no jogo e empatar tudo.

Aos quatro minutos, após bom cruzamento de Madson, ajeitada de cabeça de Eder Luís e falha defensiva do Ceará, Thalles, sozinho, na pequena área, apenascumprimentou de cabeça, virando o jogo para o Vasco. Após o gol, visivelmente emocionado, o artilheiro tirou a camisa e levou o cartão amarelo, perdoável pelo torcedor.

Após a virada, o Ceará ainda chegou com perigo uma vez, quando Bill chutou no travessão, calando o estádio. Mas ficou penas no quase mesmo, com um Vasco a essa altura, administrando o placar e contando os segundos para que esse pesadelo chamado Série B acabasse logo. E acabou, com triunfo, sem título e com muito protesto vindo das arquibancadas. A pós temporada do Cruz-Maltino será, certamente, de muito trabalho.